Go to ...

on YouTubeRSS Feed

24/10/2017

Thomas Macho

Por que ler Peter Sloterdijk?

Escrevi Para ler Sloterdijk (Via Verita, 2017) em forma de livro. Penso que em forma de breve artigo cabe falar também em algo como “por que ler Sloterdijk?”. Sloterdijk é uma fonte de inspiração. Todavia, o elemento mais original de suas investigações, o que é propriamente exclusivo dele, é o que ele chama de antropotécnicas.

A Rede Globo continua, o PT não

O Globo Repórter fez hoje, dia 15/04, um programa sobre como que o brasileiro consegue “com trabalho e criatividade driblar a crise”. Caso eu tivesse hibernado nos anos setenta e acordado agora, salvo a cor da tela e o cabelo grisalho de Sérgio Champelin, não sentiria qualquer diferença. A ideia é a mesma de sempre:

O sexo e o filósofo

Peter Sloterdijk escreveu um catatau de mais de seiscentas páginas sobre a intimidade. Ainda está em alemão e, talvez por isso, o leitor brasileiro comum nada saiba desse livro, o Sphären I – Blasen. Caso estivesse em português, já estaríamos ouvindo por aí alguém reclamar, afinal de contas com tantas páginas assim sobre intimidade o

Sloterdijk e a crítica da psicanálise

“Dar à luz”. Essa expressão se tornou banal. Não só para parteiras, mas também para filósofos. A metáfora das luzes ganhou os filósofos. Também conquistou a psicanálise, que sempre buscou tudo elucidar com “luzes da ciência”, sem nunca se preocupar com a vida de gente como o mestre taoísta Lao Tezu, que ficou oitenta anos