Go to ...

on YouTubeRSS Feed

19/07/2018

Sloterdijk

Os homens bons podem ser bons e fazer o bem

[Artigo indicado para o público em geral] Hélio Schwartsman alerta-nos sobre os “militantes do bem” (Folha, 02/02/2018). Ele diz que estão aumentando. Estão mesmo, e de fato isso já está registrado na sociologia de Gilles Lipovetsky e nos incentivos da filosofia de Peter Sloterdijk. Hélio gosta deles, mas acredita que podem facilmente ficar tentados a

O destino de Lula e o nosso destino

[Artigo indicado ao público em geral] Logo após a condenação em segunda instância (ontem, 24/01/2018), agora para doze anos de prisão em regime fechado, Lula foi para a praça pública em Porto Alegre e  bradou: “podem me prender, mas não vão poder acabar com o sonho de liberdade”. Soaria como um raio no coração da

O lulismo por desconhecimento de opções

[Artigo indicado para o público em geral] Após mais de vinte anos de pregação neoliberal midiática em favor do estado mínimo, o brasileiro continua majoritariamente contra privatizações. Assim mostra a pesquisa da Folha (26/12/2017). Outras pesquisas anteriores da Folha de S. Paulo já mostravam isso, mas com adendo, dizendo que o brasileiro era de esquerda

Alteridade: os gregos e nós

[Artigo recomendado para o público acadêmico] Sócrates adorava ver os jovens com suas túnicas brancas e transparentes. Elas o deixavam apreciar os corpos dos rapazes saindo da pré-adolescência para a adolescência, ganhando formas e beleza. A casa dos gregos e, depois, mais ainda a dos romanos que herdaram parte de sua arquitetura, repetia a túnica

Caminhamos para um mundo de extraliberdade

Artigo indicado preferencialmente para o público acadêmico Hegel tinha a certeza de que a sua filosofia da história dizia exatamente para onde caminhamos: para cada dia mais liberdade. Ele dizia que só não podíamos ver uma tal coisa quando olhávamos para a história sem a perspectiva da “grande duração”. Na verdade, a “astúcia da razão”

Filosofia, alteridade e mídias sociais

Artigo indicado preferencialmente para o público acadêmico “Menina dos olhos” ou “boneca dos olhos”. O nome é dado para a forma de espelho mais antiga do mundo. O espelho séculos antes do espelho. Olha-se nos olhos do outro e o que se vê é uma pequena figura lá no interior, “eu mesmo estou lá” –

A ontologia de Renata Vasconcelos ou Da Mídia como praxis

Texto para a profa. Heloiza Matos e seu Grupo de Pesquisa “Comunicação Pública e Comunicação Política” daECA/ USP A palavra “mídia” deixa claro nossa propensão em falar do fenômeno comunicacional como alguma coisa “entre”, que ocorre “por meio de”. Nossa intuição linguística, nesse caso, revela que notamos a comunicação, que hoje não vive sem a

Por que Marx seduz os intelectuais? Marx e o desencantamento do mundo

Artigo indicado preferencialmente para o público acadêmico “Tudo está repleto de deuses”, disse Tales lá nas costas da Turquia, quando ali era uma praia jônica. O nosso primeiro filósofo, segundo a historiografia oficial, começou a filosofia atentando para as possibilidades ou não do “dencantamento do mundo” (Weber). Viu as figuras misteriosas postas em cada cantinho

Síndrome de Joana D’Arc versus Anitta

Texto indicado para o público em geral Cantar é fácil. Jogar futebol, então, nem se fale! E ser ator? Bico! Tudo que se parece jogo, lúdico, parece fácil. Ainda que se reconheça que não é, na hora da avaliação geral, cai para o âmbito do suave e, perigosamente, para o campo da “mulher de vida

O adeus ao rosto de Deus

Texto indicado preferencialmente para o público acadêmico Uma das mais significativas diferenças entre o mundo moderno e o mundo antigo diz respeito à face da divindade. Entre as inúmeras religiões, cada qual apresentando seus deuses, a religião de Moisés se destacou por uma esperta singularidade: a face de Deus ninguém vê. Por essa via, a

O rosto entre Butler e Sloterdijk

Este texto é indicado preferencialmente para o público acadêmico Foi com Sócrates que “o rosto” entrou para a filosofia. E assim fez no âmbito dos dois grandes eixos do pensamento ocidental, formalizado principalmente após Aristóteles: um campo teórico ou do conhecimento e o campo prático ético-moral. Rosto no âmbito teórico. Zópiro, um sábio persa, disse

William Waack cai e alivia a Globo

Este artigo é indicado para o público em geral William Waack é aquele que fazia entrevistas convidando só pessoas de direita para explicar o que é direita e esquerda. O show de pedantismo de seus convidados irritava qualquer um. Mas, mesmo assim, ele reinava sendo mais pedante ainda. À noite, levando adiante o jornal de

Identidade moderna: a intensificação de si

Aprendemos no colégio, nas aulas de história, que as “grandes navegações” e o comportamento intrépido de gente que era chamada de “mercadores” deram o tom para a formação do homem moderno. Seguiram a estes os “empresários”, pessoas capazes de correr o risco com dinheiro investido tanto quanto os primeiros correram risco de vida. Max Weber

Esquerda e direita em Peter Sloterdijk

Podemos falar em direita e esquerda atualmente? Claro que sim! Mas seria tolice, em filosofia social e política, não notar os deslocamentos dessa divisão na vida contemporânea, para além da prisão – e banalização – do vocabulário jornalístico. No meu entendimento, Peter Sloterdijk é quem melhor apreende as vicissitudes semânticas pelas quais estamos passando nesse

Peter Sloterdijk, filósofo da revolução

Peter Sloterdijk é taxativo: “eu concebo a filosofia como introdução à ciência revolucionária universal”. (1) Essa formulação é bem explicada por ele: Eu penso após a falsa revolução e no meio da alteração global das coisas. Eu trabalho numa teoria não-marxista da revolução e afirmo que a ‘revolução’ permanece o tema central verdadeiro do pensamento.

O corpo liso, esse protagonista contemporâneo

Cresce o número de jovens masculinos, ao menos no Brasil, que não suporta o cheiro de vagina. Não fazem sexo oral com suas parceiras! Além disso, exigem que elas se depilem. A tricotomia é internacionalmente conhecida como produto brasileiro. E mais: entre as mulheres, cresce de modo assustador o “clareamento anal”. Acrescento: o Brasil passou

Older Posts›› ‹‹Newer Posts