Go to ...

on YouTubeRSS Feed

14/12/2018

Impeachment

A guerra semântica de 2016 está em curso

[Artigo indicado para o público em geral] Um professor americano que se diz “amigo de todo mundo no Brasil, menos de Jair Bolsonaro”, James Green, iniciou uma coleta de assinaturas para um manifesto contra algumas falas do ministro da Educação no Brasil, Mendonça Filho (Folha, 12/02/2018). Quais falas? Aqueles infelizes dizeres informando que iria investigar

Como ser historiador em tempos de PT?

Para a amiga Janaína Paschoal Hegel dizia que a filosofia é a apreensão de uma época em pensamento. Nos seus termos: apreende-se a história na interpretação dela, racionalizando-a, dando-lhe sentido. Assim, toda filosofia seria, em suma, uma filosofia da história. Hegel entendia que o filósofo, ou seja, o bom filósofo, realizava assim a tarefa de

História, filosofia e Impeachment

Escrevi certa vez que a história traz a vida e a filosofia a morte. A história conta sobre nossa contingência, incertezas e efemeridade. A filosofia tenta de toda maneira apontar para o perene. A história vai para um lado, a filosofia para outro. Assim foi na Grécia Antiga. Ainda hoje esse quadro tem a ver

Eu e o PT. Devo explicação aos meus leitores?

Cunha é o meu malvado favorito – Roberto Jefferson Talvez eu deva sim uma explicação aos meus leitores. Afinal, estou há mais de trinta anos produzindo filosofia e sou bibliografia de concursos etc. Um filósofo tem de dizer de suas preferências políticas, para além de grandes tendências, falando de questões partidárias – não tem? Hoje

“A liberdade é muito importante para ficar nas mãos de liberais” (Sloterdijk)

Quando Luis Carlos Prestes esteve na Campanha das Diretas Já, a população lá embaixo diante do palanque, esperando a festa, não era comunista. Quando Brizola subiu para falar, a população lá esperando, não era socialista. Quando Lula falou, a população aplaudiu, mas não tinham a intenção de elege-lo depois a nada – ele amargou várias