Go to ...

Paulo Ghiraldelli on YouTubeRSS Feed

28/06/2017

Deus

O belo, a mentira e o desprestígio de Deus

A caminho da peregrinação em busca de um quentão de festa junina, Fran e eu paramos diante do jardim da casa de um vizinho para admirar uma flor. Belíssima. Muito antes de ter celular na mão, Fran sempre gostou de fotografia, então, nessa oportunidade, não deixou de registrar o quadro. Ao bater a foto, exclamou:

Por que é possível orar a Deus?

Na literatura filosófico-teológica, não é difícil encontrar o Velho Testamento sendo lido a partir de quatro esquemas simbólicos de apresentação de Deus. Citando Claus Westermann, Paul Ricouer lembra desses esquemas: o Deus que salva, ou seja, que liberta de um perigo exterior; o Deus que abençoa, isto é, que tem o dom da criação, da

Peter Sloterdijk: o que é o homem?

“O que é o homem?” Kant formulou essa pergunta como uma espécie de corolário de três outras: “o que posso saber?”, “o que devo fazer?” e “o que me é permitido esperar”? Sloterdijk se aproxima mais das duas últimas que das duas primeiras. “O que me é permitido esperar?” e “o que é homem?” são

Deus é fútil

Futilidade é uma palavra de origem médica: tratamento sem resultado ou procedimento que não leva a lugar algum. Mas, nas origens, tem a ver com um mito grego sobre filhas que foram ordenadas pelo pai a matar seus maridos, e todas obedeceram exceto uma; as que obedeceram foram punidas, tiveram de carregar água para lá

A democracia como o inferno da salvação

Minha amiga Susana de Castro diz que a oposição está montando um circo para “depor um governo eleito”. Nesse circo está Hélio Bicudo. E na oposição, hoje, estão diversos homens da esquerda com passado e presente honrados (Luiz Eduardo Soares à frente). 

O mundo dos conservadores

Você viveria em uma sociedade onde a regra básica fosse “todos são culpados antes que se prove o contrário”? Há pessoas que dizem um fácil “sim” para tal pergunta. Elas se acham tão inocentes e, então, por essa inocência, de tal modo acima de toda e qualquer regra social, que elas não entendem a frase

A não banalidade do perdão

Had Gadia é em português a canção “A velha a fiar”. Aquela que começa assim: “Estava a velha em seu lugar. Veio a mosca lhe fazer mal. A mosca na velha e a velha a fiar. Estava a mosca em seu lugar. Veio a aranha lhe fazer mal…”. Had Gadia é um nome aramaico que indica um filhote ou

Maconheira de primeira viagem

Maconheira de primeira viagem. Quem é? É aquela menina que fuma maconha e quando dizemos que faz mal, ela vira doutora no assunto e explica como a maconha é a salvação do mundo, da civilização e, enfim, do universo. Ela cita grandes nomes da história, cientistas e filósofos, que consumiram maconha. Ela acha que será

Intervenção militar

Notaram? Há pessoas pedindo “intervenção militar”? Sim, aqui entre nós! O problema delas não é serem protofascistas. Antes disso, elas são crianças fascistas. Crianças que acreditam que apertam um botão do seu PC ligado à Internet e, então, um anjo (no caso, um demônio) é chamado para salvá-las de algo que não está lhes fazendo

Nietzsche foi ao velório?

“Deus está morto”[1] – duvido que exista outra frase de Friedrich Nietzsche (1844-1900) mais popular que essa, e também penso que é uma das mais mal utilizadas.

A Bíblia sem pecado

O mistério da Bíblia não é outro senão a sua capacidade de ser um livro múltiplo. É um livro de história, sociologia e antropologia. Ao mesmo tempo, tem lances filosóficos, em parte por conta de uma ontologia e, por outra parte, por ser um texto normativo, um lance ético-moral. Além disso, é também um livro

O filósofo leitor da Bíblia

“Professor, o senhor é ateu?”. “Todos os filósofos são ateus?”. “Filósofo Ghiraldelli o senhor acredita em Deus?”. Quando se é um filósofo como eu, que está na conversação comum e não escondido em colunas de jornais ou colunas da universidade, perguntas desse tipo têm de ser enfrentadas.

A esquerda sem Deus, e sem conhecimento

Nossas esquerdas falam alto quando palestinos morrem. Há quem diga que a esquerda não sofre pelos palestinos, mas pelo Hamas. Agora, diante do ataque dos fundamentalistas islâmicos às minorias étnicas e religiosas no Iraque, acusando-as de estarem ligadas ao demônio, as esquerdas fingem não saber de nada. Parece que esperam que os aviões americanos errem

Older Posts››