Go to ...

on YouTubeRSS Feed

25/05/2019

Façamos Primavera no Outono


Façamos Primavera no Outono

Na “Campanha das Diretas” a imprensa mais rica chegou tarde. No “Fora Collor”, exceto a Veja e o Jô Soares, a imprensa mais rica foi arrastada para os eventos e demorou para aderir. Agora, após a polícia atacar jornalistas, a imprensa começa, novamente, a sair de seu costumeiro conservadorismo. Enquanto escrevo, os protestos continuam. E tudo indica que vão se espalhar por todas as capitais.

Não se trata mais de passe de ônibus, nem de fazer este ou aquele político ganhar votos, muito menos os protestos são contra a presidente Dilma por implicância ou oposição sistemática. Mas o certo é que a vaia que ela levou na abertura da Copa das Confederações não está tão desligada da Primavera Paulistana ou, agora, Primavera Brasileira.

As pessoas reconhecem que FHC barrou a inflação e reconhecem que Lula fez bom serviço no programa de transferência direta de renda. Mas todos nós sabemos bem que nesses dois casos, o investimento em infraestrutura não veio, porque no meio do caminho, o PSDB no passado e o PT-PMDB no presente, resolveram enriquecer seus caciques e apaniguados e largaram os projetos políticos de lado. FHC queria mais um mandato, e então tudo foi feito para tal. Lula-Dilma querem também mais mandatos, e para tal, agem como FHC agiu: cede a todos. A coisa parece maior agora, em termos de corrupção, porque a base desse governo de alianças é maior que a de FHC. Além disso, a fome dos políticalhos também é maior em um país de economia aquecida.

Desse modo, os protestos são contra quase tudo, mas há um alvo central: os serviços e produtos que todos os brasileiros precisam ter para uma vida pobre, mas normal, não existem: hospital, escola e transporte. Tudo é caro e tudo é ruim. Ao lado disso, o país gasta na Copa não o que todos os brasileiros gostariam que gastasse. Queríamos a Copa, mas paga uma vez só. Ela está sendo paga, sim, três vezes. Uma para os partidos, outra para indivíduos e grupos na corrupção aberta, outra para construir mesmo a Copa. É muito dinheiro.

Isso irrita todo mundo. Não é insatisfação de grupos ideológicos de esquerda e direita. Estes não sabem o que falam. Estão no passado que já morreu. A direita fica falando nas maravilhas de 1964 ou então, tentando ser moderninha, no regime de Thatcher, ou berrando aqui e ali contra o “politicamente correto”, “cotas” etc. Tudo isso já acabou. A esquerda não fica por menos. Fala em “fim do capitalismo”, em “luta contra o imperialismo” e, é claro, sempre tem um jovem que leva a sério a fábrica de camisetas do Tchê Guevara, etc. Bobagem. O grosso dos manifestantes que vaiaram Dilma e/ou que saíram às ruas quer outra coisa. Queremos viver bem na democracia. Essa democracia que temos precisa ser um pouco mais azeitada, de modo que mais gente seja ouvida. Não há canal legal para tal nomento, então, vamos às ruas. Da internet à rua, da rua à internet. Faz tempo já que isso é uma coisa só.

Façamos Primavera no Outono. Há filósofos que vão onde o povo está.

© 2013 Paulo Ghiraldelli, filósofo, escritor, cartunista e professor da UFRRJ

NÃO DEIXE DE VER O VÍDEO:  Recado sobre a Primavera

Tags: , , , , , , , , ,

15 Responses “Façamos Primavera no Outono”

  1. JOHN
    03/09/2013 at 11:46

    O balanço disso foi a velha historia,vamos cedendo aos poucos,esse livrinho do Maquiavel está certo,em 1 mês não vai ter mais ninguém saindo na rua,afinal um mês,ano faz todo mundo esquecer tudo no Brasil,pois assim que a mídia muda as noticias as pessoas “esquecem”,mas depois elas mesmas jogam a culpa da falta de saúde,educação e o resto nas figuras políticas,mas e quem escolhe essas figuras políticas?O professor finalizou bem o seu artigo a única manifestação que podemos realmente fazer é nas urnas.Mas esse é o problema, a mediocridade dos políticos profissionais querendo ou não o brasileiro está no mato na hora de votar.Acredito que as manifestações não foram partidárias por causa disso,o desencantamento das pessoas com partidos,pessoas e poderes.Elas começaram a pensar que tinham o poder para mudar as coisas e elas tem,mas elas não sabem ou se esqueceram.

  2. Julio
    19/06/2013 at 06:47

    Paulo, por falar em imprensa mais rica e seus porta-vozes, vc já reparou quão conservadora é aquela Rachel Sheherazade? Caramba, toda opinião que ela emite é carregada de reacionarismo. Ela é muito pior que o Jabor. Este ao menos é ateu. Já ela só falta levar uma bíblia e deixar sobre a sua mesa durante a apresentação do telejornal. A última dela foi usar na semana passada o seu espaço de comentarista no jornal do SBT pra esculachar o movimento passe livre, como fez o Jabor. Mas, ao contrário deste, ela não voltou atrás.

    • 19/06/2013 at 19:45

      Júlio, os colegas dela não a suportam mais.

  3. Diego Michel
    18/06/2013 at 20:33

    Paulo,

    Acho interessante toda essa situação.

    Acredito, com fortes evidências, que manifestações sociais são, fundamentalmente, exteriorização da face gregária do homem (em todos os níveis). Você menciona em outro texto que a motivação para as manifestações é individual, tendo que vista cada individuo foi tomado pela irritabilidade frente aos “desmandos” e outros problemas sociais oriundos do Estado (em sentido amplo), mas, como eu disse, o fundamento é social, ser social, no sentido de participar de manifestações públicas induz, querendo ou não, acreditando nisso ou não, a uma base gregária, assim sendo, você se doa para os propósitos das manifestações.

    Noto que é ai que reside uma questão interessante, vejamos: fui confrontado por isso pessoa que me indagou, dizendo se eu iria a manifestação, respondi que não, quando, de repente, veio a resposta-conclusão: Eu sou reacionário!

    Mas como assim? Então quer dizer que quem participa de manifestações sociais não é reacionário? Como se dá isso, como me explicar, então, que ao saírem das tais manifestações, logo em seguida, os mesmos não reacionários manifestam opiniões desvantajosas e insultantes contra, por exemplo, certos grupos étnicos? Como explicar que ele fomenta alguns rótulos pueris de gênero social?

    Como explicar que no cotidiano, este mesmo não reacionário é aliado das mais variadas ideologias ascéticas, não reconhecedoras da importância da matéria em detrimento do “ser”, como explicar que estes mesmos não reacionários não reagem da mesma forma contra certas condutas de indivíduos, que, por estarem mais próximos deste, causam um efeito mais nocivo (inclusive para a matéria) à sua incolumidade física?

    Sem contar que já presencie alguns destes não reacionários num ato estranho, mas não desconhecido por nós Ocidentais, que seja ranger os dentes, por causa de uma propaganda de uma boate, que diga por sinal, as moças não apareciam com o rosto à mostra, nem tão pouco suas partes pudicas, todavia, a moral e os bons costumes fora invocados, e, por sinal, tiveram êxito.

    Pontuei algumas questões e trouxe para você, Paulo, porque acredito que aqui temos essa liberdade de debatermos, levantar pontos etc.

  4. Diogo Teixeira
    18/06/2013 at 12:27

    Professor Paulo, seriam as próprias manifestações as mais belas flores dessa(s) Primavera ou não temos flores alguma?

    • 19/06/2013 at 03:52

      Toda primavera tem flores, até as feitas no outono.

  5. Luis Araujo
    18/06/2013 at 11:42

    Paulo, tomara que, aos poucos, consigamos sair do sono anestésico provocado pelo deslumbramento com as seduções do consumismo capitalista. Bom saber que no oceano das redes sociais há algo mais além de narcisismos exibicionistas, consumismos niilistas e outras frivolidades. Melhor ainda, é interessante ver que não precisemos da imprensa conservadora para desencadear manisfestações como estas, ainda que eles só reconheçam algo de positivo nas mesmas por corporativismo ou após perceberem a mancada que deram (vide Jabor, por exemplo). Vamos ver no que vai dar, ou melhor, já estamos vendo e já está dando. Abraço!

    • 19/06/2013 at 03:53

      Luis, justo para mim? Sono? Consumismo? Porra, leia minhas coisas cara. Eu não sou desse tipo, eu adoro o consumo.

  6. Augusto Lima
    18/06/2013 at 08:32

    Que maravilha! Amanheci extasiado em ver meu povo (brasileiro) meio que despertando (reagindo) para o mundo, sozinho, sem “líderes” partidários tomando vantagem nisso. Vale a pena mexer, inquietar-se, afinal, pelo tanto que precisa ser melhorado. Mas o que mais me preocupa, no momento, é que ainda não nasceram os oportunistas de plantão, os pseudos “líderes” para tomar vantagem… Fiquemos atentos!

  7. LENI SENA
    17/06/2013 at 20:34

    Acompanhando os protestos pela TV. Morreando de vontade de fazer parte da infantaria encabeçada pela primavera paulista, que agora tomou o Brasil. Na torcida para que tudo ocorra da melhor forma possível e aguardando ansiosa para tomar também as ruas.

  8. JuniN
    17/06/2013 at 16:54

    Você tá por dentro do que está acontecendo no Chile (desde 2006)? E na Turquia? O pau tá quebrando geral. Acho que aqui nada poderá ser resolvido de fato sem tragédias, infelizmente.

    • 18/06/2013 at 06:18

      Junin, a questão não é essa, se há tragédia ou não.

  9. Orivaldo
    17/06/2013 at 13:47

    Em 2.011 a revista FORBES mencionou Eike Batista como sendo o homem mais rico do Brasil. E era. De la pra cá o governo através do BNDS já injetou bilhões de reais em suas empresas ( dizem que é 11). Nada contra o governo investir em empresas que podem ajudar a economia do pais, o BNDS existe pra isso. Porém como colocar na cabeça de um estudante que não tem como subsidiar pelo menos parte das tarifas de transporte ou melhor não tem como nem conversar sobre o assunto como já disse nosso ilustre governador. Ah! o homem já deixou de ser o homem mais rico do pais.

  10. acássio
    17/06/2013 at 12:29

    A polícia brasileira está despreparada para lidar com manifestações públicas. Em Goiás vi policiais com arma em punho ameaçando atirar na cabeça de manifestantes. Em SP a bala de borracha comeu para todo lado, as vezes um uso indiscriminado, sem necessidade. Dizem que os governadores do PSDB que são os chefes supremos das tropas das polícias. Será que essa ordem de repressão vem lá de cima, da cúpula tucana goiana ou paulista?

    • 18/06/2013 at 06:19

      Acássio,a polícia está super preparada, a repressão foi ordem de cima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *