Go to ...

on YouTubeRSS Feed

20/11/2017

Prédios escolares – este é o alvo em São Paulo


As esquerdas tradicionais têm enorme dificuldade de raciocinar. Por conta disso, ensinam as crianças coisas erradas. Dizem para os alunos que o governo de S. Paulo propôs a “reorganização escolar” por conta de um objetivo privatista. Não mesmo! Alckmim tem objetivos muito mais consistentes com quem quer vencer uma grande disputa política.

Alckmin tem menos doutrina que se imagina. Aliás, hoje em dia, quem tem doutrina? Alckmin quer é dinheiro e gente graúda. Ele está preparando caixa e base financeira para a campanha para presidente, em 2018. Ele sabe que Aécio é fraco, playboizão e com problemas com helicópteros. Além disso, está também arregimentando parceiros. A “reorganização” é parte disso, desse plano, que não é liberal em essência, ainda que, ao fim e ao cabo, sirva a interesses de uma doutrina de mercado. Todavia, não é o ensino que vai se mercadorizar ou ser privatizado. Esqueçam isso. Isso não dá dinheiro. Ao contrário, só um doido varrido hoje pegaria para si a tarefa de montar uma empresa privada de educação.

O que Alckmin quer e continua querendo, mesmo após a derrota agora momentânea, que o fez deixar de lado a “reorganização”, são os prédios escolares. Basta uma olhada no mapa do estado e da cidade de São Paulo e isso salta aos olhos: as escolas  visadas ocupam os lugares da especulação imobiliária. Elas são a menina dos olhos de qualquer governador que deseje ou vender ou alugar ou simplesmente trocar coisas. O governador vai continuar nesse projeto, e ele mesmo deixou escapar isso: iremos ver caso a caso, escola por escola. É o que ele irá começar a fazer em períodos de férias. E isso, de fato, um passarinho que mora no Palácio dos Bandeirantes e que frequenta a paisagem aqui do Butantã, me disse já faz tempo.

Ter os grandes terrenos, amplos, em localizações estratégias, para negociar com setores da especulação imobiliária, é alguma coisa que faz alguém, se é de São Paulo, um forte candidato à qualquer cargo da nação. Maluf sabia disso. Quércia e seus seguidores também. Serra vislumbrou tal coisa. Haddad entrou nessa. Aliás, reparem como que de uns tempos para cá, os incêndios em favelas parou. Claro: o Movimento dos Sem Teto denunciou o crime. Então, a tática é outra: o negócio com áreas do estado. As escolas todas visadas são a de melhor nota, justamente porque o fator localização e idade conta nesses casos. Escolas grandes, centrais, continuaram a ter bom ensino mesmo com a desqualificação do magistério. Alckmin só escolheu essas escolas. Mas não por conta de querer destruir o bom ensino, como numa trama macabra que bobinho que faz ciências sociais acredita, que é o de fazer um ensino ruim para “dominar o povo”. É preciso ser aluno de sociologia do primeiro ano, nos anos 60, para falar algo assim.  Alckmin escolheu os melhores prédios e, coincidentemente (mas não à toa), são estes os locais onde ainda há o melhor ensino. Uma verificação no mapa e uma consulta aos especuladores imobiliários (que eu já fiz) deixam isso bem claro.

Assim, tudo é uma questão de tempo. O governador vai voltar à carga. Se algum deputado quiser impedi-lo, deverá ficar atento a uma tal questão. Começar a se munir de instrumentos para combate-lo juridicamente, pois que ele vai fechar escolas e se apropriar do terreno e do prédio para fazer jogo de conquista de apoiadores, ela vai. Ou vai tentar. Não há quem não seja tentado a isso governando São Paulo, quando se quer mais. E quem governa São Paulo sempre quer mais. Governar São Paulo traz uma espécie de oxiúros.

Paulo Ghiraldelli, 58, filósofo.

Tags: , , , , , , ,

9 Responses “Prédios escolares – este é o alvo em São Paulo”

  1. Aílton Nunes
    18/12/2015 at 18:27

    Alckmin disse hoje é a favor da reorganização por causa do bullying!
    E é preciso fechar escolas por causa disso, oras?

    • Aílton Nunes
      18/12/2015 at 18:32

      E ele tá determinado a levar em frente o plano de fechamento ano que vem, quando menos você esperar.

  2. Debora Calheiros
    16/12/2015 at 01:51

    A qualidade do ensino está baixa há anos, ou melhor década e vc acha que não é uma estratégia p dominar o povo e deixá-lo sem um filosofia crítica??? Ingênuo hem??

  3. Lino
    07/12/2015 at 12:21

    Bom dia Paulo,
    ainda bem que existe pessoas como você para esclarecer os fatos. Este texto está muito esclarecedor. Estou esperando que você reflita sobre a microcefalia e particularmente sobre o tamanho mínimo de cérebro adotado pelo ministério da saúde, está muito confuso e ao mesmo tempo inoportuno a nova medida adotada.

    • 07/12/2015 at 12:26

      Lino por tudo que conheço de decisões médicas, e não conheço pouco (por razões que não cabem aqui), essa coisa da microcefalia é maquiagem pura.

  4. Pedro Henrique
    07/12/2015 at 00:26

    Professor Paulo, tenho 15 anos e queria saber o que o Foro de SP de que tanto falam. Falam tbm de golpe, que está chagenado de Brasil dividido. Está tudo muito tenso, há razão apara isso?
    EStou interessado em ler o seu livro

    • 07/12/2015 at 12:26

      Pedro tudo que vir em torno de caça a comunista é bobagem. Olavice tonta ou pondé tonto falando.

    • LMC
      07/12/2015 at 15:11

      Bem,segundo li na mídia,
      o Alckmin pretende transformar
      essas escolas em Etecs,Fatecs
      ou passar pras prefeituras-no
      interior-e transformá-las em
      creches.As prefeituras aliadas
      do governador,claro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *