Go to ...

on YouTubeRSS Feed

15/10/2019

O PT e os capitalistas


O PT nasceu para transformar o capitalismo brasileiro em um capitalismo com menos selvageria. Ainda que jamais tenha dito isso, queria sim ser um partido social-democrata mais próximo das origens da II Internacional, isto é, um grande partido de esquerda com base operária, capaz de construir algum tipo de socialismo democrático. As correntes leninistas e trotskistas sempre foram minoritárias no partido. A Igreja Católica com suas “comunidades de base” podia estar presente sob o manto da Teologia da Libertação.  Intelectuais de várias tendências se achavam representados pela agremiação. O PT não era comunista. Nunca foi. Ao contrário, queria manter algo inédito nos partidos de esquerda aguerridos: a democracia interna efetiva. Durante algum tempo até conseguiu. Pouco tempo, mas que teve seus momentos gloriosos.

Tudo isso, hoje, foi pelos ares. O PT se meteu no funil do discurso moralista e este, em política, é sempre muito datado. Não deve ser feito. Pois ao menor sinal de corrupção interna, tudo se rompe. Os partidos não moralistas possuem mais chance de sobrevivência. O PT sobreviveu até muito com o discurso moralista. Mas acabou se aproveitando de tal discurso para institucionalizar a corrupção. Por algum tempo, muitos no PT acreditaram que, por terem sido os baluartes da defesa da possibilidade da política não corrupta (que poucos conseguiram fazer, com o Senador Suplicy à frente desses poucos, durante uma vida), então estavam liberados para até fazer alguma corrupção, que isso passaria sem que ninguém notasse. Afinal, em última instância sempre se poderia olhar no espelho e dizer que não havia “corrupção verdadeira”, pois as pessoas do partido não estavam lucrando, uma vez que tudo era feito para que o PT continuasse no poder e pudesse “salvar os pobres”.

Até esse PT do “rouba por boa causa” já se desfez. Delúbio o defendeu. Mas o tesoureiro posterior nem era isso, já fazia parte do “ganhar a eleição a qualquer custo”. Todo o sonho de uma militância de esquerda, talvez tão cabeça dura quanta a comunista, mas aparentemente menos estúpida, se arrebentou. Ora, então, os conservadores brasileiros deveriam estar comemorando. Estranhamente, não estão. Por quê?

Na verdade a devassa que a justiça – com Moro à frente – está realizando colocou na cadeia exatamente os homens que durante os últimos quarenta anos não estiveram nem um pouco a favor de qualquer tipo de socialismo, mas apenas tentando levar adiante um capitalismo de aprofundamento da distância social entre ricos e pobres. O PT não deu um tiro no capitalismo, mas deixou todos os capitalistas a descoberto; o PT os envolveu num novo esquema de corrupção e deu vida aos velhos esquemas já existentes. Essa contradição interna do partido, que é a de não saber ver no empresário senão aquele que é corrupto e tem que ser tratado dentro de esquema de corrupção, é que permitiu que a justiça, diferente daquela dos tempos de Sarney, Collor, Itamar e FHC, pusesse atrás das grades os homens mais poderosos do Brasil. Até mesmo os donos das construtoras que, desde a ditadura militar, comandaram o país, estão indo para a “delação premiada”.

Por uma ironia completa do destino, Barbosa (inicialmente petista) e agora Moro (que não importa a filiação), dois homens da lei, estão realizando tudo aquilo que as esquerdas pediam que se fizesse no Brasil. Éramos o país da impunidade dos ricos. Somos hoje o único país em que os ricos estão sendo realmente postos na cadeia. Tanto a direita quanto a esquerda parlamentar estão atônitas, não sabem o que fazer. As coisas estão andando à revelia dos partidos.

Não vamos ser socialistas ou capitalistas por conta disso. Essa revolução é secundariamente política. Mas após Moro terminar sua tarefa, sairemos com um sistema de justiça que deverá se refletir para sempre na política desse país. Teremos um dos ideais da esquerda realizado. Ao fim e ao cabo, o PT realizou uma de suas tarefas, ainda que contra si mesmo e, talvez, por meio de seu fim definitivo, que é ter colocado ao menos durante um momento os capitalistas principais do país na cadeia. É por isso que os conservadores não estão felizes com o fim do PT. Porque o PT vai acabar levando para o túmulo, junto com ele, alguns dos homens que os conservadores mais amavam – e ainda amam.

Paulo Ghiraldelli, 57, filósofo, autor entre outros de Sócrates: pensador e educador (Cortez, 2015).

Tags: , ,

8 Responses “O PT e os capitalistas”

  1. Jhonatan Rafael Beckman
    26/11/2018 at 12:58

    Interessante.

  2. claudio dionisi
    24/06/2015 at 17:06

    WOW!!!!! Tudo que eu queria dizer mas não tinha palagvras!

  3. Cesar Marques
    21/06/2015 at 21:28

    Ok, ok, texto muito bom, texto muito legal. Só fiquei com uma dúvida: Por que diabos, não tem um, SÓ UM, politico do PSDB em cana? Não é uma pergunta retórica, é dúvida mesmo. E não me chame de petista, pois sou do Rio, e aqui o PT nunca criou bases. Petista aqui é coisa rara, e eu até apreciei que vários deles fossem presos. Mas não ter nenhum tucano em cana, me parece um caso de justiça seletiva, e isso nunca é bom para uma Democracia.

    • ghiraldelli
      22/06/2015 at 05:57

      Há algum petista em cana na Lava Jato? Acho que não preciso chamá-lo de petista, acho que preciso chamá-lo de uma pessoa que não acompanha jornais e que não entende as fases de uma operação policial. E por fim: petista. Não, mas talvez criptopetista. Fomos treinados para defender os mais fracos. Mas quem disse que o PT hoje defende os mais fracos?

    • Cesar Marques
      22/06/2015 at 14:12

      Bom professor, como frisei, estou estou longe de ser petista. Aqui em nossas paragens, esse partido nunca foi forte. Paulistocêntrico demais para nós cariocas. E eu não perguntei se existe tucano preso pela questão da Lava-Jato, e sim pela mudança da Justiça propalada pelo senhor, que para mim, tal mudança tem sido um tanto seletiva. E para ser ainda mais incisivo (para demonstrar que acompanho os noticiários), ainda não há petista preso na Lava-Jato porque o operador desse esquema ligado ao PT, ainda não abriu o bico. Somente os ligados ao PP (maior envolvido no esquema) e o PMDB. Enfim, não é a Lava-Jato que me interessa, e sim esse repentino aperfeiçoamento da Justiça que tem sido muito eficiente para prender petistas e integrantes da base aliada, e muito moroso, paquidérmico mesmo, quando se trata de engaiolar tucanos (até agora o escândalo do cartel do metrô de São Paulo não deu em porra nenhuma).

      Abraços e obrigado pela atenciosidade costumeira.

    • ghiraldelli
      22/06/2015 at 15:16

      A fase é ainda “empresarial”, como destaquei no artigo, aliás, a fase mais difícil, pois lida com os ricos.

    • Cesar Marques
      22/06/2015 at 15:53

      Ahhhh, agora entendi professor. Não tinha me atentado de que o senhor estava se referindo a fases históricas. Sem dúvida, olhando para a Justiça do Brasil dos anos 70 e 80 e comparando com a Justiça de 2010 até 2015, muita coisa se modificou nesse setor.

      Obrigado pelo esclarecimento.

    • ghiraldelli
      22/06/2015 at 18:52

      Cesar você não entendeu nada! A operação Lava Jato NÃO tem que prender quem está prendendo, cacete! Você queria o que? Ela precisava prender os corruptores para chegar nos corrompidos. No fio seguido os corruptores são os empresários. Putz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *