Go to ...

on YouTubeRSS Feed

25/09/2018

O bolsonarista pode ser boa pessoa?


[Artigo indicado para o público em geral]

Era vizinho meu. Boa gente, eu dizia. Gostava de animais e ajudava em tudo. Mas era malufista. Acho que foi por volta de 1993 isso, quando o Paulo Francisco era pequeno e eu morava em Bauru, trabalhando numas das Unesps da vida, das quais saí e entrei acho que quase uma dezena de vezes. Pois é, tive um vizinho meu amigo e… malufista!

Mas se dar bem com ele não era difícil. Era só evitar alimentar as conversas sobre “rota na rua”, “pena de morte”, “estupra mas não mata”, “não sou efeminado” e outros tópicos que Maluf vociferava. Ele, esse meu vizinho, jamais iria bater num gay ou realmente fazer uma atrocidade. Apenas engolia a lenga lenga da direita. Creio que via muito programa de rádio! As rádios sempre foram mais conservadoras, daí a mentalidade do taxista! Como disso, meu vizinho era boa gente.

Há bolsonarista assim, hoje? O herdeiro de Maluf, hoje, é Bolsonaro. Militar que nunca entrou num combate e que fala bobagens pelos cotovelos: “mulher deve ganhar menos”, “meus filhos não frequentam ambiente de preto”, “dei uma fraquejada e tive filha mulher”, “os governos militares eram bons” etc. Bolsonaro tem uma faceta mais horrível que Maluf que é o racismo explícito. Mas é a extrema direita, a mesma direitona brucutu. Despreparado, incapaz de falar sobre qualquer assunto que um governante precisa saber falar. Maluf também era assim, mas como ocupou cargo executivo, até podia participar de algum debate. Bolsonaro nem isso pode. E mais uma semelhança entre ambos: inimigos de Lula, ambos o apoiaram em algum momento, quando interessou. Ah, mais uma semelhança: ambos foram zero à esquerda como deputados.

Mas, hoje, dá para conviver com o bolsonarista como foi possível conviver com o malufista?

Entender que o voto nem sempre representa de todo uma pessoa é um segredo para viver em democracia. O voto tem muito do auto-engano desejado. É preciso saber o que significa auto-engano, e disso tirar ensinamentos. Quando alguém diz que vota no Bolsonaro, nem sempre essa pessoa é racista como ele. Talvez nem burrão como ele. Talvez apenas esteja querendo se enganar. Muita gente precisa se enganar para viver. Aliás, Nietzsche nos alertou para isso: “quanto de verdade suporta um homem?” Muita gente precisa sentir o alívio de que as coisas podem se resolver, que “tudo vai dar certo”, sem que existam mais sacrifícios. Então, todo candidato que diz que resolve as coisas “no tapa”, falando bravatas, pode muito bem, em determinado momento, ser o escolhido por aqueles que estão com a alma cansada.

A alma cansada é uma doença que atinge todos nós. Até as pessoas mais sábias podem chegar um dia, sentar no sofá de casa, e dizer: “Esse Congresso só discute e não resolve”, “esses ministros do STF só discursam e não resolvem”; “esses políticos são os merdas” etc. Todos nós podemos, em algum momento, apelar para infantilidades para, enfim, não ter que ouvir aquilo que sabemos bem: a vida é para adultos, e ela é complexa. Não existe nenhuma solução para os problemas que se resolva pela decisão de um berro presidencial. Mas acreditar que um homem que faz bravatas pode ser um bom governante é alguma coisa que todos nós acreditamos quando a alma está cansada. Surge nessa hora o alimento do descanso, chamado auto-engano. São mentiras para nós mesmos, que contamos para nossos próprios ouvidos e, com isso, respiramos após o Jornal Nacional, pegamos um fôlego para ver a novela.

Foi por essa capacidade de falar bravatas que Lula se elegeu. Não à toa, muitos eleitores de Lula foram também eleitores de Maluf. Não à toa, também, muitos eleitores de Bolsonaro podem ser eleitores de Lula. Claro que Lula é inteligente e Bolsonaro é um estúpido. Mas a ideia de agir como “mito”, ou seja, como alguém que tem uma “aura” e, por isso, pode não aparecer em debates, alguém que fica bom quando calado e melhor ainda quando deixa alguns gestos rompantes correrem por aí, pega todo tipo que, por um momento, tem a alma cansada. A alma cansada torna a mente inapta. Só o auto-engano traz o mundo de volta para a infância, quando palavras mágicas, autoritárias, resolviam tudo. “Abracadabra”.

Você nota a alma cansada, a mente que não suporta pensar, quando você faz uma crítica ao Bolsonaro e o que se diz adepto dele escreve em baixo, mecanicamente: “Bolsonaro2018”. É como que um “abracadabra”. É uma frase mágica que diz: “pronto, me livrei de ter de pensar”, “me livrei desse opositor”, “me livrei dos que querem cansar ainda mais minha alma”. Crianças tapam as orelhas quando ficam irritadas com alguma sugestão mais complexa. Elas tapam orelhas e começam a cantar. O bolsonarista faz isso, ele canta “Bolsonaro2018”. Com isso, o mundo se cala. Tudo volta a ser simples. O autoritarismo e a burrice são simples.  E a ideologia do simples, hoje, está em todas as revistas e jornais. Mas o simples é sempre simplório.

É simplório, também, entrar pela via dos petistas por aí, que reduzem tudo a “fascismo” e “discurso de ódio”. Isso também é uma forma de descanso da alma. Auto-engano. Sabemos disso.

Paulo Ghiraldelli Jr., 60, filósofo

Tags: , , ,

23 Responses “O bolsonarista pode ser boa pessoa?”

  1. LMC
    14/05/2018 at 13:23

    Ih,PG.Leninista não sou,mesmo-sou
    mais Obamista,Clintonista,Hillarysta
    e Anti-Trump,Reagan e Bush.

    • 14/05/2018 at 14:43

      Então deveria ver Obama conversando e fazendo política.

  2. LMC
    14/05/2018 at 11:28

    Pelo jeito,Ciro vai ser um Lula
    sem barba.Diz que Lula é um
    preso político e recebe apoio
    de empresários governistas
    e Sarneys da vida.

    • 14/05/2018 at 11:54

      LMC será mesmo que você entende o que é política? Será que você não é, no fundo, um leninista doido?

  3. Matheus
    10/05/2018 at 13:36

    Verdade Paulo, pharmakon é o remédio-veneno…

    Parece que a filosofia é isso mesmo se embriagar de cicuta até encontrar a cura pela dor

    O engraçado é que é possível rir de toda a dor

    Se não fosse possível estaríamos , não na desgraça, mas de fato, na miséria

  4. LMC
    10/05/2018 at 11:58

    Maluf não tem mais nada a ver
    com Bolsonazi.O PP do Maluf
    pode apoiar o Ciro Gomes.Tá no
    Estadão de hoje.E tem palermas
    que acham Ciro de esquerda(???).

    • 10/05/2018 at 14:56

      Ciro é de esquerda. Esquerda e direita são posições relativas. Até um ginasiano sabe isso. Os apoios são outra coisa meu caro brizolista.

  5. Joao Bosco
    10/05/2018 at 06:08

    A pessoa do auto completar parece entender, parece pensar, o bolsonarista nao faz questao nem de manter as aparencias.

  6. Joao Bosco
    10/05/2018 at 06:07

    Lembrei da tecla auto completar que seu psicanalista falou, porem a pessoa do auto completar parece que pensa ate a pagina dois, tem uma lista de pre pensamentos que ele auto completa, o bolsonarista esta um degrau abaixo do auto completar, ele so sabe latir como um pit bull.

  7. Luiz Sângelo
    09/05/2018 at 23:04

    Refletindo sobre o texto com um amigo:

    Direita é um espectro cujas nuances se modificam com o tempo, assim como esquerda. Bolsonaro representa apenas uma nuance da direita. Surgiu como o salvador que tem pulso diante de toda a calamidade etica, política, econômica e social que vivemos. Acredito que a maior parte dos seus eleitores são bons cidadãos comuns que querem uma solução rápida e, talvez, mágica para resolver os nossos problemas mais emergenciais – como diz o texto, Bolsonaro2018 funcionaria como a palavra abracadabra. Não querem pensar porque não é mais tempo de pensar, mas de agir. Esse é o ambiente fértil do qual brotam figuras monstruosas como Bolsonaro e faz crescer pensamentos tão pequenos. Não se enxerga mais a patologia do seu comportamento, das suas ideias, do seu preconceito, da sua maldadezinha irônica e satisfeita. E esse ambiente também foi culpa do PT, da ambição idiota de muitas de suas lideranças, da sua arrogância em não pedir nem desculpa e se envergonhar por entrar no jogo já existente.
    A esquerda também já fabricou seus monstros. É por isso que, mesmo que tenhamos uma inclinação política, a análise nunca deve ser a priori. Pessoas como essas jamais nos mostrarão caminho algum, principalmente no caos.

  8. Thiago Leite
    09/05/2018 at 22:41

    O texto é bom e destrincha bem a doença do auto-engano e coloca bolsonaristas e petistas no mesmo plano. Porém não vi nenhuma medicina da alma no texto.O leitor lê o diagnóstico mas não vê a filosofia oferecendo o remédio. Agente vai ficar só com o diagnóstico mesmo?

    • 09/05/2018 at 22:59

      Thiago você tem certeza que quer remédio é? Não conhece o significado do Pharmakon, a remédio da filosofia? Outra coisa, o mundo não se divide em petistas e bolsonarista, portanto, o mundo não precisa de remédio.

  9. Dedé
    09/05/2018 at 17:13

    Por favor, me corrija se eu estiver errado e me agracie com a sua sapiência. Pela leitura do texto, concluí que das duas, uma: ou o eleitor do Bolsonaro é um auto-enganado, se comportando como uma criança que não quer ver algo desagradável, ou é um completo energúmeno racista, sexista e quejandos. Algo análogo acontece com os eleitores do Lula. Pois bem, eis um questionamento: Existe outra maneira de fazer política no Brasil que não seja através de bravatas de fácil entendimento para uma massa desescolarizada? É possível se fazer ouvir sem recorrer para a apelação a sentimentos infantis da população?

    • 09/05/2018 at 19:07

      Dedé o eleitor de Bolsonaro é minoria, não é dono da política. O eleitor do Lula está em transição.

  10. Anderson Silva
    09/05/2018 at 16:28

    É o “BONLSONARO2018” está mais violento e insuportável do que “O rouba mais ‘faiz'”. ……

  11. Tony Bocão
    09/05/2018 at 16:27

    E pior, acho até que o próprio Bolsonaro acredita no Bolsonaro. O expediente presidencial dele será: acordar , gargarejo porque vai resolver tudo do grito, cantar o hino e ir para o planalto gritar. Ontem mesmo vi uma cena ridícula na padaria, um cara gritando alto e assustando todo mundo para um outro cara que estava estacionando errado em fila dupla. “É PARA VOCÊ JAIR SE ACOSTUMANDO, BOLSO2018, NUNCA MAIS VAI ESTACIONAR ASSIM…” eu senti tanta vergonha pela cena que até perdoei o outro mal educado. lendo o seu texto, eu entendo que é uma mente cansada, coitado deste quando acordar, suportará a verdade ?

  12. Thiago
    09/05/2018 at 13:18

    Qual a saída pra não ser um cansado da vida?

    • 09/05/2018 at 19:09

      Eu não falei em cansado da vida, falei de alma. Sabe como é?

  13. LMC
    09/05/2018 at 11:41

    O mais interessante é que só
    falam do Maluf-talvez por
    causa da picuinha do Estadão
    contra ele-e esquecem do
    Paulo Egídio,Laudo Natel,etc.
    É igual aquele Jornal da Cultura,
    onde os comentaristas criticam
    todo mundo….menos o PSDB.kkkk

    • 09/05/2018 at 12:37

      Acorda Marcelo, acorda! Começa a pensar no que escreve.

  14. LMC
    09/05/2018 at 10:48

    Tem outra frase bem malufista,
    aquela que “Brizola entregou o
    RJ aos bandidos”.Mas a violência
    no RJ já existia antes dele ser
    Governador.Pouco importa isso
    pros bolsonaristas.É esquerda?
    É porrada!!!

    • 09/05/2018 at 10:59

      Foi uma frase verdadeira de Maluf, meu caro brizolista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *