Go to ...

Paulo Ghiraldelli on YouTubeRSS Feed

27/06/2017

Meninos obsessivos da direita jornalística


Dizem os críticos de TV que o mal da Rede Globo não é começar, é não saber parar. Quando obtém sucesso de público, ela esgota a fórmula. Enquanto não mata a galinha dos ovos de ouro, não sossega. Instituições obsessivas são parecidas com pessoas obsessivas. A diferença é que algo como a Globo, uma empresa, pode variar infinitamente o cardápio da obsessão, conseguindo mais e mais galinhas dos ovos de ouro. Pessoas nem sempre sabem fazer isso.

O antipetismo é uma obsessão. O anti-esquerdismo atual é uma obsessão tão grande quanto foi o anticomunismo. Faz algumas pessoas encontrarem a razão de suas vidas tanto quanto ocorre com os doutrinados que combatem. Diferente de empresas e instituições, as pessoas tem vida produtiva curta, e se aprendem a lidar só com instrumentos que servem em uma obsessão, elas podem ser descartadas tão logo o objeto de atenção não importe mais. Os pais do menino Demétrio Magnoli estão menos preocupados que os pais do menino Pondé, e os pais do moleque Reinaldo de Azevedo estariam mais preocupados que os pais do Lobão, caso este não tivesse matados os seus. Essa garotada vem se dedicando ao PT, ao combate ao PT, e o tempo vem passando e eles, ao se profissionalizarem nisso, já mostram que não sabem fazer outra coisa. Sabem?

O PT está no fim e a esquerda nada tem mais de comunista, aliás, mesmo a linha social democrata está passando por profunda mudança. Sintomas disso na Europa é o modo como leitores de Peter Sloterdijk já há algum tempo tem elevado o solidarismo timótico à condição de elemento válido na plataforma política. Sintomas disso no Brasil é o modo como Luiz Eduardo Soares criticou o PT na última eleição, em artigo para a Folha de S. Paulo. A agenda desse tipo de pensador, um lá outro cá, incorpora elementos que não servem mais a nenhuma esquerda que ficou no PT, aliás, não servem mais a qualquer esquerda hoje delimitada na mentalidade desses obsessivos pró ou contra. Não há aí anti-americanismo nem apelo à ideia única de que ou o estado cobra imposto para tomar dos ricos e dar aos pobres ou então não há o que fazer. Assim, quando o PT acabar como já acabou, desde o fim da URSS, a esquerda contra a qual os meninos e moleques se profissionalizaram, o que eles farão? Na crise de desemprego da imprensa, sobreviverão? Vão bater nas portas das escolas para “dar umas aulas”? Bem, alguns deles são ricos, podem aposentar e ficar tentando escrever manuais para participar do programa Master Chef.

Poderão se dedicar aqui e ali a atacar então qualquer tipo de minoria, atacar direitos civis e humanitarismos, tenderão a escapar para o ataque contra a proposta do “mundo melhor”. Mas esse tipo de saída é limitada. O que os faz sobreviver é a agenda de ódio ao PT. Terão substitutos para dirigir o ódio? Sem o PT e tendo a esquerda uma agenda que pode até incorporar engenharia genética em favor de melhoria da vida, de um lado, e política industrial com considerações climáticas, de outro, como sobreviverão os obsessivos antipetistas? Terão tempo para saber o que podem atacar no sentido de “dar ibope”? Eles se deslocarão todos contra a filosofia do anticultivo do descarte, que o professor argentino Bergoglio desenvolve? Terão coragem de enfrentar o renovado pensamento social cristão, que volta às igrejas e faz os católicos sentirem orgulho de serem católicos? Essa será a saída? Os pais de Reinaldo de Azevedo acham que pode ser por aí a salvação do moleque. Mas será que rende artigo contra o Papa? Quantos? Tantos quantos ele fez contra o PT? Ah, mas o Papa não tem um Zé Dirceu para produzir fato novo de roubo velho todo dia. Fica difícil.

Penso que os garotos da obsessão podem logo começar a ter seus shows cancelados, como vem ocorrendo com o Lobão. Nenhum deles é Carlos Lacerda ou Paulo Francis, não possuem talento daquele tipo, inclusive porque, diferente daqueles, escrevem sobre o que não leem. Eles não demonstraram até agora que possuem cultura e inteligência para se reinventarem. Fumaram demais o cachimbo que entorta a boca. Por nenhum texto até agora produzido conseguiram mostrar que sabem fazer diferente do que já estão fazendo, inclusive o esquema mental deles é repetitivo e meio simplório. É sim algo de preocupar os pais dessa garotada, e eles estão de orelha em pé.

Paulo Ghiraldelli, 57, filósofo.

Post Scriptum:  Creio que o leitor sabe que não escrevi os artigos para os citados. Aliás, poderia ter escrito usando outros nomes brasileiros de direita. Escrevi esse artigo para o estudante que quer se tornar um escritor, um articulista etc. Temo que essa fórmula fácil usada por esses que citei, e os do tipo deles (e não pense que isso não existe à esquerda, é uma questão de momento esses aí serem de direita), é o que não se deve fazer. Bem, se os estudantes forem avisados disso, alguma coisa melhor teremos no futuro. Ôps! Para estes aí citados, não se pode querer “um mundo melhor”!

Tags: , , , ,

7 Responses “Meninos obsessivos da direita jornalística”

  1. noNatuss
    14/08/2015 at 01:04

    Você viu? O líder da CUT conclamou a sair às ruas armados para defender a Dilma. E agora?

    • ghiraldelli
      14/08/2015 at 09:51

      JRenegado, às vezes eu fico com um pouco de dó de gente como você, que não consegue refletir sobre o que lê e nem mesmo espera a segunda frase da notícia que lê.

  2. José Silva
    11/08/2015 at 09:50

    Aposto um doce que esse pessoal, Reinaldo Azevedo, Lobão, Marco Antonio Villa e afins votam PT de cabo a rabo nas eleições.

  3. Matheus Kortz
    09/08/2015 at 08:13

    Que vergonha, todos velhos e crescidos e os pais têm que continuar dando atenção… mas tem mesmo, essa necessidade toda de querer aparecer, nem que seja sobre a merda que “os outros fizeram” (leia-se PT) só pode decorrer da não-atenção dispensada pelos pais na infância…

    • ghiraldelli
      09/08/2015 at 10:46

      E a ideia dos pais, vinda do dia dos pais, é porque são meninos que podem ficar sem ter o que fazer, dado que fizeram um colégio de uma nota só.

  4. Maximiliano J. Paim
    08/08/2015 at 20:28

    E o Pondé, doutor professor? Respondeu já alguma estocada que destes neste ano? Ou ele se omite porque não tem capacidade para isso?

    • ghiraldelli
      09/08/2015 at 10:46

      Pondé parece que mentiu demais a si mesmo, acho que se convenceu de que sabe alguma coisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *