Go to ...

Paulo Ghiraldelli on YouTubeRSS Feed

01/05/2017

Nota de falecimento de um partido


Um partido também morre. Nem tudo precisa ir para o cemitério, uma vez morto. 

POLÍTICA. Fui do MDB e do PMDB. Fui do diretório do PT entre 1989 e 1992. Foi o suficiente para saber que aquilo não iria virar algo bom, se é que, na época, já não era algo de bandidos, ao menos na cúpula. Todo esquema de neoleninismo já estava montado. Cada decisão tomada em voto aberto, nos diretórios, quando levada para as reuniões gerais do PT, em nível maior, eram desobedecidas. Os delegados que iam, mesmo sendo honestos, lá nas reuniões maiores votavam com a Articulação, tendência de José Dirceu, e de Lula. Eram convencidos e “convencidos”. Vi isso e então notei que talvez o próprio MDB velho ou o PMDB que o sucedeu fossem até melhores. Deixei o diretório. Saí da política de vez. A última vez que votei foi em 1989. Em Lula. Nunca mais votei. Para continuar um democrata, tive de abrir mão de escolher entre bandidos e bandidões. Paulo Ghiraldelli

Tags: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

About Paulo Ghiraldelli

Filósofo