Go to ...

on YouTubeRSS Feed

18/11/2017

Eu e o PT. Devo explicação aos meus leitores?


Cunha é o meu malvado favorito – Roberto Jefferson

Talvez eu deva sim uma explicação aos meus leitores. Afinal, estou há mais de trinta anos produzindo filosofia e sou bibliografia de concursos etc. Um filósofo tem de dizer de suas preferências políticas, para além de grandes tendências, falando de questões partidárias – não tem? Hoje talvez seja um bom dia para agir assim.

Sempre estive no campo liberal e das esquerdas. Nunca criei oposição entre esses dois campos. Quando garoto fui da juventude do MDB e depois PMDB, isso ainda durante o regime militar. Mas quando o PMDB caiu nas mãos de Quércia, eu já havia saído. Passei por curto período em diretório do PT, creio que menos de um ano, entre a eleição de 1989 e o anos de 1990. Deixei o PT porque logo vi que não havia democracia interna nenhuma, era uma farsa. Dali para diante não tive mais militância partidária. Aliás, sequer voltei a votar. Inclusive, me abri mais para o campo liberal, ainda que com um olho na esquerda. O Brasil é um país que tem demandas sociais que só a esquerda põe na pauta.

Sendo assim, saí do PT antes que grandes astros do partido saíssem, como Weffort, Hélio Bicudo e Plínio Sampaio. Eram os não radicalmente marxistas do partido. Foram os que buscaram de toda forma fazer a esquerda gostar da democracia liberal. Mas, antes de tudo, eram pessoas – e no caso dos dois primeiros ainda são – que sempre preferiram antes a honestidade que a posição de esquerda. Quando eles saíram, apenas deram aval para a decisão que, muito antes, eu já havia tomado.

Quando do início do mensalão, meu desencanto foi de fato grande. Quando do petrolão, como Moro, eu me espantei é com os valores. Tive de dar o braço a torcer: de fato houve estelionato eleitoral. Já estava ocorrendo faz tempo. O mensalão e a corrupção do petrolão e outras fizeram do PT uma agremiação forte pelo dinheiro, não por doutrina ou gosto popular. Assim, dado a proporção que isso tomou, o Impeachment agora é necessário. É um processo político e o PT e Lula vão pagar por erros políticos. Qual o principal? Um que ninguém paga: corrupção na política. Criaram ódio nacional contra eles, e a oposição, mesmo não sendo santa, muito pelo contrário, virou algo como o “bandido favorito” de Roberto Jefferson. Vai ser o carrasco do PT. Povo nenhum gosta de carrascos. Mas povo nenhum vive sem eles. Eles fazem o serviço sujo da limpeza possível. Provocam catarse.

As esquerdas aprenderão a lição e ficarão honestas? Não! Continuarão nessa toada, ainda durante muito tempo. Aprenderam a fazer política com a direita, inclusive com a ditadura militar, e pegaram vícios. Trouxeram PMDB e PP para o governo, ficaram até mais corruptos que eles, e agora vão ter que deixar só eles roubarem. Talvez não por muito tempo. Moro não parece estar cansado.

Eu? Ora, eu não vou ceder à chantagem de PT e esquerda nenhuma para ficar a favor do governo Dilma. De modo algum, minha paciência para gente dogmática e desonesta é zero, especialmente de esquerda, uma vez que da direita não cobro nada e nem espero nada. O PT perdeu o direito de pedir qualquer coisa, talvez até de existir.

Paulo Ghiraldelli, 58, filósofo

Tchau Querida

Tags: , , , ,

13 Responses “Eu e o PT. Devo explicação aos meus leitores?”

  1. Pedro
    18/04/2016 at 11:29

    Paulo, acredita que depois de derrubarem a Dilma, vão tentar impedir um eventual governo Temer também?

    • 18/04/2016 at 21:23

      Dilma já foi, e Temer tem menos apoio popular que ela.

  2. Luis
    17/04/2016 at 20:59

    Ghiraldelli, eu vou ser bem honesto com você. Eu te achava um baita ignorante (no pior sentido da palavra mesmo), mas nesse seu post eu pude ver que você não é tão cego assim. Eu imaginava que você fosse, apesar de um professor, alguém que não detém poder de raciocínio crítico nenhum, mas parece que você até consegue discernir algumas coisas. Parabéns.

    • 17/04/2016 at 23:06

      Luís, você é o ignorante. Ou seja, bastou em criticar um pouquinho o PT e você veio lamber meu pé. Viu como é fácil pegar gente burra? Gente sem formação, que só geme na cantaria da política. É você. Dá até um pouco de dó.

  3. Guilherme Picolo
    17/04/2016 at 12:14

    Num país em que mais da metade não tem sequer saneamento básico (o termo “saneamento básico” já diz tudo, sem carecer de explicações adicionais), a classe política parece viver numa bolha ou num mundo de fantasia. O que pode sobrar desse processo de degradação política, senão anos de retrocesso?

  4. Kaio
    17/04/2016 at 11:56

    Receio que nossa Jovem democracia esteja hoje em risco.

    Sou contra o golpe.

    • 17/04/2016 at 12:50

      Kaio, é gozado como você realmente parece petista, pode ler e não consegue aprender o que lê. Essa era a característica da direita, agora é também da esquerda.

  5. Alexandre
    17/04/2016 at 10:55

    1.7%, no máximo 2.0% do PIB foram destinados às políticas sociais. Ocorrendo a saída da mulher, qualquer um que vier manterá essa porcentagem por ser irrisória e não acabar com ela, pois isso seria um custo sócio-político muito grande.

  6. Kaio
    17/04/2016 at 09:03

    Fico preocupado com as pessoas que dependem de programas como o Bolsa Família, etc. Não sei se o povo está feliz com esse impiachment, acho que o povo está muito triste com a situação da política brasileira. Infelizmente as pessoas são despolitizadas e não querem participar de nada.

    • 17/04/2016 at 09:33

      Kaio, você acha que PT está preocupado com qualquer programa social, diante do que roubaram?

    • Gustavo Marinho
      17/04/2016 at 10:07

      Certamente, não. O único Norte do PT, durante todo o processo de maturação e consequente eclosão do projeto de Poder, foi apenas apenas conquistar e não largar mais, a mais alta posição executiva do serviço público, no país. Fico feliz em perceber que ainda existe (ainda que raramente demonstrada) vida inteligente do lado da Esquerda, que não se deixa levar pelo discurso sentimentaloide, cínico e vitimista do PT. Sou opositor da Esquerda, nos campos econômico e político, mas nunca oponho-me à inteligência, venha de onde vier. Belo texto, Paulo.

    • 17/04/2016 at 10:14

      Gustavo, filósofo não pode ser de direita ou esquerda. A filosofia é anterior a isso e obriga a disciplina mental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *