Go to ...

Paulo Ghiraldelli on YouTubeRSS Feed

24/03/2017

A gaiola do intelectual carente


Midiagogos é intelectual que fica como papagaio em jornais televisivos. Outro dia, um desses midiagogos mandou-me por e-mail a seguinte pérola originalíssima: “a unanimidade é burra”. Meu Deus, nunca vi tanta sabedoria! Um guru! Toda vez que alguém usa de frase cliché a coisa vai mal, mas quando a frase é esta, então, não há mais fundo no fundo do poço. 

Unanimidade não existe nem em sociedade primitiva. Durkheim teve que idealizá-la para falar em “solidariedade mecânica”, dada por crenças comuns e exclusivas. Desse modo, sempre quando alguém busca ser diferente, e está obtendo seguidores, justamente por permanecer na mídia de massa, deveria desconfiar que o que está fazendo é alcançar a unanimidade de claque. Vejo o conservador olhar para o público seguidor e dizer: “sou rebelde e falo o que muitos elogiam”. Não percebe que, se muitos elogiam, fala para a unanimidade de um grupo que, enfim, estava esperando aparecer alguém para ocupar o espaço deixado para o tipo conservador. Há sempre espaço bem delimitado na mídia para quem não pensa e diz “pensar com a própria cabeça”. O mais interessante é ver que o midiagogo não percebe que é o seu público que está dirigindo todas as suas palavras, como se estivesse ditando para ele o que ele escreve.

Pensar a partir do ímpeto interior – o daimon – sem estar recebendo ordens da sua própria carência, que leva todos a agradar determinado público que vem lhe dando ouvidos e até dinheiro, é algo dos filósofos. Não é para midiagogo, o que se põe falar travestido de intelectual.

Estou criando problema para o midiagogo? O que falo é um nhé nhé nhé? Sou um chato? Quem diz isso é porque acha que é fácil ser filósofo, que filosofia é um “falar qualquer coisa” , que é “ser de esquerda” ou, agora, “ser de direita”. Mas filosofia não é fácil. Quando o filósofo consegue sucesso de mídia, acreditem, ele está errando, talvez já tenha abandonado a filosofia. A mídia sobrevive da venda do entretenimento. Pode ser o entretenimento fantasiado de jornalismo, mas é entretenimento e é algo que se vende. Destoar de grupos hegemônicos e permanecer na mídia é impossível. Por isso, os bons filósofos autênticos sabem que suas incursões na mídia são esporádicas e experimentais. A indústria do entretenimento exige bom mocismo, cabeça baixa, e se deixa alguém posar de rebeldinho, é pelo fato de ter montado um lugar para o rebeldinho oficial. É muito esquisito ver midiagogo achando que ele está na mídia como crítico. Não está. Está exatamente na medida que critica um lado para cair nos braços do outro. E isso por uma razão até que simples de ser perceber: o conceito de verdade da mídia e o conceito da balança, e não a noção pela qual a verdade vem pela investigação.

Tenho insistido nisso com meus alunos de filosofia. Principalmente agora, que a mídia vive buscando gente com alguma formação para trabalhar de graça, não tendo assim que pagar jornalistas. Tenho alertado para a armadilha da carência, ou seja, aquela busca que temos, e que pega o midiagogo,  de ter de falar o que a claque quer, e então ocupar o lugar, nunca filosófico, de ser o gurusinho oficial de determinada claque. Por isso tenho escrito muito sobre o entretenimento, sobre a mídia, sobre a indústria do entretenimento. É preciso ouvir Nanini na novela “Eta mundo bão”, dizendo “sou filósofo, não um barrigudo”. Ora, àquela altura ele estava apenas sendo barrigudo,  assinando como filósofo.

Paulo Ghiraldelli, 58, filósofo. São Paulo, 22/08/2016

Foto: A jornalista colombiana Alejandra Omaña, que ficou nua por conta de uma promessa, anunciada antes, claro, de que assim faria se o seu time do coração conseguisse ir para a primeira divisão. Ainda vamos ver professores da Unicamp ou outros fazendo isso, como midiagogos, ou seja, professores que trabalham de graça para furar olho de jornalista.

Tags: , , ,

10 Responses “A gaiola do intelectual carente”

  1. Henrique
    08/09/2016 at 11:40

    Mais eu acho que os filósofos na televisão pode ser uma forma de levar a filosofia a todas as pessoas. Não concordo com tudo que o Karnal e o Pondé diz, mais acho interessante muitas opiniões dos dois na tv.

    • 08/09/2016 at 12:14

      Henrique você acha que o que eles dizem é filosofia? Não percebe que qualquer jornalista faria melhor? Estão lá para trabalhar de graça e fazer a vontade dos políticos que os colocaram lá meu amigo.

  2. Patrícia Pillar
    23/08/2016 at 13:55

    Paulo Ghiraldelli, Quem escreveu isso? Você ou o ego? Como você sabe que foi você realmente, se nem sabe quem é? Você sabe quem é ou prefere continuar com a máscara social que lhe impuseram?

    • 23/08/2016 at 16:51

      Patrícia o fato de você sempre voltar aqui para me xingar e reclamar é para eu lhe dar atenção? sinto, mas nao posso tirar sua calça e dar palmadas na bunda como quer, nao bato em bunda de celulite. Nao volte, nao faço zoofilia.

    • 23/08/2016 at 16:56

      Patrícia Adolescente Pillar: https://youtu.be/dTvTs9E0lI0

  3. Raimundo Marinho
    23/08/2016 at 09:13

    Mestre Ghi, obrigado pelo texto.

    (…) “sou filósofo, não um barrigudo”, putz !!!
    Desculpe mestre, mas não tem como não lembrar do Pondé, pelo seu texto e pela pança do “filósofo da cuRtura”.

    Raimundo Marinho

    • 23/08/2016 at 11:38

      Nanini fez essa piada propositalmente.

    • Max Paim
      23/08/2016 at 23:10

      Oração do Pai Nosso do Pondé.

      Pão nosso que estais na prateleira
      Santificado seja o mercado
      Venha vós à minha pança
      Seja feita a minha vontade
      Assim como nós odiamos
      Os comunistas que o tem ofendido
      E não me deixeis trair o Datenão
      Mas livrai-me do Paulo (Ghiraldelli)

      Amém (doim).

  4. João Neto
    23/08/2016 at 05:03

    Rapaz! espero que o time dessa jornalista seja campeão e logo hahahahha.
    Uma delicia.
    Abc e beba água.
    J

    • LMC
      25/08/2016 at 11:32

      A conterrânea dela,a Shakira é
      muito mais gostosa,João.Abs
      e beba pinga.kkkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

About Paulo Ghiraldelli

Filósofo