Go to ...

on YouTubeRSS Feed

23/11/2017

Pequena lembrança: a felicidade do membro sexual


A felicidade do membro sexual

La estava eu cara a cara com aquela enorme e jactante vulva. Fitava-me. Chamava-me. Jurava não ser perversa, apenas pervertida. Mas eu jamais imaginei qualquer coisa ruim dela. Eu simplesmente nunca havia visto o reino do Senhor antes, em seu esplendor de glória, benevolência e promessa de acolhimento, embora eu tivesse vindo de um lugar assim.

Lábios carnudos como os de Maria Rita, que eu beijei quando tinha 13 anos, ali estava ela, a vulva de Maria Amélia. Rita na boca eu lambi quando menino. Amélia agora na boca de baixo, então jovem. Amélia jovem? Não! Eu! Amélia estava lá pelos 32. Deliciosa. Esguia e ao mesmo tempo volumosa.

Ela disse venha e eu fui. Ela estava com a cabeça enterrada na cama olhando de lado para mim, na vibrante posição dos almoços de domingo, ou seja, o frango assado, e seus dois grandes canais se expunham e se espumavam. Como um prédio de apartamentos. Duas janelinhas para você olhar lá de baixo, lá de fora, a morada dos avós e dos pais. Voltar para casa! Ah! Dali eu havia vindo, de algo como aquilo, e então iria agora fazer uma revisita.

Meu membro ia deslizar como casca de manga madura para dentro de goela de cachorro. Sim, eu seria o cão chupando manga. Latejando! A cabeça do meu membro em felicidade extrema se aproximou daquele portal disputado por Deus, pelo Demônio e pelo senhor dos dois, o dinheiro. Senti então um estranho prazer. Um prazer não esperado. Tão inesperado que não se parecia com nada que haviam me dito que aconteceria. Bem, então resolvi olhar.

Era uma enorme barata no meu pau, enlameada com a minha porra. Ela abraçava meu pau e estava mais nojenta e repugnante que em lixo de prefeitura. Havia saído da boceta de Maria Amélia, tendo vindo pelas portas do motel barato e sujo de Presidente Prudente.

Paulo Ghiraldelli, 57, filósofo.

PS: você quer uma “moral da história né?” Vai um aqui, infame: Em lugar barato sempre há uma barata. Moral dois: o barato não sai caro, sai barata. Moral três: Droga da barato, motel dá barata. Bem, o resto é com você.

Maria Amélia... ou quase!

Maria Amélia… ou quase!

 

 

A barata ... ou quase!

A barata … ou quase!

Tags: , ,

3 Responses “Pequena lembrança: a felicidade do membro sexual”

  1. 4F
    16/01/2015 at 14:36

    A porra da barata no meio de toda aquela porra… Não seria zoofilia a trois?

  2. 15/01/2015 at 21:17

    Boa narrativa, excitante! Mas o que aquela barata foi fazer naquele lugar, isto é, o quarto de um motelzinho barato?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *