Go to ...

Paulo Ghiraldelli on YouTubeRSS Feed

26/09/2017

Sexo com crianças é bom (ou “sexo” + “criança” = bom tema)


As crianças adoram imitar símbolos sexuais e pessoas que cantam utilizando o que alguns chamam de pornografia. As crianças possuem desejo sexual e possuem prazer libidinal desde a mais tenra idade. No entanto, quando elas mostram o seu gosto por uma cantora que remexe a bunda loucamente ou por uma bandinha que fala palavrão ou faz gestos obscenos, elas estão muito longe do sexo. O sexo entra aí por obra dos pais e moralistas de plantão (moralistas não no sentido filosófico). Eles e somente eles, esses adultos, fazem a correlação inexistente.

O mundo sexual das crianças existe, não é vazio. Freud disse isso e essa lição só não foi aprendida por quem mora em um buraco de tatu ou tem o cérebro igual ao de uma minhoca. Mas o mundo sexual da criança é um mundo que não corresponde ao que o adulto entende como sexo. A criança brinca e a brincadeira tem como barro o exagero da imaginação. Quando ela vê o comportamento corporal diferente, que o adulto toma com dança sensual ou, para alguns, obscena, ou quando ela vê a linguagem alusiva ao sexo, que o adulto pode chamar de palavrão, ela, a criança, logo percebe que estão aí armas que desarmam o adulto. Ela nota que são elementos que tiram o adulto da sua costumeira apatia. Ora, por que então não se aproveitar disso para também receber atenção?  E por que não rir disso, na hora que dá certo?

Em outras palavras: a arquitetura semântica da criança não é a do adulto.

Boneca AnitaCarla Perez e os Mamonas foram ícones infantis dos anos noventa, como agora pode uma Valesca Popozuda fazer sucesso. Xuxa e Carla Perez foram bonecas de brinquedo para crianças. Valesca Popuzuda e Anita são bonecas para as crianças. Renato Aragão cansou de fazer gestos obscenos no horário nobre da Globo e ser imitado por crianças. Com isso, esteve junto com Xuxa durante anos no cinema, fazendo filme para crianças. Se a arquitetura semântica infantil é algo particular, também suas telas de janela, para a proteção de insetos, são especiais.  A criança filtra com seus filtros.

Lembro que a Marta Suplicy esteve em um “Roda Viva” da TV Cultura, nos anos oitenta, para dizer que Xuxa sexualizava a vida infantil, e que uma tal precocidade iria trazer problemas para todas as crianças, justamente os que hoje são os adultos mais jovens que eu. Minha filha e minha esposa foram criadas vendo Xuxa. Não creio que Xuxa fez mal a elas. O que Xuxa fez de sexo com Pelé e Airton Sena não tinha nada a ver com Xuxa rebolando na TV. Pelé e Airton Sena não estavam com Xuxa “de brincadeira”, mas minha esposa e minha filha estavam. Marta Suplicy era sexóloga nesse tempo! Meu Deus! Que sorte que isso passou!

Anitta-PoderosasMas, ainda hoje, de vez em quando, surgem por aí os que querem repetir Marta na sua fase pudica, feminista e ligada aos inícios do politicamente correto. Ela própria abandonou tudo isso. A juventude abandonou tudo isso. Mas a linguagem que temos hoje ainda não espelha uma boa semântica da vida atual. Somos mais livres sexualmente, bem mais, mas nossa linguagem ainda está presa a cânones de um moralismo anterior ao dos anos oitenta. Fazemos uma coisa, mas a descrevemos de modo diferente, às vezes até para nós mesmos. Então, não raro, algumas pessoas que olham o sexo e as crianças, ou o sexo e a juventude, hoje, enganadas pela linguagem, se deixam levar por essa defasagem semântica e acabam prevendo práticas e crimes que não ocorrem.

Notamos isso no combate hoje exagerado ao que chamam por aí, erradamente, de “pedofilia”. A violência contra a criança é tomada como sexual, e o que às vezes nem abuso é, acaba pode se denominado de “pedofilia”, palavra que na letra da lei não expressa crime, mas que é tomada como crime e pecado pelos adultos pouco reflexivos. A culpa de tudo isso? Para as vozes da ignorância que predominam hoje em dia na mídia, muita coisa vem de algo parecido com o que Marta Suplicy dizia no passado: sexualização precoce. Vem também, para essas mesmas pessoas, do que ela não dizia, mas que é dito pelos pastores ridículos atuais: a taradização do mundo. Nunca houve tantos tarados como há hoje, dizem. Uma bobagem em termos de estatísticas. Todo adulto que encosta a mão em uma criança hoje é “pedófilo”! E isso só tende a ser retroalimentado. Claro! Hoje, pela lei, nem a professora pode segurar uma criança em uma briga ou limpá-la quando ela vai ao banheiro. Pois o corpo da criança ficou intocável de um modo irracional. Assim, qualquer toque é algo do “abuso sexual”, algo do “pedófilo”, não mais da necessidade pedagógica e do cuidado.

De um lado, as crianças são protegidas de algo que elas não sabem o que é, pois elas nãoAnita olham para o sexo como problema – e não é mesmo! Por outro lado, os adultos são postos todos como criminosos, porque a linguagem sobre a infância, o corpo e o sexo tem ido por um caminho errado, de moralismo barato e de completa falta de reflexão menos carola. O resultado disso é uma esquizofrenia total da sociedade. O sexo deixa de ser prazer e pecado e se torna crime. É o pior dos mundos.

Esse mundo que vivemos tem de acabar. Uma revolução na linguagem, capaz de incorporar o que já é feito na nossa prática comportamental, é necessária. Psicólogas pudicas, pastores hipócritas e colunistas que ligam sexo à posição política, não sabem de nada. Como não querem aprender, deveriam ficar calados.

Da minha parte, ou seja, da parte do filósofo que não é celibatário nem pudico e muito menos um boboca ou um babaca, o esforço é no sentido de conversarmos sobre nossas práticas comportamentais, inclusive a do sexo, sem que tenhamos de dar voltas e mais voltas, sem que tenhamos que mentir demais. A mentira em exagero cria uma verdade. Essa verdade não ajuda em nada, não vamos ser mais felizes por causa dela.

Paulo Ghiraldelli, 56, filósofo, autor de A filosofia como crítica da cultura (Cortez)

Post Scriptum:

PEDOFILIA NÃO é crime. As pessoas confundem, não sabem a lei. O abusador de crianças comete crime. Na nossa legislação a pedofilia é caracterizada como doença – corretamente. Até porque o pedófilo raramente é abusador sexual. Os abusadores sexuais raramente são pedófilos. Distinguir isso é um sinal de ter uma escolarização boa, não distinguir é sinal de desconhecimento do Código Penal, que está na net. Ou seja, é burrice.

Post Scriptum 2: estou adorando a direita rebelde, filha do Pondé, reagindo igual a direita olavista ao texto. Não entende e grita, xinga. É divertido!

Aproveitem e vejam: “SEXO COM CRIANÇAS” novamente

Para os que demonstraram ter dificuldade com as letras, fiz áudio visual. Veja se agora dá! PEDOFILIA EXPLICADA https://youtu.be/J6zhqKYg5Hg

Post Scriptum 3: Caso você seja daqueles que só lê o título, e não tem traquejo com a língua, pode entender o título assim: “tema sexo” + “tema criança” é bom de discutir. Agora dá? Ou nem assim?

 

Tags: , , , , , , , , , , , ,

430 Responses “Sexo com crianças é bom (ou “sexo” + “criança” = bom tema)”

  1. 25/07/2017 at 18:51

    É mesmo um texto que passeia no limiar para não se assumir defensor da pedofilia, com mil argumentações intelectualoides para defender a atração sexual velada por crianças e sua sexualizaçao precoce.

    • 26/07/2017 at 00:15

      Camila fiquei com dó de você, não consegue entender um texto simples.

  2. JORDAN
    28/11/2016 at 17:31

    SEXO COM CRIANÇAS É MUITO BOM !!

    • Mary
      07/06/2017 at 03:21

      Aff você é doente Jordan!!! Mas discordo que mereça tratamento, a não ser o tratamento da “bala”na sua cabeça!

    • 09/09/2017 at 17:23

      Oi tenho 12 anos eu quero perder minha virgindade

    • 09/09/2017 at 20:59

      Camila, obedece a lei e espere!

  3. felipe souza
    05/02/2016 at 12:15

    Paulo do jeito que o mundo ta eu não duvido que a pedofilia se torne algo normal, isso é horrivel. Eu entendi seu texto porem não concordo na parte de criança faxer troca troca ou meninasse deitar com menino pq idso pode se tornar algo repetitivo e ir ate uma gravidez logo cedo!!! Abraço

    • 05/02/2016 at 12:25

      Felipe toda criança é assim, se você não foi, pulou uma etapa e isso terá consequências, se é que já não teve.

  4. Erik
    16/01/2016 at 00:06

    O mundo seria um lugar melhor se as pessoas lessem as coisas antes de julgá-las. E entendessem. Não tem nenhum incentivo a pedofilia como o Rodrigo Constantino deu a entender. E olha que quando li o título, achei que pela primeira vez iria concordar com o Bostantino

  5. Lucas Emmanuel
    29/06/2015 at 18:54

    Muito bom!
    Para os direitistas de plantão que só leem o titulo e saem falando, aquele abraço!

    • Zeca
      06/11/2015 at 16:56

      Não, ele não se afirma diretamente como pedófilo através de suas colocações, mas o texto deixa a intenção do autor muito obscura e confusa. Ele diz que não deveria existir pedofilia como crime mas sim violência contra criança como crime, mas no momento em que ele afirma que o combate a “pedofilia” (e ainda por cima entre aspas) é um exagero vai por água abaixo a sua falsa, suposta preocupação com o bem-estar da criança, pois pra ele pedofilia é apenas uma questão de semântica, por que não se dizer que o combate a pedofilia é um exagero? Apenas mais uma forma de se reprimir os desejos de um adulto por uma criança? Não precisa ser nenhum gênio pra saber que proteção a criança, combate a pedofilia existe para defender crianças que sofreram grave violência e abuso e de nada tem haver com “politicamente correto” e não poder interagir com crianças como ele afirma no texto.

    • 06/11/2015 at 17:04

      Zeca infelizmente você não entende mesmo um texto simples como o meu. Não tente mais. Pedofilia é doença, não é crime, crime é o abuso sexual. Se você criminaliza doenças, você não poderá tratar ninguém, entende? Não, não entende. ô cara burro.

  6. paulo
    17/04/2015 at 09:09

    Só agora tive contato com sua coluna através desse texto de há quase 1 ano. Confesso que fiquei bastante bem impressionado! (ironicamente, cheguei aqui através de um texto pavoroso, esculhambando vc). Poucos tem coragem de defender abertamente que exista uma sexualidade própria nas crianças. Agora, diferentemente do que apreendi do seu texto, acredito que realmente exista um lado perigoso de tentar “adultizar” esse aspecto, como as roupas adultas e saltos altosque as deixam parecidas com mini-prostitutas, participação em concursos de belezas etc, etc. Mas, concordo nas três instâncias com você quando diz que esse negócio de pedofilia está chegando a um nível de histeria!

    • 17/04/2015 at 09:30

      Baerficker! A “adultização” é seguida por regras no Brasil, inclusive disposições legais. Não é coisa pela qual se deva preocupar tanto, ao menos não no âmbito da normalidade familiar. Agora, confesso que eu pisei na bola no caso Maísa. Na época das polêmica com ela eu fui a favor do seu trabalho na TV. Mas a extrapolação ocorreu e quando ela se afastou o dano já havia ocorrido. Não por conta dessa coisa “moralistóide” da pequena prostituta, no qual você caiu e vai cair ainda (mas vai sair dessa, tenho certeza), pois não era o caso de Maísa, mas por conta da perda da diferença entre realidade e ficção, doença que a atingiu por falta de apoio psicológico durante tantos anos exposta nos palcos de Raul Gil, Sílvio Santos etc.
      Agora, sobre os meus textos, leia os mais recentes no blog. Caso queira ir adiante, há textos sobre a “palmada pedagógica” (e de novo texto sobre pedofilia) nesse meu livro aqui: Filosofia política para educadores (Manole).

    • paulo
      17/04/2015 at 09:39

      Na realidade, se dei a entender um juizo “moralistóide”, não tive essa intenção, pois respeito muito as prostitutas. Era mais no caráter da fantasia sexual adulta da objetificação e “tailandização” das crianças…

    • 17/04/2015 at 09:47

      Paulo! Isso depende do lugar e dos tempos. Há épocas que as crianças são vestidas como adultos. Eu sou dos anos 50, éramos obrigados a usar terninhos e gravatas. Não ficamos tão malucos não. Só um pouco.

    • paulo
      17/04/2015 at 12:21

      Paulo,
      concordo com vc em parte. Isso começava apenas na pré-adolescência. Criança masculina usava calças curtas e criançaa feminina usava vestido de babado e bordados e sapatinhos “cara de bebe”. Estou me referindo a crianças de seis anos com top de oncinha, shortinhos e sandália gladiador de salto…isso nunca existiu e é fruto desta época de consumo desenfreado e de adultos infantilizados (inclusive na sexualidade)

    • 17/04/2015 at 13:42

      Não não, eu e muitos usamos antes da escola. Você é jovem, certamente.

  7. Vanessa
    16/04/2015 at 00:54

    Olá professor, raramente faço comentários em publicações na internet, mas realmente este me chamou a atenção. Claro que levei um susto com o título, mas ao ler, óbvio que não tem nada a ver com o incentivo ao fazer sexo com crianças, que ao menos é o que parece que a maioria das pessoas que comentaram entenderam. Mas enfim, qualquer um que olhar a própria infância, deve lembrar-se que havia uma imagem de sexualização para si,ou projetada em outra criança ou até mesmo em um adulto, obviamente nada a ver com a maneira que encaramos isso hoje, (que já viramos adultos), mas partindo para uma outra linha de pensamento sobre o assunto: O que o senhor acha, hipoteticamente, se uma criança tenha uma noção um pouco mais abrangente sobre isso, e talvez queira praticar o ato em si, seria certo? errado? Qual seria a discussão moral? excluindo, por era, a questão de gravidez, doenças e tal. Mas se houvesse um “consentimento”, apesar de estranho, pensei nisso, já que atualmente a mídia faz muita apologia ao sexo praticado em si.

    Perdoe-me se a pergunta possa ser ignorante ao “nada a ver”, mas acredito que na visão de uma criança é totalmente diferente, e que a nossa visão torna-se “bloqueada”, impedindo um raciocínio, justamente, pela maneira que nos encaramos o sexo como “adultos”.

    Por fim, parabenizo o texto, e peço “desculpas”, pelo meu ponto de vista, e pelas pessoas leigas que ofendem, sem argumentos.

    Abraços

    • Vanessa
      16/04/2015 at 01:08

      Só adendo aqui, não perguntei sobre adultos fazerem sexo com crianças, e sim entre elas…

    • 16/04/2015 at 02:53

      Vanessa as crianças não tem condição anatômica de sexo. Mulheres que nunca viram um pênis corretamente, e são as moralistóides de plantão no campo da direita política, acham que o estuprador pode lutar com um mulher a ainda assim estuprá-la com o pênis. Isso é uma bobagem. A mesma coisa falam de crianças, como se houvesse penetração no troca troca entre crianças pré-escolares. Essas pessoas que nem sabem onde fica o ponto G dão palpite sobre o que não fazem ideia. Sabe como é né? Religião retrógrada, familia olavete etc. A burrice cresce e cria a desgraça. Aí surgem as punições imbecis: querem castrar estupradores etc.

    • 16/04/2015 at 02:49

      Vanessa! As crianças se tocam e procuram se conhecer. Estimulam-se libidinalmente, mas eu evitaria a palavra “sexualmente”. Mas tudo isso tem registros distintos segundo idades, cultura etc. Isso é consensual entre elas, quando pré-escolares, ou seja, antes dos sete anos. É claro que as coisas mudam com a puberdade, com a entrada na escola. Rapidamente as crianças se resguardam mais, se mostram menos, e se algumas continuam a se mostrar nuas ou tentam tocar outras etc., logo são afastadas pelos colegas ou então incorporadas a grupos que têm práticas que são vista com sem naturalidade, que são feitas às escondidas, etc. São poucas as crianças que apresentam esse comportamento, e isso tem pouco a ver com danças, ver TV etc. Tem mais a ver com o que os adultos da casa fazem.
      Bem, queiram ou não queiram os menos informados de plantão, as crianças vão continuar a fazer “troca troca” na fase pré-escolar, e isso não vai deixar nenhuma criança problemática. Problemática será a criança que não venha a fazer isso, ou que seja admoestada de modo excessivo por um contato com outros iguais em uma fase em que isso é o que ocorre mesmo, deve ocorrer.
      Esse “troca troca” não tem nada a ver com ato sexual. Não há possibilidade anatômica para tal. O que já é diferente na fase escolar, após os nove anos. Há pais bem informados e há uma literatura médico-psicológica já até velha que ensina tudo isso, sobre as trocas de carícias entre crianças, que podem tomar formas mais lúdicas na pré-adolescência (as crianças fazem montinhos, uma subindo sobre as outras, se esmagando, etc.) etc.
      O problema do sexo realmente aparece com algum prejuízo é quando a criança, cuja relação com o sexo não é a relação com o sexo do adulto, passa a ser posta na condição de ser objeto sexual de atos sexuais de adultos. Aí sim uma tal prática causa danos. Mas, nesse caso, é necessário que seja sexo mesmo, e não contatos visuais corriqueiros na sociedade ou exposição a situações que se tornaram normais em TV etc. O tempo cultural conta muito para tal. Uma coisa é uma criança abusada sexualmente por um adulto, outra coisa é uma criança ver num programa de TV ou mesmo numa novela cenas de semi-nudez e carícias comuns, que ela vê (ou deveria ver) entre seus pais.
      Agora, quando se entra na pré-adolescência ou na adolescência, aí as leis começam a se complicar. Pois os comportamentos tendem a ser adultos, mas não se está aí falando de adultos. Tudo na adolescência é complicado: sexo, idade penal etc. Certas sociedades tratam adolescentes como adultos. Mas a tendência do mundo não é essa. A tendência é a diferenciação em faixas de idade e outros crivos, cada vez mais especializados e específicos. Leia no meu A filosofia política para educadores (Manole) a questão da “Palmada Pedagógica”, de como as coisas funcionam no mundo, quanto à punição de crianças etc.

  8. 15/04/2015 at 20:48

    Sim Carlos, sou fraquinho e tarado. E o Carlos é … ah tá. Ninguém, nem fraquinho e nem tarado. Carlos, faz o ensino fundamental e depois volte.

  9. maik
    15/04/2015 at 19:09

    Queria saber porque o entendedor de leis ,nao colocou a mesma ,para os desconhecedores seres sem a escolaridade de boa qualidade,estupidos,burros,seria interessante senhor DOUTOR ,para o entendimento de todos esses seres desprezíveis !!!

    • 15/04/2015 at 19:11

      Maik por uma razão simples, que o burro não consegue saber: você está de frente para o Google e até na Wikipédia tem. Viu como quando chamo alguém de burro é verdade que ele é burro?

    • José
      03/09/2017 at 21:22

      Kkkkk estou rindo muito com os comentários! Como esse pessoal eh tosco e nao consegue parar para ler o texto.

  10. natuzza
    15/04/2015 at 15:48

    Você é um imbecil. Simplesmente um canalha imbecil. Nao há palavras pra definir o seu nível de imbecilidade. Um imbecil desgracado. .. lixo, latrina imunda… nada mais.

    • 15/04/2015 at 15:50

      Natuzza! Nem assinar seu nome você consegue, de tanta covardia.

  11. Marvel
    15/04/2015 at 15:13

    Com estudo ou sem estudo, sábio, filosofo, inteligente ou burro, o caralho que você acha que é. se eu pegar um cara igual você perto da minha sobrinha..abro tua cabeça e uso como esterco isso que você chama de cérebro.

    • 15/04/2015 at 15:47

      Marvel infelizmente você não entendeu o texto. Mas, enfim, se você relaciona esterco e cérebro, aprendeu isso em sua casa. Assim, eu não podia mesmo esperar alguma coisa a mais que isso. Não adianta ficar nervosa por conta de não entender um texto.

  12. Wagner
    15/04/2015 at 13:28

    eka!

    • 15/04/2015 at 13:59

      Sabe Wagner, tive a mesma reação ao ver seu nome.

  13. Carlos
    13/04/2015 at 07:12

    Os incautos não sabem que se trata de um intelectual orgânico, um pregador da cultura inversa.
    Usa as palavras no campo do duplipensar orwelliano da novelingua, inocula o ranço marxista nos jovens e os transforma em zumbis a serviço da ideologia do cão..

    • 13/04/2015 at 19:03

      Carlos olavete. Deixe lhe dizer uma coisa. “Intelectual orgânico” é tudo aquilo que o Olavo-Repetente-de-Carvalho não sabe o que é. Por uma simples razão. O intelectual orgânico de Gramsci não cabe em uma teoria da conspiração. Só um Olavo poderia acreditar na existência de outro como ele, que seria Gramsci (!), para formular uma “teoria” em que milhares da pessoas ficariam falando de coisas de modo sutil, estranhas, e que, então, tais coisas faladas iriam minando a doutrina moral já existente para mudar valores arraigados na cultura por milênios. Não há nenhum marxismo ou partido marxista fazendo isso. E mesmo que existisse alguma organização desse tipo, com tal força demiúrgica, qualquer pessoa que fez escola (não Olavo, no caso dele não adiantaria), saberia que a história tem mostrado isso impossível. Veja a Igreja há dois mil anos tentando dizer “não matarás” etc. Se a doutrina explícita muda pouco, menos muda a realidade uma doutrina “sutil”, dita de modo cifrado. Por outro lado, se pudesse entender meu texto veria que o texto diz claramente o contrário do que um abusador gostaria de ouvir. Eu sei que a razão e a racionalidade, a lógica, não são coisas de olavetes. Mas eu argumentei aqui porque talvez no meio de imbecis exista gente que ainda não ficou tonta no nível do próprio Olavo. Agora, não fale em ideologia do cão. Cachorro é amigo, não é como você e Olavo, débeis mentais que que podem atacar pessoas na rua, mordendo.

  14. Fulano
    11/04/2015 at 22:19

    Meu Deus do céu, no começo eu já iria te xingar com todos os palavrões do meu vocabulário, com base nos comentários agressivos contra você, já até tinha aberto uma página de denúncia à pedofilia na PF. Mas resolvi LER PRIMEIRO o que está escrito e agora eu posso concluir que não há ABSOLUTAMENTE NADA que incita a pedofilia nesse texto.

    Gente pelo amo de Deus, LEIAM PRIMEIRO. Apesar de o título não ser péssimo (não deveria ter sexo com crianças a meu ver), o texto em si, em uma parte, quer alertar as pessoas que não podemos considerar tudo pedofilia.

    Como o exemplo da professora que segura as crianças para separar um briga e coisas do tipo. Só podemos chamar a pessoa de pedófila mesmo se ela faz SEXO com crianças, e se ela abusa SEXUALMENTE, com INTENÇÕES SEXUAIS.

    Tá ficando bizarro mesmo qualquer coisinha ser pedofilia.

    • 12/04/2015 at 02:55

      Fulano separar briga não vi ainda, mas a legislação proíbe as professores limparem as crianças!

  15. Clóvis
    11/04/2015 at 13:46

    Nem sempre concordo com você, e muitas vezes deixo de comentar quando não concordo, o que é omissão de minha parte. Mas desta vez reafirmo o que tenho visto sempre nas “intenetes” da vida: a grande maioria da população está tão acostumada ao senso comum que reage de maneira desproporcional quando há uma leitura diferente de um mesmo assunto. Concordo, no geral, com o teor do texto. Mas acho que boa parte das respostas agressivas que você recebe vêm da maneira agressiva como você trata aqueles que discordam de você. Não me parece uma postura filosófica tratar o oponente com agressividade, chamando-o de burro e outras coisas.

    • 11/04/2015 at 13:55

      Clóvis leia as respostas e verá que o leitor inteligente não recebe respostas agressivas. Leia com cuidado. Veja como que certos leitores não querem resposta nenhuma, nem leram o texto, são parte da extrema direita que vem aqui para xingar. Analise.
      Agora, por outro lado, eu não babá de ninguém e sou filósofo, não professor da atualidade que precisa passar a mão na cabeça da geração mimimi.

    • Clóvis
      11/04/2015 at 15:29

      Tá certo. Até agora não levei nenhuma resposta agressiva. Obrigado. hehe

    • 11/04/2015 at 19:56

      Clóvis, analise bem, essas pessoas que aparecem aqui agredindo, elas não querem nada com nada. São aquelas pessoas que independentemente do que o filósofo fala, vão reagir da mesma maneira com resposta pronta, dado por algum guru por aí.

  16. Pedro
    11/04/2015 at 09:21

    Cara uma pessoa dessa sinceramente é um doido varrido e não merece viver neste mundo, uma coisa que eu sempre respeitei foi que cada um tem a sua opinião, mas uma pessoa que posta isso ou tem a coragem de pensar nisso e um FILHO DA PUTA, porque isso é coisa de doido, hoje em dia, consigo bater em muito homom e sou do 9 ano, mas para os menores, fracos e sem opinião o estupro e um caso SERIO, e quem tem a coragem de escrever isso é ainda se denominar de filósofo e um bosta.
    Filo: amor ou busca.
    Sofia: conhecimento.
    Se Não me engano vem do grego, e uma pessoa dessa está em busca da loucura e escrotisse TOTAL
    E em minha opinião, POR FAVOR, se mate, só de você pensar nisso (eu acho) que você não deve é nem merece viver.

    • 11/04/2015 at 09:25

      Pedro. Sou inteligente e Deus me adora e vou viver como meus antepassados dos dois lados, passando do cem anos. Talvez eu até fique imortal, se me der na telha. E agora vou mandar um beijão para você nervosa!

  17. Priscila Garcia
    11/04/2015 at 07:08

    Eu sei que sou burra, não entendi nada, mas que você é pedófilo você é sim. Tem de ser.

  18. 10/04/2015 at 17:04

    Letícia sugiro que volte ao ensino fundamental e comece tudo de novo. Não deu para você. E olha que esse artigo é simples!

  19. Ivan
    10/04/2015 at 14:31

    Boa tarde Ghiraldelli,como eu faço para entrar em contato com o Denis Gonçalves Ferreira?,assisti um vídeo seu da Coruja TV junto com ele

  20. dsadsadsa
    10/04/2015 at 02:16

    vc é muito corajoso
    hoje ainda é taboo, mas tenho certeza que um dia nossos netos olharão pra trás e vão dar risada do mundo que viviamos, assim como fazemos hoje pra tanta coisa do passado, não é mesmo?

    • 10/04/2015 at 04:11

      O QUE É TABU? Você está achando que defendo pedofilia como os outros e que acho que vamos “evoluir” para fazer sexo com criança? Ficou tonto? E ficou mais tonto ainda de achar que pode me induzir a responder isso? Duplamente tonto?

    • dsadsadsa
      11/04/2015 at 04:14

      entendi, eu não tinha lido, por isso pensei outra coisa
      mas então, o que vc acha de sexo com crianças? não acha que um dia vai ser normal?
      eu acho que é uma questão de tempo pra entendermos que sexo é uma coisa boa pra qualquer um

    • 11/04/2015 at 09:17

      Eu acho que como você não consegue assinar seu nome, creio que fazer sexo para crianças para você já é normal, ou seja, você é abusador de crianças. Caso não fosse, assinaria o nome.

    • dsadsadsa
      11/04/2015 at 17:17

      sim, eu acho sexo normal, mas não abuso de crianças ou faço sexo com elas, nem pretendo fazer, corpos sem curvas não me atraem
      eu prefiro não me identificar pra não ser taxado como pedófilo, é só ler os comentários direcionados a vc, tenho certeza que sabe do que estou falando, mas to perguntando pra vc, o que vc acha?

    • 11/04/2015 at 19:53

      Um cara que não quer se identificar com nome e sobre nome não é uma pessoa digna. É um covardão. Conversar com covardão é perda de tempo. A coragem é a virtude do filósofo par excellence. Por isso mesmo, a falta dela é aquilo que o filósofo mais despreza.

    • dsadsadsa
      12/04/2015 at 04:36

      Paulo, vc já perdeu tempo respondendo 3 vezes, é tão mais difícil responder o que te perguntei?

      essa sua postura é bem covarde pra alguem que despreza falta de coragem, por que não deixa de ser tão evasivo e responde de uma vez?
      ficar se apoiando nessa desculpa do nome ta parecendo o jeito que arrumou de escapar da pergunta que te fiz

      me poupe de uma nova resposta falando sobre o nome que eu não assinei, vc parece tão covarde quanto eu, no fim das contas estamos no mesmo barco, não é? ambos não revelamos o que realmente pensamos quando nosso nome está em jogo…

    • 12/04/2015 at 09:47

      DSA viu como foi fácil pegá-lo? Foi fácil fazer você se revelar um provocador barato. E não estamos no mesmo barco meu caro. O seu afundou. Ou meu continua e continuará, como sempre. Além do mais,se suas perguntas fossem interessantes e pertinentes, eu responderia. Não são.

    • dsadsadsa
      12/04/2015 at 16:38

      tudo bem, agora que ficou claro que sou um provocador barato e que meu barco afundou e o seu continua – seja lá o que vc quis dizer com isso – e tambem minha pergunta é desinteressante e impertinente e por isso vc não quer responder, está tudo esclarecido, não está?

      então vão outras: como faço pra saber sua opinião sobre sexo com crianças? como devo fazer essa pergunta ser interessante e pertinente pra que vc possa responder?
      vc tem uma opinião sobre? não quer revelar, ou o assunto não te interessa? vc se sentiria mais a vontade conversando por email ou telefone?

    • 12/04/2015 at 17:05

      dsa se depois de tantos livros, tantos artigos e tantos vídeos você não sabe ainda o que penso você está com um problema só: falta do Google. Ele acha os livros, aí você compra, ele acha os artigos do blog, aí você lê, e ele acha os vídeos (alguns você vê já no próprio link dos artigos). Não há na da para dizer sobre esse assunto que não tenha sido dito. Caso queira saber mais sobre algo relacionado ao assunto, por exemplo, a filosofia como fruto da pederastia grega, dia 6 de junho tem lançamento do “Sócrates: pensador e educador” (Cortez), 15 horas. Agora se você é um tonto que quer ouvir coisas banais do tipo “fazer sexo com crianças pode e é correto”?, se você é um bobo ou um cara que finge de bobo (tanto faz) a resposta minha, que eu nem deveria dar porque é o óbvio, é a seguinte: fazer sexo com crianças não é saudável para a criança e indica um adulto que pode estar com um problema psíquico que identificamos como pedofilia, e se a criança for abaixo a determinada idade (dependendo do país no Ocidente), mesmo que não exista violência, isso será crime, será abuso sexual de menor. Uma série de abusadores de menores que não são pedófilos pagam a prostituição infantil. Não são doentes no sentido estrito do termo, mas são pessoas que estão prejudicando física, psicológica e moralmente as crianças. Infelizmente é necessário dizer isso num país como o Brasil, onde há tonto que acha que quando falamos de identidade, sexo, subjetividade e linguagem estamos dando aval ao abuso de menores etc.

    • dsadsadsa
      13/04/2015 at 00:30

      só pra esclarecer: vc estava sendo paranoico a toa, não sou nenhum perseguidor seu, semana passada eu nem te conhecia, tambem não estou em nenhuma guerra de “legalize o sexo com crianças” ou contra isso, ou mesmo tentando te colocar numa armadilha pra vc confessar que adora transar com crianças

      eu vim aqui por um video que estavam falando desse texto e de como tudo isso é uma conspiração pra que no futuro todos possam transar com crianças

      mas enfim, já disse que eu não tenho interesse em fazer sexo com crianças, tambem não busco permissão pra isso ou um “está correto, pode fazer”, só acho obvio que uma criança possa sentir prazer com sexo e não vejo como isso pode prejudicar ela, eu sinceramente pensei que fosse sobre isso o texto e te parabenizei por dizer uma coisa obvia mas que ninguem tem coragem

    • 13/04/2015 at 01:43

      DSA você deveria procurar um terapeuta para conversar. Um filósofo não é seu caso. Agora já começou até a imputar paranoia a um cara que vive de peito aberto para a sociedade. Eu que eu disse é que eu NÃO TENHO INTERESSE EM CONVERSAR COM VOCÊ. Suas questões são chatas.

  21. Ítalo
    10/04/2015 at 01:55

    Já chupou a piroca mumificada do Lenin hoje, viadinho? Quer dizer que você entende de sexo com crianças, seu comunista de merda.

    Primeiramente pegue essa filosofia de boteco e enfie no oríficio onde o sol não bate e que lhe dá prazer. Segundo, já que você apoia pedofilia, o que acha de encontrar um velho fazendo sexo com sua filha(o) pequena? Iria fazer o quê, participar também, seu bosta!?

    Você é o típico covarde e canalha que quando é “encaminhado” para delegacia, se borra inteiro. Velho viado e canalha.

    • 10/04/2015 at 04:15

      Ítalo! Que fantástico. Chupa-se a piroca EMBALSAMADA do Lênin (na URSS né?!) e aí a pessoa fica sabendo de coisas, ou seja, você descobriu um novo meio de conhecimento! Cara, e essa sua genialidade veio desse tipo de coisa, no seu caso a Piroca do.. xiii, queimaram a piroca do Hitler!

  22. Carlos
    09/04/2015 at 23:43

    Olá Paulo.
    Já que seu post tem a ver até com questões da ordem da psicologia infantil, ou seja, psicologia, também queria ver sua opinião sobre o fetiche de alguns homens em desejar ver mulheres sendo estupradas só porque pertencem a diferentes ideologias ou pensamentos … ou … dos homens que gostam de exibir a própria mulher. Boa noite.

    • 10/04/2015 at 00:18

      Carlos, não entendi a ligação. O homem que tem orgulho de estar do lado de uma mulher bonita, que tem mulher bonita e gosta de exibi-la é posto no mesmo saco do homem que quer ver mulher estuprada? Que isso?!
      Bem, agora, sobre estupro, ele é uma espetáculo de violência. A violência dá adrenalina, coloca uma sociedade amortecida pelo trabalho, pelo tédio e pela exploração, como em uma aparente vivificação. A violência atrai por isso, ao menos em parte. A violência sexual é dose dupla para a adrenalina necessária para uma tal sociedade. Só o futebol violento não basta.

  23. Felipe
    09/04/2015 at 14:15

    Quanta besteira, amigo. Procure um psiquiatra. Abraços.

    • 09/04/2015 at 14:22

      Felipe eu estou sempre em psiquiatra e sugiro a você fazer visitas iguais às minhas, mas na escola de ensino fundamental. Ah, como o texto escrito não deu para você entender, fiz “áudio-visual”. Tente agora: https://youtu.be/J6zhqKYg5Hg

  24. Marcos
    09/04/2015 at 11:14

    Cara se eu te encontrasse na rua,tu poderia ter certeza eu acabaria com tua raça,seu verme asqueroso.Esquerdista de merd4.Velho doente pega a tua filosofia e enfia no centro do teu cuh,velho degenerado

    • 09/04/2015 at 11:41

      Marcos! Você é muito violento não? Agora, o mais significativo aí é você repetir a palavra “velho”. Parece que esse é o problema né? Problema com o pai, como o abusador? Humm? Despertei lembranças que você não suporta né? Quer acabar comigo, o velho! Muito interessante, suas palavras, em poucas linhas, contam toda a sua história.

  25. Ângelo Lima
    09/04/2015 at 09:52

    Vc é doente

    • 09/04/2015 at 09:58

      Angelo mas eu me trato. Só que no seu caso sugiro um tratamento diferente do meu. Que tal fazer o ensino fundamental? Olha, para quem tem dificuldade com textos, fiz a coisa em vídeo. Tente entender, com audio-visual os mais jovens parecem conseguir, ao menos alguns. Vai, força aí: https://youtu.be/J6zhqKYg5Hg

  26. Leon
    09/04/2015 at 08:26

    Método Ghiraldelli: escreva um texto e quando as pessoas o entenderem e discordarem dele não dê bola. Tá bom, eu confesso, sou mesmo burro. Não entendi nada do que escreveu. Caralho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *