Go to ...

Paulo Ghiraldelli on YouTubeRSS Feed

27/03/2017

As mulheres são todas histéricas né? O caso da Janaína Paschoal


Se há alguém que não defende feminismo à toa, todos meus leitores sabem, sou eu. Sou feminista, mas sou daquele tipo difícil de endossar seus próprios pares. E já fui bem injustiçado, tanto pela esquerda quanto pela direita, sobre opiniões a respeito desse tema. Talvez exista, mesmo, mais textos meus criticando o feminismo que fazendo sua defesa. Sou Minha parcimônia em utilizar a palavra “machismo” é bem conhecida. Mas hoje, não posso deixar passar em branco a oportunidade de falar o que ninguém quer ouvir, a respeito de mulher.

A maior parte das críticas que escuto sobre a professora Marilena Chauí, da USP, quando ela fala de modo enfático, às vezes gritando palavras de ordem, é que ela é “louca, histérica e gagá”. A direita adora fazer esse discurso tolo. Ocorreu o mesmo, agora, com a professora Janaína, da USP, mas por parte da esquerda. Todo tipo de agressão tipicamente endereçada às mulheres surgiram na Internet, por conta de um vídeo onde ela discursa contra o governo do PT. A maior parte delas é visivelmente voltada para o xingamento banal, buscando atingir a professora de Direito pelo comportamento no “palco”: ela teria que fazer um discurso sereno, mas como gesticulou, girou a bandeira, apontou dedos e soltou os cabelos, foi vista como “histérica”. Ou seja, a mulher já é irracional e, então, se faz um gesto a mais, não fica irracional, fica “louca”, “histérica” e “possuída pelo Exu”. Qual a cura? A maioria dos petistas apontaram: “exorcismo”, claro! É bruxa. Uma mulher de cabelos esvoaçantes gritando frases como “devemos pensar com as nossas próprias cabeças”, é bruxa. Só pode ser bruxa.

Aquele PT que tinha Lucélia Santos gemendo e com cabelos ao vento, sumiu. Aquele PT em que Luciana Chauí aparecia, bem gostosa, vestindo sua primeira camiseta do PT, na boa inspiração da propaganda do “primeiro sutiã”, também desapareceu. Aquele PT que pintou nas ruas da cidade a Erundina sexualizada, escandalizando a classe média de direita, não existe mais. Existe agora o PT pudico e que quando vê uma mulher enlouquecida de indignação, começa a achar que a loucura é um mal.  Esse PT que está aí é tão inculto que não sabe que Sócrates fez uma homenagem às loucuras, e tinha um apreço especial por mulheres “loucas”.

Não duvido nem um pouco que hoje o PT endossaria as fotos que a direita colocou na Internet com Letícia Sabatela bebendo, para desqualificar o seu discurso de apoio ao governo. Não duvido! Não duvido mais nada sobre o PT.

Esse tipo de palavrório, contra Janaína, veio antes de tudo das mulheres do PT, algumas visivelmente incomodadas com a sensualidade dos cabelos da professora de Direito da São Francisco. Não conseguem entender a sua forma de retórica que volta para o Direito, não para a Sociologia. É a retórica dos tribunais, não dos que precisam fingir que fazem ciência.

As mulheres precisam falar baixo até em comício. Devem ser recatadas até em passeata. Não podem soltar os cabelos nem girar a bandeira do Brasil. Irrita todo mundo, inclusive os que também apoiam Janaína, que ela seja da USP e que possa, diante do recatado Helio Bicudo, ser aplaudida, inclusive por ele.

Não perco o humor. Sei muito bem o que é virar um meme. Eu já passei por isso. O meme da Janaína girando a bandeira e assustando o dr. Hélio Bicudo é engraçado. A própria Janaína e o dr. Hélio devem estar rindo disso. Mas os comentários na Internet revelam um atraso mental brasileiro fantástico. Janaína não pode ficar indignada com o “mensalão”, com o roubo da Petrobrás, como o assassinato de Celso Daniel, com as eleições manipuladas pelo dinheiro roubado, com a tentativa de Lula fugir da polícia e, mais, com as patrulhas ideológicas e políticas sempre acionadas nas universidades – sei bem do que estou falando. Ela sabe também. Ela sabe porque ela viu os jovens do “Não vai ter Copa” serem presos e recorrerem a advogados, que não puderam atendê-los, pois foram enquadrados na Lei de Segurança Nacional ampliada pelo PT.

O PT se transformou num partido em que o seu militante masculino, hoje, odeia que a mulher possa gemer na cama e gozar, pois esse militante não sabe se ela está gozando por ele. Não está, está pensando em outro ou outra. Isso o mata.

Caso Janaína fosse homem, ela poderia girar a bandeira e até soltar os cabelos. Essa é uma verdade incômoda que todos nós conhecemos, mas que negamos e renegamos, pois ela nos atinge … corporalmente – fisiologicamente.

Paulo Ghiraldelli, 58, filósofo.

Tags: , , , , , ,

44 Responses “As mulheres são todas histéricas né? O caso da Janaína Paschoal”

  1. Valmi Pessanha Pacheco
    15/09/2016 at 10:35

    Prof. PAULO
    Assisti e gravei para minhas netos, todas (todas mesmo) participações da Professora Janaína Conceição Pachoal durante o desenrolar do processo de impeachment da ex-Presidente Dilma Vana Rousseff, e já confessei, anteriormente, minha imensa admiração pelo seu desempenho. Mesmo diante das limitações (chicanas) que foram impostas ao chamado processo legal, seus consistentes argumentos e as demonstrações de sólido conhecimento jurídico, comprovando as teses do desrespeito e massacre cometidos ao ORÇAMENTO (quando será que o Brasil valorizará esse extraordinário instrumento de seriedade na gestão da “coisa pública”?), penso que influenciaram no convencimento dos “juízes” senadores que julgaram a tresloucada mandatária.
    Não obstante, ainda estou obnubilado e perplexo diante de dois fatos (que me pareceram ter algum nexo entre si) – um que antecedeu o final da votação, e outro posterior ao desfecho desse lamentável episódio da nossa História.
    Naquele, a advogada de acusação, em alude, procurou talvez demonstrar magnanimidade, pedindo desculpas à indigitada devastadora da economia do país, emocionando-se ao lembrar-lhe os netos. Neste, leniente, não condenando o atentado ao texto constitucional perpetrado pelo conluio dos presidentes do STF e do Senado Federal, no chamado “fatiamento”, excrecência de suposta e injusticável dosimetria, cometida no Parágrafo único, do Inciso XV (acrescentado pela Emenda Constitucional nº 42, de 19.12.2003), do Artigo 52 (competência privativa do Senado Federal), da Constituição Federal de 1988, cuja leitura, só a mais fajuta das hermenêuticas que “torturam” a “última flor do Lácio, inculta e bela” é capaz de distorcer.
    Com admiração.

    • 15/09/2016 at 12:18

      Janaina estava incomodada, ele nunca havia feito promotoria.

  2. 20/06/2016 at 17:34

    Não estou entendendo
    nada dessas discussões tolas e bobas, nem para aquecer o frios serve, muito menos pa
    ra embalar o meu Vascãol

    • 21/06/2016 at 08:54

      Pedro quando você não entende um coisa, sendo você quem é, é bom considerar a seguinte hipótese: talvez eu seja o burro.

  3. Patricia
    07/04/2016 at 15:27

    Assisti com atenção, estupefata, a defesa que a Janaína fez sobre o Impeachment. Saí pelas redes dizendo “minha “miga”, esta me representa, fiquei realmente maravilhada! Senti até invejinha, já que sou advogada, e falei para mim mesma: quero ser como ela quando crescer. Mas fiquei muito decepcionada com o comportamento dela SIM, depois, no “comício”, “pregação” “manifesto” que fez na Faculdade de Direito. Não é esta a conduta que a OAB aprova. Ela exige de nós, juristas, advogados, uma postura mais séria, até sombria, proba. Fiquei com um pouco de vergonha alheia, com receio de a sociedade passar a enxergar advogadas ou advogados assim. Mas o pior, foi ver a moral de um discurso digno de Rui Barbosa ir abaixo. O pior foi “dar asas para cobras” falarem mal de jogarem por água abaixo um trabalho lindo que ela fez ao lado do Bicudo e do Reale. Continuo sendo admiradora, e continuarei apoiando essa mulher incrível! Mas por favor… menos, menos é mais..

    • 07/04/2016 at 18:50

      Patrícia você precisa ler um texto e entender o texto. O fato de não compreender o que explique e sair com a mesmo opinião que entrou, e ainda por cima achar que a OAB vai punir advogado por ele se manifestar como cidadão, é uma loucura. Acorda filha.

  4. Mary
    07/04/2016 at 08:13

    Eu dei muitas risadas com essa “pastoura”, adorei vê-la desabelada, toda sensual girando a nossa bandeira, soltou sua Pomba, que delícia. O Brasil é o país mais zoado do mundo, faz tempo que virou um circo, só aqui tem mulheres de grelo duro, jararacas e a “República da cobra”, No stress… vamos fazer uma suruba pessoal, menos mimimi por favor, a Janaína é linda, indomável e faria um belo par com o macho Bolsomito, hummmmmmm

    • 07/04/2016 at 09:40

      Mary, Janaina é inteligente, Bolsomito é para você.

    • Adriana
      07/04/2016 at 15:09

      Caro Professor Paulo, não nos conhecemos, mas concordo com o senhor. Homens e mulheres têm inveja da Janaína. O fato é que ela tem coragem de ser espontânea. Como alguém que se sente lesada, roubada, desrespeitada como cidadã, praticamente estuprada em seus direitos poderia ficar plácida em nome da estratégia de parecer normal? Eu tambem me sinto como ela! É mais honesto esbravejar e pelo menos ser verdadeira. Estamos carecendo de pessoas verdadeiras. Me espantam os selfies de sorrisos nas manifestações. Nossa situação não está para sorrisos. E se for um caso clássico de inocência, ainda assim tem mais credibilidade e coragem do que eu mesma que me escondo atrás da minha normalidade. Então, seja livre para se expressar Janaína! Independente da minha concordância contigo!

    • 07/04/2016 at 18:51

      Janaina tem a ingenuidade dos filósofos. Talvez por isso tenha se tornado professora de Direito, e não somente advogada. Há algo nela que as pessoas não suportam, que é a honestidade de ser ela mesma.

    • Mary
      09/04/2016 at 14:33

      E você fique com a Jana, inteligentona e dominadora, essa manda em casa! Quanto ao Bolsomito, saiba que ele nao é pra mim, passo longe de trogloditas. E viva o Brasil, dá-lhe Rivotril kkkkkkkkkkkkk

    • 09/04/2016 at 14:43

      Mary, acho que você gosta das mulheres que o Lula não gosta, as de grelo duro. Sem problema.

  5. Osmar
    06/04/2016 at 23:01

    Ela não fez um discurso retórico de tribunais nem aqui nem na grécia. Se os discursos retóricos de tribunais estiverem neste formato, então realmente temos problemas.
    O discurso dela foi totalmente patético, dominado pela paixão insandecida; claramente aflorou sua vida de pequena pregadora carismática. Se houvesse sido menos passional caberia um fundo musical com uma orquestra tocando Wagner. A retórica passou longe.

    • 06/04/2016 at 23:45

      Osmar você é um sábio, um gênio, mas é um gênio não compreendido. Mas a população, contra ou a favor, está escutando Janaína, não você. Você sabe demais o que é retórica, falta usar. Chegará sua vez, você é jovem.

  6. lucila
    06/04/2016 at 11:26

    era um comício, não?
    a moça não percebeu, pois fez performance de pastora neopentecostal, gritando coisas como ‘servir à cobra’ e outras sandices dos fanáticos religiosos. religiosos, é bom que se repita.
    a moça, mais do que histérica, está no caminho de abir uma seita, provavelmente A Seita Cheque.

    • 06/04/2016 at 11:28

      Lucila você não gostou por razões óbvias, que eu mostrei no texto.

    • Lenita M. Machado
      06/04/2016 at 16:02

      Lucila,
      Confessa, gostaria de ter tido a capacidade que a Janaína teve. Começa pensando com sua própria cabeça, quem sabe você consegue alguma admiração.

    • Orquideia
      07/04/2016 at 05:42

      Quanta invejinha,hem,Lucila?

  7. Cristiano Frota
    06/04/2016 at 04:50

    Disseram que a Janaína se parecia com pastores. Bem, a Janaina exorcizou, agora os espíritos estão por aí. Salve-se quem puder!!!

    • 06/04/2016 at 08:35

      Frota, boa essa visão sua.

    • Cristiano Frota
      06/04/2016 at 15:52

      Essa visão só foi possível através das problematizações e interpretações que ensina. Continue escrevendo, aliás, filosofando, que seguimos prestando atenção.

    • LMC
      06/04/2016 at 10:16

      Frota,só pastor que faz discurso,meu?
      Você não vê os padres da TV Canção
      Nova,não?

    • Cristiano Frota
      06/04/2016 at 15:56

      LMC, com todo o respeito, não deixe que o ente exorcizado tome seu corpo, logo agora quando se sabe que brincar com pastor é mais engraçado.

  8. Lisandro
    06/04/2016 at 03:10

    Prezado, não concordo que a reação ao discurso da Janaina tenha um viés machista. Imagine que ao invés dela, ali estivesse um homem discursando. Seria igualmente a fala de um descontrolado, histérico (sim, em psiquiatria a histeria atinge ambos os sexos), messiânico, de um homem que aparenta estar em possessão demoníaca, etc…

    • 06/04/2016 at 08:35

      Lisandro, não ponha palavras na minha boca, eu não escrevi isso meu caro.

  9. Ferdnand
    05/04/2016 at 23:31

    Sério, professor, que achou aquilo sensual?! Parecia mais o Ozzy Osbourne… Não, não me diga que o senhor acha o Ozzy sensual?!

    • 06/04/2016 at 08:36

      Ferdnand se o sensual não dependesse de nossa imaginação mais idiossincrática existiria só sexo, não erotismo.

  10. ana
    05/04/2016 at 22:19

    Jura que o argumento do ilustrissimo Ghiraldelli é o de chamar as mulheres de “tontas”? Haja incongruência.

    • 06/04/2016 at 08:39

      Ana, jura que fez o ensino fundamental? Não conseguiu entender um texto fácil desses?

    • ana
      10/04/2016 at 11:51

      que texto? estou falando das suas respostas às mulheres que ousam discordar de vc. pelo visto, nem mesmo vc lê o seu próprio texto, né? bom gosto, o seu. detratar o interlocutor é fina filosofia, hein? Parabéns.

    • 10/04/2016 at 16:20

      Ana, cada um é um: uma mulher burra não merece muita consideração tanto quanto um homem burro. O fato de você querer ser burra é um problema seu, não meu.

  11. kaio
    05/04/2016 at 19:30

    Paulo, acho que precisamos melhorar o nosso discurso, vejo que esses tempos que estamos vivendo tem muita intolerância, umas pessoas excluem as outras simplesmente pq elas não rezam na mesma cartilha. O problema da política brasileira é mais complexo do que soltar cobras e lagartos e bater nas teclas do estigma social de grupos que não gostamos ou desprezamos.

  12. Sergio Luz
    05/04/2016 at 16:36

    Sr. Paulo Ghiraldelli, sua clareza e serenidade é muito importante em momentos atuais onde parece que insanidade é contagiosa (Alguns “pensadores” até dirão: “é contagiosa sim!”). Gostei do texto, porém essa é a questão: o que gostei no texto foi justamente o que ausentou-se do “discurso” da “jurista”, isto é, coerência. Não vi o discurso de uma “mulher louca”, mas sim a verborragia de uma pessoa caótica. Parece um falso dilema: se é falatório de tribunal, ela é uma canastrona arrogante, se é desabafo “politico”, ela é uma messiânica sem limites. Me assustei muito menos pela atitude dela, do que pela complacência cínica dos que a estimulavam, e estimulam, a maioria homens(!). Isso sim é machismo (também), Paulo, e pior auto-machismo pois a própria se coloca numa situação caricatural típica das novelonas que acostumamos (ou não) ver na tv brasileira. E, francamente aquilo ali não é loucura, nem “retórica dos tribunais, não dos que precisam fingir que fazem ciência”, é algo pior, e tão ruim que penso que nem cabem as fáceis qualificações que conhecemos.

    • 05/04/2016 at 17:26

      Luz, você a chama de canastrona arrogante porque está fechado com o PT, não consegue parar e se por no lugar do outro ou da pessoa que fala. Se quiser ser sério como se acha, leia o texto feito por ela e pelo Hélio Bicudo. No que tenho visto, ambos os lados, nas suas argumentações, estão se saindo muito bem. Quanto às novelas, só o fato de não gostar delas, já faz de você uma pessoa que eu tendo a desconfiar sobre sua leitura das coisas.

  13. Egisto
    05/04/2016 at 16:08

    Paulo, não somente o militante masculino, mas, também a mulher que milita no PT está indo no mesmo caminho.

    • 05/04/2016 at 16:09

      Ah sim, eles, os militantes, me odeiam, porque sou capaz de por o dedo nas minhas feridas.

  14. LMC
    05/04/2016 at 15:31

    Semana passada,a Letícia
    Sabatella esteve ao lado da
    Dilma dizendo que não vai
    ter golpe.Acho que ela está
    bebendo demais….kkkkkkkkk

  15. Ariadne Jacques
    05/04/2016 at 14:48

    O problema com a Janaina não tem nada a ver com as reivindicações de igualdade de tratamento das mulheres? As críticas que vi e li sobre a Janaina repousam mais naquela pergunta que não quer calar: é esse o padrão discursivo adequado a uma jurista, que está propondo um processo de impeachment? E isso não tem nada de misógino, pois se o tivesse eu seria a primeira a gritar!

  16. Claudio Dionisi
    05/04/2016 at 14:12

    Enquanto o professor estiver sendo criticado por grupos de direita e esquerda, machistas e feministas, homossexuais e homofóbicos, pedófilos e esquizofrênicos, serei seu assíduo leitor.

    Espero que sempre seja polêmico e irreverente!

  17. MARIA CLAUDIA PIRES NASCIMENTO
    05/04/2016 at 14:00

    Até posso concordar com você. Mas ela , poderia ser ele , poderia ter sido mais normal em se tratando de assunto tão sério e caro para a maioria das pessoas. O destino do país está sendo traçado. Na minha modesta opinião ela esteve desequilibrada sim. Chamando Lula de cobra, etc. Como podemos levá-la a sério se ela não se leva , num momento tão crucial e importante do país onde nossa jovem democracia está sendo posta à prova? Achei desnecessário ficar gritando. Ela pode fazer o que quiser em qualquer lugar, mas agindo do jeito que agiu só deu munição aos que têm certeza que está sendo planejado um golpe estimulado pela imprensa tradicional . Eu tenho certeza que ela é inocente útil e ainda não sabe. Uma pena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

About Paulo Ghiraldelli

Filósofo