Go to ...

Paulo Ghiraldelli on YouTubeRSS Feed

25/03/2017

A verdadeira mensagem cristã-gay da arte


A arte nem sempre é boa quando pede poucas interpretações. Arte de qualidade permite a imaginação voar. O quadro-vivo da Parada Gay que criou alvoroço para alguns que se imaginam cristãos pode não ser boa arte, ao menos por esse quesito. Mas, como arte engajada, como uma espécie de “figura de proa” para algo como a exposição pública, o quadro cumpre bem seu objetivo. O artista acertou o alvo.

É claro que o quadro é uma tentativa simples de expressar o que em filosofia e lógica se chama silogismo, ou melhor, quase isso: Jesus é o símbolo de defesa de todos os que sofrem, os gays são sofridos (crucificados), então, Jesus é protetor dos gays. Está dada a mensagem, de fundo altamente cristão. Sim, claro, de fundo cristão.

O preconceito é tão grande contras os gays que os que se insurgiram contra o quadro-vivogay jesus ficaram magoados porque tais pessoas acreditam que Jesus é santo e protetor só delas. Para tais donos de Jesus, este não é o Cordeiro de Deus de todos os homens e mulheres que sofrem. Assim, não pode ser protetor de gays e lésbicas etc., pois tais pessoas são pecadoras. Mas posso objetar: ora, se são pecadoras, então, mais ainda Jesus as protege – são sofredores, são Madalenas. Os “ofendidos” com o quadro-vivo podem ainda se contrapor: não são sofredoras, Jesus não pode protegê-las. Há tréplica nisso: não são sofredoras? OK, vou supor que não há opressão contra gays, mas ainda são humanos, são seres viventes, Jesus pode representá-los, pode acolhe-las na sua imagem. Por que Jesus não pode acolher os gays se há no Evangelho a insistência do santo em dizer que o mais humilde dos homens, o mais pequenino, se chamasse a Jesus, seria atendido? Só os chamados “homens de bem” têm Jesus? Ora, não foi bem assim que o Novo Evangelho se tornou o que se tornou, a palavra de acolhimento dos que não contam com o poder.

De toda e qualquer maneira, a mensagem é maravilhosa: nosso símbolo máximo de amor e sofrimento por outros no Ocidente se torna também e obrigatoriamente símbolo gay. Os gays estão sob as asas da cruz, de seu sofrimento e de sua redenção. A morte de centenas de gays todos os anos por serem gays não está sob a jurisdição de ninguém, ninguém quer cuidar dos gays, então Jesus assume, como sempre, tal tarefa. É isso que o quadro-vivo diz. Só alguém completamente cristão teria essa ideia. Só um gay atento aos verdadeiros valores de Cristo teria essa ideia.

Foi a imagem mais linda que já vi em quase vinte anos de Parada Gay. E foi fantástico pela escolha de um corpo completamente andrógino – e sexy! Claro que para admirá-la é necessário ter feito o ensino fundamental corretamente. O deputado Feliciano não teve essa oportunidade e, então, age como outros que também não puderam estudar corretamente, como Malafaia e Bolsonaro. Ah, já sei, eles até poderiam entender o quadro, mesmo tendo feito escola ruim, mas eles querem a imagem de Jesus para fazer riqueza própria, portanto, só para os que pagam em dinheiro e em voto. Espertinhos heim?

Paulo Ghiraldelli, 57, filósofo.

Parada-ga-650x285

Vivyani Beleboni, a atriz da performance-intervenção

Vivyani Beleboni

Tags: , , ,

19 Responses “A verdadeira mensagem cristã-gay da arte”

  1. Edson Silva
    10/06/2015 at 18:00

    Sabias palavras meu caro Filosofo Paulo Ghiraldelli,

  2. Alexandre
    09/06/2015 at 19:40

    Belo texto.

  3. bony
    09/06/2015 at 18:00

    Olha lá, a situação dos travecos na tailândia não é um paraíso, mas como o budismo é uma religião de viados, ainda tá melhor que o cristianismo no brasil. huauhuahua eu ainda tenho esperança

  4. bony
    09/06/2015 at 17:56

    Não sei onde, vi o filósofo dizendo que o traveco que deu uma de jesus é lindíssimo. Bom saber que eu não sou o único que aprecia a beleza dos travecos. um dia ainda vou casar com um traveco tailandês daqueles bem pauzudos huahuahuahuha

  5. bony
    09/06/2015 at 17:14

    Olha, eu ia dar uma aula de filologia aqui, dizer o que eu sei sobre Jesus para além da miséria do Brasil com seus felicianos, mas depois que eu vi essa Beleboni, eu fiquei desesperado, pois eu adoro um transgenero. huahuahauhauhuahuahuahauhau

  6. luciano rodrigues dos santos
    09/06/2015 at 14:57

    O principal papel da Arte é ser a voz dos oprimidos, dos que sentem, sofrem e nao sao ouvidos, é ser reproduçao livre da Historia, enfim, a Vivyani Beleboni mandou muito bem artistica-politico- socio-reinvidicatoriamente. “Se for pecado o coisa enverga mais nao entra”. Tenha fé.

  7. Marcos Caldas
    09/06/2015 at 12:37

    A intenção foi boa a mensagem também, mas o resultado foi catastrófico, foi um tiro no próprio pé, concordo com o Flávio. Devia-se estudar métodos mais inteligentes de manifesto. Agora imagina se no lugar houvesse usado uma imagem de Maomé, que resultado acha que teria? Os tempos mudam, falam de tolerância, de mudar a mentalidade do povo, das massas, mas quando teem oportunidade de expressar algo em larga escala, cometem um erro estratégico dessa proporção, podem dizer o que quiserem, mas o resultado foi o pior possivel.
    Não se combate fogo com gasolina, foi desastroso como aquele casal na marcha das vadias durante a visita do camarada do vaticano. Deviam colocar pessoas com mais visão social pra mudar essa imagem, e conseguir resultados mais efetivos, tenho muitos amigos e simpatizantes lgbt e a maioria desaprovou esse ato em si.
    E lembre-se estou falando de RESULTADO.
    Resultado favorável, não polêmica, alcance de midia, por isso foi conseguido com toda certeza.

    • ghiraldelli
      09/06/2015 at 13:44

      Marcos você não sabe de nada. Você é aquele cara que vive no mundo da propaganda. O artista fez arte, não propaganda. Foi uma intervenção linda. Aprenda a ver a arte. Esqueça o mundinho pequeno uma vez só. Será que você lê meu artigo e não consegue entender, mesmo sendo um artigo fácil?

  8. ghiraldelli
    09/06/2015 at 10:17

    Flávio seu escrito aí é errado do começo ao fim. É preciso não ter entendido nada do mundo gay, nada do meu texto e nada da mamadeira que tomou quando nasceu para escrever tanta bobagem.

  9. ghiraldelli
    09/06/2015 at 10:15

    Cesar o mundo NÃO é feito por todos como propaganda, isso é coisa sua.

  10. JBMF
    09/06/2015 at 08:38

    Muito boa a reflexão!!!! Parabéns!!!

  11. Flavio Souza
    09/06/2015 at 00:30

    A grande falha do(s) idealizador(es) desta ‘obra’ foi desconhecer ou ignorar a psicologia de massas.
    Em suma, podemos considerar a total ingenuidade do(s) ‘artista(s)’ ao esperar(em) que nosso senso comum realizasse uma interpretação racional, para além do visível e profunda do ato. A massa sentimental religiosa jamais aceitaria tal façanha, podemos observar a repercussão e o resultado negativo do caso e, como prova citarei alguns dos argumentos dos religiosos. Vejamos que grande parte são de cunho sentimental, como uma fiel que argumenta “Queria ver se fosse a mãe dessa sem vergonha ali na cruz, ela iria ver como é bom” Outro senhor diz “Deus é soberano ninguém tem direito de fazer isso com a imagem de Jesus” Folha de São Paulo 08/06 2015. Há prova maior que essas sobre a interpretação sentimental das massas religiosas? A desastrosa ‘obra’ foi um tiro pela culatra e afastou ainda mais a causa de seu objetivo, aumentando ainda mais o ódio dos opositores.
    E assim caminha a humanidade um passo pra frente dois para trás.

    • ghiraldelli
      09/06/2015 at 00:35

      Flávio Souza o mundo não é propaganda cara, os artistas fizeram pelo sentimento. Saia dessa mentalidade cara! Acorda.

  12. 09/06/2015 at 00:15

    Muito bom!

  13. Matheus Kortz
    08/06/2015 at 23:35

    Paulo indo além da política, agora um filósofo brasileiro de estética! hehe precisamos de mais (filósofos assim)

  14. Flávio Monte
    08/06/2015 at 18:40

    Caríssimo, não ha dúvidas que Jesus veio para os pecadores, assim como não há duvidas que ele disse “vá e não peques mais”.

    • ghiraldelli
      09/06/2015 at 00:24

      Flávio acorda!

    • Flávio Monte
      09/06/2015 at 16:41

      Penso que preciso ser mais claro. Jesus veio para todos, sem exceção. Será que todos o aceitaram segundo suas propostas? Ser cristão é um desafio diário, é a maior batalha que se pode ter e é a mais gratificante também. Muitos o querem, ma cada um ao seu modo. Veja, muitos se dizem cristãos mas concordam com o aborto, por exemplo. Há diversos pecados contra os quais lutar, esta é a proposta Dele, que no final dos tempos possamos dizer como São Paulo, “combati o bom combate, guardei a Fé”(2Tm 4,7). Quem tem, mesmo que pouco, conhecimento das Sagradas Escrituras sabe que estas pessoas estão incorrendo em pecado grave (e isto não é meu, está em Levíticos e nas cartas de Paulo por exemplo). Nos tempos atuais as pessoas querem uma Fé Cristã “selfie-service”, cada um do seu agrado, isto não combina com os textos Bíblicos, quer gostem ou não. O senhor é quem devia acordar para isto e compreender, já que isto é básico. Estas pessoas são pecadoras e assim como eu precisam de conversão diária, digo não porque odeio, mas porque amo.

      “E, endireitando-se Jesus, e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais.”(Jo 8, 10-11)
      João 8:10,11

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

About Paulo Ghiraldelli

Filósofo