Go to ...

on YouTubeRSS Feed

23/11/2017

A homossexualidade heroica de São Paulo


A homossexualidade de Paulo, o santo, é sempre matéria de boa conversa. Por duas razões: sua obstinação, que filósofos como Cioran (1) tomaram como típico fanatismo; e sua capacidade de ampliar as bases da doutrina cristã, tornando-a apta para adoção por mais povos. A questão não é desimportante e não se resume à fofoca burguesa ou caracteristicamente moderna.

O dado histórico crucial é a circuncisão de Timóteo. Esse belo jovem era filho de pai grego e, embora criado sob os costumes judeus, não havia sido circuncidado. Ao aceitar acompanhar Paulo, este o circuncidou. Eis aí o problema histórico: Paulo defendia a ideia de que a salvação não viria pela prática do corte prepucial, então, por que colocou o jovem sob tal regra? A questão é facilmente resolvida, pelos teólogos e professores de religião, ao apelarem para a razão estratégica de Paulo. O moço amigo iria pregar em terras judaicas e, se havia tido uma educação judaica, deveria ter sido circuncidado. Era de boa estratégia entrar em térreo judaico segundo normas judaicas. Mas há estudiosos que dizem que o que motivou mesmo Paulo foi a busca de intimidade com Timóteo. Ao segurar o pênis do garoto nas mãos, selou-se aí uma amizade inquebrantável, que de fato durou por toda a vida.

Todas essas histórias são sempre muito mais do âmbito da filosofia e da religião que da história de cunho positivista. As interpretações tendem mesmo a serem díspares. E uma verdade não necessariamente aula a outra. Pesquisadores gays ou com perspectivas amplas tendem a dizer que a obstinação de Paulo era um caráter homossexual, e que a amizade de Timóteo com ele, e a parceria tipicamente homoerótica, não podem deixar dúvidas sobre a homossexualidade de Paulo e Timóteo. Ora, mas se isso não é fofoca, para que serve tal informação?

É que o comportamento gay, ao menos hoje, é um fato de diversidade. E esta, em nossa sociedade, é tomada como um ganho, uma riqueza. Ser um indivíduo é ser moderno e ser moderno é ser um indivíduo, e isso está no rol da ampliação da diversidade. Ampliar o número de indivíduos, para nós hoje – não os estatísticos, mas os filósofos –, é ampliar a liberdade e fazer dos homens e mulheres do futuro, “versões melhores de nós mesmos” (Rorty). Isso só se faz com diversidade.  Ora, sempre reescrevemos a história segundo uma prática presentista, e ampliamos a historiografia assim, então é cabível que pesquisadores queiram colocar na jogada o papel da diversidade gay, e a intepretação dada, esse caso específico, de modo algum é forçada ou ideológica. Os traços psicológicos de São Paulo e a vida com Timóteo ajudam a afirmar o que os pesquisadores dessa linha interpretativa estão afirmando. Isso não é, na minha visão, nenhuma odiosa “entortada da história em função de minorias atuais”. Esse caso não comporta tal objeção. Ao contrário, esse é o típico caso em que a tese mais forte é a nova tese.

Aliás, esse tema deve ser retomado nos quadros da cultura antiga do companheirismo homoerótico que surgiu em Esparta com as armas e em Atenas com a filosofia. São Paulo uniu ambas as práticas: companheiro de guerra e de filosofia, Timóteo foi amado eternamente, e correspondeu no mesmo e belo diapasão. E tudo começou à primeira vista. Ou ao primeiro toque.

Admiro a posição de Cioran, mas tendo a titubear em afirmar o comportamento de Paulo exclusivamente como a de um fanático. Prefiro falar em um homem obstinado. A homossexualidade aqui caiu bem para ambos, pois ajudou no essencial de uma missão dificílima: tornar uma religião de grupo em religião universal. São Paulo havia sido soldado romano e assim agiu durante toda a vida. Espalhou o Império por outros meios. A parceria com Timóteo e o estoicismo greco-romano de ambos selaram o resto que havia de ser selado. O amor entre eles foi o caldo de chocolate em um bolo delicioso que ambos sorveram e que, com isso, mudaram o mudo. O mudo ocidental se fez cristão. A ideia do perdão ganhou hegemonia sobre a ideia greco-romana da honra. Ora, essa ideia não é profundamente homoerótica?

Paulo Ghiraldelli, 58, filósofo.

(1) Prometo falar de Cioran sobre São Paulo e Sócrates. Aguardem.

Tags: , , ,

30 Responses “A homossexualidade heroica de São Paulo”

  1. Paulo Sandim
    08/07/2016 at 01:56

    Maravilhoso o texto desse professor. Vou estudar mais sobre os estoicos. Obrigado professor.

  2. Ismael
    04/03/2016 at 01:02

    Professor, texto polêmico, mas muito safo.
    Poderia fazer um post específico, se possível, sobre a Filosofia estóica e a relação íntima dela com o Apostolo Paulo.
    Obs. Vejo dois possíveis Paulo’s os das Epístolas e de Atos.
    Ps. Paulo, não sei se você já utiliza com referencial teórico, mas o livro: Eunucos pelo Reino de Deus (Uta Hanke-Heinemann); faz um comentário interessante, muito bem documentado aliás, sobre a relação da Doutrina Cristã com a Filosofia Estóica. É Bem provável que você conheça, mas se não… Fica a dica.

    • 04/03/2016 at 10:22

      Ismael, sobre São Paulo e o estoicismo, acho que já escrevi sobre isso. Dê uma olhada nos meus livros A aventura da filosfia.

  3. Augusto
    11/02/2016 at 04:59

    Romanos 1,26-28

  4. 09/02/2016 at 00:34

    Eu acho engraçado quando xingam o Paulo dizendo que ele não lê a bíblia, ou seja, pensando que ele é um “ateu” de facebook! ahahahahhahahah.

  5. 08/02/2016 at 22:03

    EspecxiaLmente a SOARES VENCESLAU:
    Nem o Antigo nem o NOVO TESTAMENTO condena a HOMOFILIA. É apenas uma questão de tradição cristã que inventou a condenação à DIVERSIDADE SECSUAL e traduziu e interpretou ERRONEAMENTE A BÍBLIA. Apenas isto, SOARES!!
    Sugiro que leias o livro O QUE DIZ REALMENTE A BIBLIA SOBRE A HOMOSSEXUALIDADE, de Daniel A; Helminiak, Edições GLS. Existem outros livros sobre o mesmo assunto.
    Um abraço!!:

  6. soares venceslau
    08/02/2016 at 16:13

    O homossexualismo é condenado tanto no novo testamento quanto no velho, por isso essa sua conversa não tem fundamento.

  7. Paulo Sérgio
    08/02/2016 at 15:49

    Eu tenho pena desta mente doentia, quem não tem argumento, inveta fatos, assim acontece com todos os filhos da desobediência, espero que antes de sua morte você se arrependa-se e se converta de seus pecados.

  8. Douglas de Castro Carneiro
    08/02/2016 at 14:48

    Prezado Ghiraldelli. Vamos esclarecer algumas coisas sobre Paulo de Tarso(ou Saulo, seu nome judeu). Nascido por volta do ano 04 d.C falecido entre os anos de 64 ou 67 d.C. Paulo era da cidade de Tarso(cidade com uma grande comunidade de judeus),aprendeu os feitos do judaísmo com o grande mestre do seu tempo (Gamaliel), obteve a cidadania romana herdada do seu pai. Era um mestre da lei(um rabino),ou seja, não poderia ser gay pois era um homem casado. Nunca foi soldado romano. Para ser parte do exército romano, este deveria ser pagão. Que não é seu caso. E em outras passagens ele evoca frequentemente que aqueles que praticassem a homossexualidade estariam destinados ao inferno…Rm 1, 1 Co 6.9 – 11 e 1 Tm 1.8 – 11. Seus argumentos são pífios meu caro filósofo..

    • 08/02/2016 at 15:05

      Douglas sua Bíblia falta página ha ha h ha. Beijo: https://youtu.be/2kUO3GHajbI

    • Douglas de Castro Carneiro
      08/02/2016 at 18:51

      Não meu caro. Não falta. Você precisa estudar um pouco mais sobre o mundo antigo…. não adianta ter dois doutorados…. e dizer que os Estados Unidos não apoiaram o regime militar… lá na página da professora Marta Coulbert Bellini….você como filósofo dá para o gasto… mas vai querer citar estudo sobre o mundo antigo esta passando vergonha…

    • 08/02/2016 at 19:30

      Douglas de Castro … quem MESMO? Pois é …! Olha feito prá você: https://youtu.be/2kUO3GHajbI
      Agora sobre mundo antigo, com um pouco de grego: http://www.livrariacultura.com.br/p/socrates-pensador-e-educador-a-filosofia-do-conhece-te-a-ti-mesmo-42896585

    • Douglas de Castro Carneiro
      09/02/2016 at 00:25

      Prezado Ghiraldelli. Continuo insistindo. Desconhece totalmente o contexto do mundo antigo. Confunde o mundo de Saulo de Tarso com o mundo de Sócrates!

    • 09/02/2016 at 00:55

      Douglas, continua insistindo, você precisa fazer o ensino fundamental, depois o médio e depois uma faculdade boa. Não seja teimoso menino. Faz isso. Aí você vai perceber que os adultos têm razão.

    • Douglas de Castro Carneiro
      09/02/2016 at 00:27

      E perde o seu tempo discutindo com um desconhecido como eu..

    • 09/02/2016 at 00:53

      Douglas nunca perco tempo, aprendo um monte com sábios e com você, mesmo você não entendendo meu texto. A mentalidade simplória também é objeto da filosofia. É um prazer ter você aqui fofo!

  9. João Edesio
    08/02/2016 at 12:26

    Tem pessoa pra tudo nesse mundo. Um para escrever um texto todo tendencioso, numa perspectiva unilateral e pseudos filósofos para seguir e compartilhar esse tipo de negócio. Não entendo a força gasta por tantos “ateus” de quererem despretigiar a bíblia, afirmando asneiras como esta se, a Bíblia, como eles dizem, ser livro de mitos. Existe uma preocupação da parte deles por verem a veracidade da Bíblia.

    • 08/02/2016 at 12:41

      Eu adoro a Biblia, e acho que deve ser de leitura obrigatória em escolas. Beijo João.

  10. Marcos
    08/02/2016 at 00:59

    Excelente texto. Gostei mesmo. Aguardo o texto do autor do “Nos cumes do desespero”.

  11. José Carlos de Freitas
    08/02/2016 at 00:31

    Oi, Paulo e Fran. Abraço grande. Tive que me desfazer de meu e-mail pelo qual recebia as notificações de suas publicações. Peço que considerem este novo. Grato.

  12. ivan lázaro
    07/02/2016 at 23:37

    Não sei se isso é uma questão relevante mas vou dizer assim mesmo: esse “homossexualismo heroico” fica muito mais evidente na Bíblia quando vemos a relação entre (rei) Davi e o Jônatas, filho do (rei) Saul. Por meio desse amor o reino de Israel nasce – muito semelhante ao “império cristão” do soldado Paulo de Tarso. Quer dizer, é uma leitura possível.

    Se o senhor quiser conferir recomendo ler 1Samuel 18, 1-4. E o resto do texto.

  13. Pr. Bosco
    07/02/2016 at 23:35

    Só mesmo sendo um idiota como esse Paulo Ghiraldeli pra afirmar tanta idiotice. O Paulo da Bíblia diz que os homossexuais vão pro inferno, mas você acha que ele é gay. Vai ler a Bíblia e para de falar asneira. É isso que dá pseudofilósofos de facebook se meterem em teologia.

  14. Roberto silva
    07/02/2016 at 22:58

    VC vai matar o malafario de raiva e outros salafrarios tb. Paulo sei q nao e o seu caso. Mas. Porque as igrejas cristã ns usam o apostolo falam que ele contribuiu para o bem da humanidade etc. Mas não aceitam sua homosexualide? Q horror, será q se provando essa realidade elas vão negar o apóstolo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *