Go to ...

on YouTubeRSS Feed

11/12/2018

Bolsonaro e Olavo de Carvalho ou a Continência e o Palavrão


[Artigo para o público em geral]

O fotógrafo que descobriu o álbum com os crossdressers nazistas está realmente perturbado. Não deveria. O fenômeno povoou o século XX e esteve presente entre meus avós e pais. Bailes com casais trocados nos anos vinte eram comuns. Basquetebol vestido de mulher, isso a geração do meu pai fez muito. Então, o que há de novo nisso? O fato de serem nazistas?  O fato de se saber que nazistas matavam o que hoje chamamos de população LGBTs?

As teorias de que machões são gays enrustidos e, não raro, homofóbicos, é senso comum hoje. Mas as coisas não são tão simples. Elas não funcionam a partir da tese de senso comum, de que a homossexualidade nazista ou machista é uma simples revolta contra o que se é.

Em termos de preferência, gosto de considerar a análise do comportamento nazista a partir das observações que Hannah Arendt fez de Eichmann. Ela o descreveu não como um monstro ou um doente, mas sim como aquele que gerenciou o mal – o homem cujo mal era tão banal quanto ele próprio. Eichmann não seria o cérebro perverso, mas o sem pensamento, sem consciência – um medíocre que, por fraqueza cognitiva, executou os trabalhos do mal como quem executa um trabalho burocrático, rotineiro, incapaz de outro adestramento (a palavra é esta) que não aquele que teve. Os nazistas, em geral, foram homens sem iniciativa, castrados e já dispostos a se castrarem mentalmente. Incapazes da reflexão. Foram cansados mentais que só conseguiam agir sendo o esteriótipo da ação. Nazistas tinham a burrice como cicatriz. Theodor Adorno falou que a burrice é uma cicatriz.

A cicatriz é uma marca corporal. Ela tem equivalente na cicatriz viva, a chamada cicatriz em movimento, que é o tique. Um braço que mexe espasmodicamente, que iria completar o movimento de se erguer, mas não se ergue, e sacode compulsivamente. Um olho que queria se fechar mas não se fecha, pisca sucessivamente. Um canto de boca que gostaria de sorrir, mas não sorri, apenas treme. Sempre o interdito corporal cria a cicatriz em movimento, o tique.

Os nazistas foram altamente reprimidos para se fazerem nazistas. E praticaram a autorrepressão, bem longe de qualquer autossublimação. Se fizeram lacaios. E se encheram de tiques. Só travestidos podiam abandonar o corpo marcado por cicatrizes e tiques. E foi isso que procuraram ao se fotografarem em entretenimentos na base da atividade do travestimento e, em muitos casos, da homossexualidade. Se deixavam serem pessoas, verdadeiras pessoas, em curtos espaços de tempo. Mas logo voltavam ao uniforme – uniforme-roupa e uniforme-prática. Logo tinham de se submeter à vida medíocre. Logo tinham de estar de novo fazendo a burocracia do matar e mandar matar. Então, o único movimento livre permitido era o pseudo movimento: o tique.

O interdito corporal é equivalente ao palavrão. Trata-se do interdito da linguagem. Falo um palavrão porque não tenho mais palavras. Ou digo “com certeza” como um tique. Função fática! Olavo de Carvalho fala palavrões. Ele fala palavrões porque é o tique dele. É a pseudoliberdade da boca, da língua. Gostaria de fazer um discurso sofisticado, livre, sobre a liberdade. Não consegue. Vem então o tique da linguagem, o palavrão. Acuado, perde totalmente o raciocínio já pequeno e fraco, causado pela falta escolar, e se volta ao palavrão. É um coxo linguístico, o tal quasímodo astrólogo.

O interdito corporal pode, também, se manifestar como gestos aparentemente completos, que se repetem. A continência é um deles. Pego diante de uma autoridade americana, sem saber inglês e sem saber o que fazer, Bolsonaro fez o seu palavrão, seu tique, seu gesto habitual para se safar da situação embaraçosa ou da situação de ter de pensar: bateu continência.

Tanto Olavo quanto Bolsonaro odeiam os LBGTs porque estes possuem a liberdade corporal (ou assim simbolizam) que eles deixaram ser aprisionada no movimento corporal que não se completou, na burrice que é a cicatriz, ou seja, o tique. Se pudessem se vestir de mulher um dia e serem abraçados e lambuzados pelo amigo de partido, o Frota, poderiam viver mais anos. Assim fizeram os nazistas. Mas como Olavo e Bolsonaro não conseguiram isso ainda, mais demonstram o tique: a continência e o palavrão. O gesto maquinal, previsível, sacado quando não se pode nada sacar, dado que o cérebro a la Eichmann é um cérebro encalacrado.

Talvez as próprias olavetes tenham sacado o animalesco de Olavo, ao falarem “Olavo tem ração”. Bolsonaro também tem ração.

Paulo Ghiraldelli Jr., 61, filósofo.

Tags: , , ,

39 Responses “Bolsonaro e Olavo de Carvalho ou a Continência e o Palavrão”

  1. nARCISO
    09/12/2018 at 15:39

    Professor, acabo de ficar sabendo que o seu colega de resistência no Yotube, Henry Bugalho, será processado pelo anão de jardim, lá dos EUA. Cuidado, pois o próxismo poderá ser o senhor. sIM, POR CALÚNIA E DIFAMAÇÃO.

    • 09/12/2018 at 21:19

      Ha ha ha! O anão tem mais processo aqui que qualquer outro

  2. andre ribeiro filho
    08/12/2018 at 18:14

    O ZOÊRO PRESIDENTE DA ALERJ… ÔÔÔ Secretária… me faz um favor… me coloca na linha com o deputado Bolsa Filho…. e quando o Bolsinha atendesse a ligação… eu falaria assim… “”ÔÔÔ Bolsa Filho, Tudo bem com voçê…??? Seu pai tá bem…??? “”” e ele responderia que sim…. agradeceria a atenção…. e eu continuaria a conversa…. “””Sabe o que é Bolsinha… voçê sabe que o Rio de Janeiro tá todo fudido, né…??? sem dinheiro pra segurança… há uns cinco ou seis anos sem abrir concurso pra polícia… atraso de salários….Hospitais à mingua…essas coisas”””” e o Bolsa Filho respondendo…. “”””Claro que sei, presidente…. foi a recessão da Dilma….””” e eu continuaria….. “””ÔÔÔ Bolsinha….eu vou direto ao assunto… eu tô aqui com um oficio que acabou de chegar… e do Interventor Federal no Rio de Janeiro, General Braga Neto…. solicitando pra ALERJ à devolução dos PMs que estão emprestados pra gente….. e eu sei que voçê tem um PM trabalhando no seu Gabinete….”””” e depois eu olharia pra reação dele…. e o Bolsinha “”quicaria””” …. e diria….. “””Não, presidente… ele não… não posso ceder ele….. de maneira nenhuma…”””” e eu começando a não entender o motivo de tanta proteção…. e perguntaria assim pra ele…. “””Voçê tá ameaçado de morte…???? mora em área de risco…??? que eu saiba não….!!! voçês andam cheio de armas….!!!! Enfim… eu sei que esse PM não veio pra assembleia porque voçê está ameaçado de morte…!!!! eu sei que esse PM veio pra assembléia porque é amigo do seu pai…!!!! desde a década de oitenta… então…??? o que voçê me diz, Bolsinha…???”””” e o Bolsinha respondendo …. “”” Não presidente, por favor… me quebra essa….”””” e eu então… falaria… “””ÔÔÔ Bolsinha… faz o seguinte….olha a minha idéia…pra não causar um prejuizo financeiro na familia dele… escolhe algum parente dele na vaga aberta no Gabinete porque eu vou devolver esse PM pra ajudar no esforço da Intervenção na Segurança Pública””” … e o Bolsinha mudo… quicando…quase chorando…. fazendo biquinho…. e eu… tentando contornar a situação…. falaria… “””ÔÔÔ Bolsinha…. voçê me pediu e eu vou tentar te ajudar…. olha só a minha idéia pra te ajudar… eu tenho aqui uma colega sua que é a Mariele e ela está sendo ameaçada de morte…. eu vou fazer o seguinte… eu vou transferir esse PM pro gabinete dela pra justificar a estada dele na assembléia… e seu amigão PM não vai mais precisar voltar pras Ruas fazer patrulha… que tal…??? o que voçê acha…???”””” e o Bolsinha quicando…. já ficando deselegante… totalmente egoísta…. e mal educado….”””O senhor tá querendo me sacaniar, né..???”””” e eu começando a tirar sarro…. “”” ÔÔÔ Bolsinha… que pôrra é essa, meu filho…??? Voçê quer que eu faça o quê…??? Que eu faça esse PM ficar na moita aqui na Assembléia..??? que eu esconda esse PM embaixo da tua mesa…???? “”” e eu daria um tempinho… poucos segundos… só pra ver a reação dele…. e ele mudinho…. todo encagaçado…e eu… pra sacaniar…. daria um grito assim…”””FALA, GAROTO…!!!! FAÇO O QUÊ…???”””” kkkkkkk (ai, que bobeira…) e ele ainda quieto…. e eu continuaria…. agora voltando a ficar sério… “””ÔÔÔ Bolsinha… PM passando despercebido nesta Casa não dá..!!! é muito estranho… a família de voçês falam tanto em combate a violência… em exemplo… e é essa a “”paga”” que voçês dão pros eleitores aqui no Rio…???? escondendo PM marmanjo aqui dentro na molezinha…????”””” e daria outro grito de zoeira…. “”” QUE PÔRRA É ESSA, MEU FILHO????……”””” kkkkkkkk….. e continuaria….. “”” e olha só Bolsinha…. eu vou tratar desse assunto com o teu pai…!!! ele não quer ser presidente…???? então vai ter que dar o exemplo… e se me encher o saco eu vou vazar pra imprensa que o candidato à Presidente está encostando no gabinete de voçês um PM na molezinha…. que era pra estar nas ruas… até as filhas dele tão na boquinha…. que decepção hein, meu filho…??? E olha só… pra terminar essa conversa…Eu vou fazer que nem teu pai fez com a maria do rosário…Chora agora..!!! Chora…!!!!”””” kkkkkkkk……. ou seja…. concluindo…. primeiro…daria um esporro… depois dava uma “”zoada””… e por último colocaria o PM contra no Gabinete da Mariele….

  3. 05/12/2018 at 11:42

    Talvez fosse interessante ao autor e aos comentaristas lerem o artigo abaixo:

    https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S038800011400151X

    Paz.

    • 05/12/2018 at 20:05

      Obrigado Rogério, mas cuidado, são coisas bem diferentes.

  4. Ivo A.Camargo
    04/12/2018 at 12:23

    Porque o senhor, não fala do supremo,das tentativas de soltar o Lula,fica torcendo para o governo Bolsonaro afundar,quero verificar se der certo,o que o senhor (doutor),vai falar.

    • 05/12/2018 at 00:41

      Ivo, tem um blog inteiro para você ler. Procure assuntos sobre o PT, se gosta. Vai achar.

  5. LMC
    04/12/2018 at 10:52

    Não é fake news:Olavo do Caralho
    já disse que Vladimir Herzog foi
    torturado e morto por ser espião britânico.

  6. Eudes
    03/12/2018 at 19:30

    Professor, o senhor é um sujeito mau. Vi seu vídeo sobre o Olavo de Carvalho não sabe ler Platão… De todas as críticas essa é a que mais deve doer nele, pois vai no EGO… Ele se autodenomina um dos maiores especialistas em Platão e Aristóteles do mundo!!!
    Mas no seu vídeo em questão tive a sensação que o senhor focou muito na “forma”, da tradução da palavra, porém o “conteúdo” ficou meio de lado. A interpretação do filósofo como “amante do espetáculo” não vai de encontro ao filósofo ser aquele quem melhor poderia “ver” o mundo das Ideias e não “as sombras da caverna”? Ou seja, o erro não vai muito além da mera “tradução” da palavra e sim ao conteúdo, em inverter o dualismo platônico, por exemplo, confundir o Mundo das Ideias com o Mundo Sensível?

    E outra dúvida sobre Platão, eis o que Olavo de Carvalho postou no facebook – link para consulta: https://www.facebook.com/carvalho.olavo/posts/%C3%A9-entendimento-geral-repetido-por-mil-bocas-que-a-rep%C3%BAblica-de-plat%C3%A3o-%C3%A9-a-apolog/706363842849026/ “É entendimento geral, repetido por mil bocas, que a “República” de Platão é a apologia de um Estado totalitário. Como meu domínio da língua grega é muito deficiente, só graças às análises de Eric Voegelin vim a entender que a descrição do “governo dos filósofos” é feita em tom de sátira e se destina precisamente a mostrar, como transparece mais claramente nas páginas finais, que o perfeito controle social é impossível”.

    Ele tem razão sobre isso? O resumo desta parte que: “Um governo só será bom quando os filósofos forem reis ou os reis forem filósofos” é uma sátira platônica? Eu li a obra “A República” (não em grego porque não sei) e interpretei que Platão gostaria e até achou possível haver “reis filósofos ou filósofos reis”.

  7. Narciso Pires Maciel
    03/12/2018 at 17:05

    Hoje, pela manhã, ouvi uma rápida entrevista do arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor de Oliveira, ex-reitor da PUC Minas, na qual ele condena a tal “ideologia de gênero”e defende as linhas gerais do projeto da “escola sem partido”, sem ao menos, criticar a caça às bruxas contra os professores em sala de aula. Esqueceu-se, talvez, de mencionar o “marxismo cultural”, também.

  8. Luciano
    03/12/2018 at 16:46

    Paulo, vc viu a matéria da Folha sobre o Moro? Ele realmente crê que está acima da crítica. Será o cherifão da Esplanada. E ao falar do fascista-mor é de um cinismo ímpar. Não consigo acreditar que o “combate” à corrupção será isento. Muito pelo contrário. Será muito bem direcionado.

  9. Carlos Alberto Gonçalves. Reis
    03/12/2018 at 14:51

    Por mais que ele seja um imbecil. E acredito que e. Olha a lista dos livros mais vendidos.
    Não acredito na imbecibilidade das pessoas.

    • 03/12/2018 at 16:55

      Carlos, calma lá: parte da Igreja conservadora, com seus seminários, compra esses livros dele. E não se esqueça, há muita gente que gosta de teoria da conspiração, ela é uma forma de animismo, de pensamento infantil

  10. Rubens
    03/12/2018 at 14:41

    Thiago Alcantra
    03/12/2018 at 10:49
    Muito bom o texto, Paulo!

    Gostaria de fazer uma pergunta que não tem a ver diretamente com o texto.

    Gostaria de saber se na Academia, ou seja na Universidade é local de militância política, ou a universidade é lugar apenas de ensino das ciências em geral?

    Pergunto isso por conta da eleição de Bolsonaro, estou vendo que se antes já tínhamos muita militância na universidade, após a eleição estou vendo que a militância política esta muito maior que antes!

    Resposta: Desde que haja o amplo debate sim. O que não pode é haver espaço para apenas um dos lados.
    (Qualquer semelhança é mera coincidência)

    • 03/12/2018 at 16:56

      Todo lugar é local de militância, se é lugar público, respeitada as regras do local, pois militância é cidadania. Respeitada as regras, nesse sentido: veja o que fizeram comigo, invadindo minha sala de aula e me acusando do oposto do que sou.

  11. Thiago Alcantra
    03/12/2018 at 10:49

    Muito bom o texto, Paulo!

    Gostaria de fazer uma pergunta que não tem a ver diretamente com o texto.

    Gostaria de saber se na Academia, ou seja na Universidade é local de militância política, ou a universidade é lugar apenas de ensino das ciências em geral?

    Pergunto isso por conta da eleição de Bolsonaro, estou vendo que se antes já tínhamos muita militância na universidade, após a eleição estou vendo que a militância política esta muito maior que antes!

    Abraço!

    • 03/12/2018 at 11:39

      A militância política faz parte da cidadania, não há restrição para o exercício da cidadania senao nos ambientes privados, ou seja, nas casas, por conta dos donos da casa, ou na sala de aula, por conta do professor.

  12. mathaus
    03/12/2018 at 01:56

    o Governo-Show do bolsonaro irá durar enquanto for de interesse da maquina de campanha que o elegeu.

    sucateamentos, desconstruções, desmontagens, destruições e privatizações, O governo-Show é uma grande distração, o Brasil vai virar uma Argentina da noite para o dia.

    • 03/12/2018 at 11:41

      Não há “máquina de campanha” meu caro.

  13. Judith Seabra
    01/12/2018 at 20:17

    Olhe aqui, filósofo: gosto muito do senhor e do conteúdo, tanto aqui no blog quanto lá no seu canal do Yotube. Mas, puxa vida, há dias deixei um comentário meu em outro artigo aqui do blog e o senhor nem tchum! Foi lá rtico sobre a “olavete doidona do Olavo”. Por que não me respondes? Que diabo! Olhe aqui, não sou mulher( sou mulher trans) de ficar feita de bobanão, viu? Oras bolas! Agora, fica tão absorto no Yotube, criticando Bolsonaro e o olavismo cultural, e com razão, que até esquece de responder às pessoas! Desculpe-me, mas sou nervosa, mesmo. Nem vou dizer-lhe o que escrevi. Por favor, vá lá e leia o meu comentário e, por obséquio, responda-o. Ai, acordei com a macaca, hoje!

  14. Maria Aparecida
    01/12/2018 at 15:58
  15. Hilquias Honório
    01/12/2018 at 13:53

    Professor, tenho acompanhado todo dia o Canal da Resistência no YouTube. Tem sido um grande trabalho.
    Penso que também seria legal fazer um vídeo sobre as colocações do “sociólogo” Bolsonaro, feitas nos últimos dois dias, sobre “integrar os índios”. Mais uma pérola da figura!

  16. Clodoaldo da Silva Couto
    01/12/2018 at 11:31

    Bom dia, professor Paulo Guiraldelli. Analogia maravilhosa, marcada por uma metáfora arrasadora e perfuro-cortante contra toda essa onda neoliberal e neonazifascista, anacrônica e descabida, que caracteriza o futuro e bizarro governo boçalnaro. Estou sempre aprendendo, cada vez mais, com seus excelentes vídeos, textos e livros. Parabéns, em especial, por mais excelente texto. Resistência com inteligência e reflexão, sempre!!!

  17. Clodaldo da Silva Couto
    01/12/2018 at 10:24

    Bom dia, professor Paulo Ghiraldelli. Analogia maravilhosa, marcada por uma metáfora arrasadora e perfuro-cortante contra toda essa onda neoliberal e neonazifascista, anacrônica e descabida, que carateriza o futuro e bizarro governo boçalnaro. Estou sempre aprendendo, cada vez mais, com seus excelentes vídeos, textos e livros. Parabéns, em especial, por mais esse excelente texto. Resistência com inteligência e reflexão, sempre!!!

  18. Giovanni Nessuno
    01/12/2018 at 10:21

    Já fiz parte deste comentário no seu YouTube: O.Carvalho chancela e é chancelado pelo governo da república. Por quanto tempo isso isso vai durar – e progredir?
    Já há gente que pega coisas do O.Carvalho indiretamente, por reverberação. Nem sabe de onde vem. O impacto convence. Isto está crescendo.
    Como é que professores podem filtrar esse descalabro, daqui em diante, quando há reforços diários? Como seriam os argumentos? O aluno traz de casa o pensamento manietado dos pais… das titias. Um esclarecimento por parte do professor vai ser tomado como “subversão”! É uma enormidade…? Passamos da plutocracia +latrocracia para insanocracia. E agora? Clinicamente a coisa é a seguinte: “Se eu acreditar em tudo o que (o paciente) me disser, eu não vou estar sendo nada científico”. Mas quem analisa, avalia ou estuda o que o insano diz? Aceita-se sem discutir – porque o outro é doido. E há quem acredite, dada a ênfase como é dito – imposição pela grosseria e palavrões, pela deformação do esgar.

    • 01/12/2018 at 21:40

      Há outro mecanismo senão a razão e a a conversação racional?

  19. Meiri
    01/12/2018 at 10:15

    No início do artigo, Inês Prado, clica lá em crossdressers nazistas e tem vídeo sobre!

  20. 01/12/2018 at 08:44

    Detesto ouvir palavroes enquanto ando pelas ruas do Rio. Atualmente sao usados como expressoes de exclamaçao, ao inves de: Poxa!!! Caramba!!! Desde sempre estive na Resistencia à este tipo de expressao suja, pois ouvi as sempre de meu pai na infancia: trauma infantil. Fiquei horrorizada qdo o futuro presidente na sua 1° propaganda eleitoral disse que sua filha …..até falava palavroes. Eu nao o elegeria nem pra pai.

    Tenho 61, aposentada da UFJF do DCC. Ñ tenho partido. Nunca me interessei por politica, mas estou acompanhando o seu canal dentre outros. Estou na Resistência, juntos vamos extirpar esses boçais eleitos pelos seus pares.

    • 01/12/2018 at 21:40

      Palavrão tem de dizer algo, se não diz, não vale.

  21. João Villaverde
    01/12/2018 at 01:33

    Excelente!

  22. Sandra Britto
    30/11/2018 at 23:42

    Bingo! Amei esse texto, você lincou a intercessão que aproxima essas criaturas deformadas pelo recalque

  23. Mariangela Rossetto
    30/11/2018 at 22:30

    Muito boa análise professor, obrigada por me ensinar tanto.

    • 01/12/2018 at 04:38

      Mariângela, você aprende porque é inteligente.

  24. 30/11/2018 at 22:28

    Agradeço imensamente pelo artigo. Vou imprimir, ler, reler, mostrar para meu filho que ainda nao decidiu sua carreira, mas que ama filosofia. Seu trabalho se mostra comprometido com o conteudo filosofico, didatico e contemporaneo, o que o torna muito relevante nos dias de hoje.

  25. Bruna Lu
    30/11/2018 at 22:19

    Não sei quais são as suas crenças quanto a reencarnação, mas possuo memórias de outras vidas. Em uma dessas vidas fui um nazista, inicialmente um membro da Sturmabteilung (SA) e posteriormente piloto da Luftwaffe. Essas fotos realmente não me surpreenderam, era realmente uma prática comum realmente, em algumas divisões menos aceita do que em outras, mas ainda assim comum. Quanto à homossexualidade te garanto que haviam muitos envolvidos, na SA eram até mesmo realizadas orgias entre os membros (sim, tive participação nisso então posso garantir). A opressão cresceu após a Noite das Facas Longas em 30 de junho de 1934, mas muitos dos homossexuais da SA foram transferidos para as forças armadas portanto é natural que houvessem vários nos fronts.

  26. 30/11/2018 at 21:39

    E onde encontro essas imagens, professor?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *