Go to ...

Paulo Ghiraldelli on YouTubeRSS Feed

26/03/2017

Uncategorized

Enfim, livres da política

Enfim, livres da política “Todos têm posição política, quem diz que não tem posição política, já está se posicionando politicamente.” Nas décadas de setenta e oitenta vivíamos escutando essa frase. Ela quase se tornou verdadeira. Mas ela era falsa e continua a ser falsa. Quando Aristóteles definiu o homem como um “animal político”, ele estava

Ato médico é ato fominha?

Ato médico é ato fominha? Os pedagogos possuem o monopólio da educação da criança no Brasil. Caso você tenha passado por todo tipo de ensino, inclusive com pós-graduação no campo educacional, mas não é pedagogo, então que não se aproxime de criança em nosso país!

Médicos versus Governo

Médicos e governo:  golpes abaixo da cintura Parte dos médicos brasileiros tem uma vida distante da pobreza. São pessoas cujos pais tinham alguma condição financeira boa ou, ao menos, não muito ruim, mas isso não quer dizer que não se esforçaram muito, individualmente, para serem médicos. São pessoas inteligentes, e por razões de cultivo de

Ressentimento, inveja e médicos no Brasil

Ressentimento, inveja e médicos no Brasil O ressentimento é algo terrível. O ressentido se remói e acaba, não raro, caindo nos braços da inveja. Esse processo maldito atinge pessoas e se manifesta psicologicamente, mas às vezes contamina um grupo e se transporta para o âmbito psicossocial. Nietzsche aproveitou esse aspecto psicossocial do ressentimento para caracterizar

As mulheres sofredoras de Karl Marx

As mulheres sofredoras de Karl Marx Como um sogro feroz e conservador, Marx chamou a atenção de Paul Lafargue para o que ele permitiria e o que ele não permitiria no namoro deste com sua filha. Lafargue foi o autor de O elogio da preguiça, mas parecia não ser nada preguiçoso quando avançava sobre Laura.

Os filósofos e os protestos de junho

Os filósofos e os protestos de junho Filósofos de esquerda como Marilena Chauí e Vladimir Safatle divergiram em suas análises do movimento de protestos. Pejorativamente, Chauí falou da “dimensão mágica” dos protestos, algo que derivaria do não domínio técnico e econômico da Internet por parte de seus usuários, levando em conta que a Internet, e

Marilena Chauí e o pensamento mágico dos jovens

Marilena Chauí e o pensamento mágico dos jovens “Pensamento mágico” é um pensamento que antes “explica” que explica. Fala em termos de relações que desprezam causalidade e racionalidade, elementos chaves do pensamento racional. Desse modo, tudo pode se transformar em tudo, e se surgir nele algo do nada, não é alguma coisa de se estranhar.

O bom serviço de Feliciano

Feliciano não sabe o quanto foi útil. Diferentemente das coisas anteriores que Feliciano falou, sendo racista, homofóbico, cruel e, pior, das coisas que fez como pastor, no caso da “cura gay” ele prestou um serviço à nação. De fato, quando retiramos do campo das patologias a homossexualidade, o fizemos por meio de um ato de

O que é a “revolução do indivíduo”?

O que é a “revolução do indivíduo”? Não há casa comercial que não queira colocar na TV uma propaganda a respeito do quanto pode oferecer “serviço personalizado”. A TV propagandeia aquilo que se casa com a necessidade de nossos tempos de sermos tratados não como número, uma vez que de fato somos número. De uns

A ditadura gay e outras coisinhas do protesto

A ditadura gay e outras coisinhas do protesto Às revoluções ou grandes reformas precede um rearranjo topológico semântico que, de certa forma, são a permissão para que tais coisas ocorram e talvez seu principal resultado. Estamos vivendo isso. O nosso Congresso votou rapidinho uma série de propostas que ficaria anos mofando, e o fez em

O fator Barbosa e a democracia representativa

O fator Barbosa e a democracia representativa “Feliciano não me representa” – eis aí uma expressão que percorreu as comunicações nacionais no interior da Ágora contemporânea, também chamada de Internet. A expressão se tornou um bordão, usada para coisas sérias e para frases de humor espirituoso. Quando ela já estava entrando em desuso, o país

A revolução fora do banheiro

A revolução fora do banheiro “Se abandonarmos nossos medos, outras formas de organização virão”. O professor Wladimir Safatle termina assim o seu artigo na Folha de S. Paulo (25/06). Aparentemente diz algo na contramão das posições conservadoras, que estão agarradas aos pelos das pernas de Augusto Comte, no nosso “ordem e progresso” que deixou o

A prisão dos analistas políticos

A prisão dos analistas políticos Estamos destinados a sempre pensar a mesma coisa porque nossa linguagem muda pouco, mesmo quando sob uma forte demanda. Os intelectuais insistem em falar em “classes sociais” e em “direita” e “esquerda” na análise de um movimento de protestos que é uma “revolução do indivíduo” e que pede realizações que

Marilena Chauí não entende a Primavera Brasileira

Marilena Chauí não entende a Primavera Brasileira O que mais me apavora na política é o passado. Fascismo e comunismo são o passado. São as duas doutrinas políticas, características do século XX, que buscaram denunciar o liberalismo como também uma doutrina, e não como uma forma “natural” de vivermos, como quase chegamos a acreditar antes

A revolução do indivíduo

A revolução do indivíduo A Primavera Brasileira tomou corpo e rosto, finalmente. Já sabemos o que ela é. Trata-se da revolução do indivíduo. As manifestações imediatamente anteriores ao Golpe de 1964 eram antes de tudo protestos empurrados por disputas de governos estaduais contra o governo federal. Em 1968 não foi muito diferente. Os estudantes foram

Primavera Paulistana

Primavera Paulistana No passado, alguém diria que é Cuba que está fomentando as manifestações em São Paulo. Como ninguém mais é comunista, quem diz algo assim não será ouvido, será apenas mais um gagá. Mas os conservadores, ricos ou pobres, reclamam e reclamarão das manifestações. O conservador paulistano é aquela pessoa que olha uma criança

“Puta que o pariu”

“Puta que o pariu” Qualquer governo que tome medidas contra o preconceito em relação às prostitutas está mais que correto. Poucos discordariam de mim quanto a isso. A discordância viria quando das medidas concretas. O cartaz da campanha que iria ser veiculada pelo ministério da Saúde continha os dizeres “Sou feliz sendo prostituta”. A frase

O militante petista – que coisa desastrada!

O militante petista – que coisa desastrada! (texto misteriosamente apagado do Facebook várias vezes!) O principal sobre o PT não é que ele se tornou um covil de ladrões ou de golpistas da democracia, chefiados por tipos-cópia de mafiosos. O que salta aos olhos é que o PT se tornou um partido conservador, senão em

Será que lá há vida inteligente?

Será que lá há vida inteligente? O homem pisou na Lua.  1969. Eu estava colado no televisor vendo tudo. Abria-se uma nova era e nós, crianças da classe média brasileira, fazíamos mais ou menos o que as crianças americanas faziam, brincávamos de astronautas. Queríamos ser astronautas. Afinal, era a única profissão que conciliava três elementos

O filósofo cão

O filósofo cão Alexandre o Grande chegou à Atenas e ficou sabendo que Diógenes, o filósofo-cão, estava em seu lugar costumeiro, ao lado de seu barril. Incomodado com a vida miserável do sábio, foi até o homem para tentar ajudar-lhe. Encontrou Diógenes quase que nu tomando sol, cercado dos cachorros de sempre e em uma

Cada porquinho-filósofo tem o seu Lobão

Cada porquinho-filósofo tem o seu Lobão O intelectual que se agarra em Nietzsche para dizer que os programas de bolsas e cotas de qualquer governo criam vagabundos casa-se facilmente com aquele montado em Marx que afirma que a classe média é fascista. Juntos eles podem gerar um filho esteticamente comprometedor: o baterista e agora scholar

Amado Torturado Batista

Amado Torturado Batista O cantor Amado Batista foi torturado durante a Ditadura Militar. Entrevistado por Marília Gabriela ele disse que “mereceu”. Bem, há dois elementos aí que contam a favor da sua tese: primeiro, o fato de ter dito que mereceu; segundo, as suas canções que, enfim, mantém nossos ouvidos sob tortura.

Nietzsche somente para inteligentes

Nietzsche somente para inteligentes Platão criou a filosofia como um gênero literário umbilicalmente ligado à política. Seu objetivo era encontrar a fórmula para a cidade justa. Como virtude da cidade, a justiça se institucionalizaria segundo uma ordem classista hierarquizada e fixa. Assim, segundo essa ordem, a cidade abrigaria os trabalhadores manuais, os soldados guardiões e

Direita e esquerda

Direita e esquerda Os liberais inventaram a igualdade perante a lei. Nada de ser julgado pelo dono da terra, segundo seus critérios voláteis e idiossincráticos. A lei é a lei: escrita (ou quase isso), sempre igual, aplicável da mesma maneira ao rico e ao pobre, ao coxo e ao lépido, ao homem e à mulher,

Félix, homossexual na era do pós-conceito

Félix, homossexual na era do pós-conceito Felix trouxe à tona no horário nobre da TV brasileira o drama da alma gay: “sou diferente, mas não quero ser diferente”. Ora, por que não querer ser diferente? Porque ser diferente pode não trazer o amor do pai, a aprovação e o aplauso que todo animal na face

A vergonha

A vergonha “Sou envergonhado e tímido” – há muita gente que se define desse modo. Assim, alguns passam uma vida toda perdendo oportunidades e se saindo mal em tudo. Qualquer tarefa em que precisam se colocar à dianteira, ganhando certa visibilidade, é exatamente o momento em que recuam e colocam tudo a perder. Não mudam,

Older Posts››