Go to ...

Paulo Ghiraldelli on YouTubeRSS Feed

29/05/2017

Mídia

A Rede Globo continua, o PT não

O Globo Repórter fez hoje, dia 15/04, um programa sobre como que o brasileiro consegue “com trabalho e criatividade driblar a crise”. Caso eu tivesse hibernado nos anos setenta e acordado agora, salvo a cor da tela e o cabelo grisalho de Sérgio Champelin, não sentiria qualquer diferença. A ideia é a mesma de sempre:

O que fazer com Fernandinha Torres?

Fernanda Torres fez um belo texto – de escritora, claro, não de socióloga – falando o que toda feminista deveria saber falar. Enalteceu a mulher que pode ser mulher, que pode ser sensual, que pode ser negra sensual. Ou seja, fez um texto libertário no sentido de oferecer o “pode” para a mulher. A mulher

O caso Kim na Folha de S. Paulo

Tanto a Folha de S. Paulo quanto a rede Globo estão como barata tonta diante da Internet. Não conseguem se adaptar ao fenômeno, não o entenderam ainda, e então se perdem na ideia de correr atrás de quem eles acreditam que tenha popularidade. Mas popularidade é um coisa, jornalismo e entretenimento é outra. Um calango

O senso comum simplório e a verdade

O homem que vê os dois lados de uma questão é um homem que não vê – Oscar Wilde O que Pascal falou contra Descartes foi que uma verdade (1) não recebe de uma afirmação que lhe é contrária uma mentira, mas talvez também uma verdade. Uma verdade ao lado de outra que não lhe

O ânus como a última porta

A arte não tem que ser bela. Ao menos não após a fim da história da arte, como o filósofo americano Arthur Danto efetivamente já mostrou em diversos livros. Isso é quase que uma definição: a história da arte chega ao fim à medida que, entre outras coisas, ela própria, a arte, dispensa os filósofos

Desapega! O lema da mulher OLX

A nova novela da Rede Globo entra na onda do site OLX: “desapega”. A ideia básica é desapegar do amor que supostamente parece não corresponder. É a ampliação da ideia contra a qual se insurge o professor argentino de filosofia, Bergloglio, que por sinal é o Papa Francisco: o descarte, o “deixe de lado”, o

Darth Vader acolhe Lênin na Ucrânia

Darth Vader é hoje passado. Lênin também. Manter a estátua de Lênin no interior de uma estátua de Darth Vader, hoje, é uma completa situação anacrônica. Mas é isso que se passa no mundo da ex-URSS, a Ucrânia, hoje.

“Vista a roupa meu bem”

A Playboy americana está repensando sobre a publicação de fotos de mulheres nuas. Tudo leva a crer que as fotos de mulheres em poses eróticas continuarão, mas que a nudez completa desaparecerá. Também os célebres calendários da Pirelli não trarão mais beldades, mas fotos de mulheres “expoentes em suas áreas”. Ora, do que estamos falando?

Ciências humanas em crise – qual crise?

No contexto da Revolução Francesa, surgiu o que hoje denominamos “esquerda” e “direita”. Historicamente a esquerda nasceu como o partido dos com poder e a direita como o partido dos sem poder. Ainda no contexto francês revolucionário a direita passou a ser o partido dos com dinheiro e a esquerda o partido dos pobres. Mais

Ainda sou Charles Hebdo?

Talvez tenhamos a chance agora, com a charge de capa do semanário Charlie Hebdo, cujo tema é o menino morto na praia, o símbolo da luta dos atuais refugiados sírios, de entender Francisco I. A direita obviamente já o odeia e a esquerda está com dificuldades de alcançá-lo. Mas, talvez ser de direita ou de

Os cabeçudos são os outros

Nietzsche se divertia ao dizer que o platonismo é o nosso senso comum. Como? Uma filosofia tão importante, propriamente a origem da filosofia, seria o nosso senso comum?

Rede Globo e liberdade de imprensa

REDE GLOBO. A ESQUERDA FAZ um encontro em um diretório estudantil e, como foi um pouco mais de gente que o costumeiro, reclama da Globo porque não passou durante duas horas no Jornal Nacional.

A revolução e a Pílula Rosa

O Viagra foi eleito por bobos da corte como o causador de revoluções mais fecundas que as da teoria de Marx. Será que a Pílula Rosa, a que desperta o desejo feminino, agora liberada nos Estados Unidos, será mais importante que toda a revolução feminista do século XX? Qual será o bobo da corte a

Bíblia sim, criacionismo não

A Bíblia é sagrada, não há dúvida. Por isso deve estar presente na escola. Ela é sagrada como documento antropológico. Não há como aprender ciências humanas e filosofia sem conhecer a Bíblia como um elemento antiquíssimo de valor intelectual antropológico riquíssimo, que fornece boa parte de nosso ethos ocidental.

A jornalista simplória

Há algum tempo, quando essa segunda onda conservadora começou (a primeira da nossa história recente foi a que levou Collor à presidência), que é a que vivemos agora de modo agudo, uma jornalista da Veja me ligou para uma entrevista. Ela havia escutado em algum lugar que eu tinha criticado os professores de “cabeça estreita”,

Não existe mais machismo

O machismo não existe. Ou quase! Ele não existe mais porque se tornou uma palavra para dar nome a tudo e, perdendo seu uso correto, abriu um buraco em si mesmo. 

A favor do mundo pior

Vivi o final dos anos cinquenta e início dos anos sessenta como criança. Nasci em São Paulo, mas morei também no interior. Lá tínhamos um quintal com animais. Os animais eram bem tratados. Mas nós não exitávamos em matá-los.

A demonização da Rede Globo

Na novela “Babilônia” a direita é ridicularizada. A figura da mãe do político corrupto de Jatobá é toda “Deus, família e propriedade”, e é sem dúvida mais que uma chata. Os ricos empresários são mostrados todos pelo seu pior lado – e talvez nem tenham outro lado. E se há, na novela, alguns ricos que

O que as mulheres fazem no banheiro?

Não posso dizer como sei, mas eu sei o que as mulheres fazem ao irem juntas ao banheiro. Nada do que passa nos filmes. Nada do que você pensa que sabe após consultar o amigo gay delas, que talvez tenha ido junto a algum banheiro menos vigiado. Também não fazem o que contam – ao

“Abuso contra a criança” – agora correto.

Quando se fala em “abuso de crianças”, em geral surgem os “caça pedófilos”. Disfarçados de protetores de crianças, pregam a violência indiscriminada e, na base da gritaria, carregam nas costas os linchadores de plantão, das radialistas e dos radialistas de sempre. Promovem palavras de vingança. Quando não se trata de pessoas isoladas que, agindo assim,

Criança adora sexo!

Conversando um pouco mais sobre a teoria do mata-borrão e superações dela no campo da teoria das comunicações. A discussão sobre o gesto.

Existe mesmo no Brasil “o quarto poder”?

No Império o “quarto poder” era o de “moderação”, ou seja, a possibilidade de intervenção da vontade do Imperador nos negócios às vezes já decididos pelos outros poderes do Estado. Com a República imaginou-se que um tal “quarto poder” desapareceria, mas tão logo o século XX andou e o rádio e a TV se tornaram

Older Posts›› ‹‹Newer Posts