Go to ...

Paulo Ghiraldelli on YouTubeRSS Feed

29/03/2017

Filosofia

As crenças de um estudante de filosofia

Há uma esperança matreira na cabeça de muitos estudantes de filosofia. Eles imaginam que podem entrar num curso de filosofia e saírem sabendo mais e, no entanto,  com a mesma identidade. Ora, até podem, mas se isso acontece, não entraram num curso de filosofia, mas em um bacharelado de um algum saber de ordem não

O parlamento das coisas

Heráclito não acreditava falar por si mesmo. Aliás, o “si mesmo”,  esta expressão, é uma invenção nossa, não dos antigos. Heráclito entendia que o logos do cosmos utilizava de sua boca para falar de sua organização própria, a harmonia cosmológica. O Humanismo moderno nos tirou essa possibilidade. Então, se as coisas querem falar, hoje em

Contra Badiou. Nota sobre seu ensaio a respeito do realismo

Com tantas correntes diferentes de pensamento filosófico, como podemos falar em uma história unificada da filosofia? Em termos gerais medievais, modernos e contemporâneos compuseram uma só história uma vez que nunca se viram desligados da conversa inaugurada por Platão, relatando a disputa de Sócrates e sua própria com o sofistas. Por um lado, Platão sempre

Marcela Temer precisa nos dar um escândalo

Marcela Temer é linda, mas não estou procurando fotos dela nua na Internet. Nem do presidente – garanto. Também não estou procurando fofocas da vida íntima do casal, que poderiam estar no celular de Marcela, hackeado. Mas, segundo o entendimento de vários estudiosos do Direito, errou feio o juiz que autorizou a censura à Folha

Nietzsche, o heteronarcisista exemplar de Sloterdijk

Em um do seus textos mais belos, Peter Sloterdijk caracteriza Nietzsche “como o descobridor do ‘heteronarcisismo’”. Nesse caso, o que Nietzsche faz é afirmar em si mesmo nada senão os outros, ou seja, “as alteridades que entram nele formando uma composição que o atravessa, o encanta, o tortura e o surpreende”. “Sem surpresas, a vida

Estamos vendendo carteirinha! Ou: o que é alienação

A garota Bruna passou na medicina da USP de Ribeirão Preto. Colocaram nas redes sociais a manchete: “negra e pobre passa na Fuvest em primeiro lugar”. Ela própria, pela entrevista que deu, parece estar orgulhosa disso, nos termos da manchete. Tratou de desfiar um rosário sobre a sua condição social a partir de jargões do

O stress da sociedade da leveza contemporânea

Não é porque estamos lutando pelo fim do sacrifício dos animais que o sacrifício nosso acabou. E aí a palavra “sacrifício” tem vários sentidos: do voluntariado de guerra ao trabalho árduo e deste para deveres morais nada fáceis. Essa minha tese, portanto, se insere claramente no debate contemporâneo em contraponto à tese de Gilles Lipovetsky,

A revolução dos não-bichos

Para Nana Lacerda Uma cenoura é diferente de um esquilo não no mesmo sentido que um esquilo é diferente de uma vaca. Muita gente que dá palestra por aí não sabe disso. Conhecem o tipo? Sim, até na Unicamp tem gente assim! É aquele que adora dizer que quem não mata uma vaca vai acabar

O pensamento infantil das “teorias da conspiração”

Quem são os que inventam as chamadas teorias da conspiração? Os bem escolarizados tratam essas pessoas como “café com leite”. Deixam-nas falar e, não raro, alguns até, perversamente, riem pelas costas. Afinal, até nas melhores famílias há aquela figura que vê alienígenas, comunistas e banqueiros verdes que moram no centro da Terra manipulando tudo. Mas o

Tocqueville, Trump e os jornais

Duvido que uma pessoa como Trump possa ler algum livro. Mas, pensando no que um presidente americano – e todo estudante brasileiro – deveria ler, não há dúvida que, no caso atual, o melhor seria A democracia na América. 

The American Dream reposto por Deus

Terminada a Segunda Guerra Mundial os Estados Unidos trouxeram para o mundo o que havia sido gestado em cem anos: The American Dream. As classes médias do mundo todo foram se americanizando e, nesse ímpeto, passaram a importar o modelo do que era lícito sonhar. O ideal era uma família de dois filhos, carro novo

O homem é homem se tem sua raposa

Meu avô foi um rábula. Um estudioso do Direito que, tendo como escola um bom escritório de advocacia, ganhou condições para prestar o exame da OAB e se tornar advogado. Com isso, chegou a ser advogado do Palácio dos Bandeirantes, na gestão de Adhemar de Barros. Foi um sábio, sem dúvida. Seu nome era Carlos

O drama da verdade em filosofia a partir de Tocquevile

O pragmatismo é uma corrente filosófica que a América reivindica, com razão, como sendo de sua propriedade criadora. Seus três grandes heróis nasceram no século XIX: Peirce, Dewey e James. Os escritos desses homens construíram uma parte da história da filosofia no século XX, encorpando trabalhos sobre lógica, epistemologia, teoria moral, política da democracia, estética,

Um espectro ronda a modernidade: a maioria

A ficção de um dos episódios da série Black Mirror mostra um mundo onde todos são avaliados e premiados com nota a partir de uma continua votação via rede social. Por essa avaliação, cujos critérios são os mais frívolos possíveis, uma vez que são o da moda e decido pela maioria, redistribui as oportunidades gerais

Antropotécnicas como base do projeto narrativo de Sloterdijk

No lugar da divisão entre natureza e cultura, Sloterdijk coloca o conceito de antropotécnica – conjunto de aparatos, práticas e exercícios de construção da humanidade do homem, nos termos de filogênese e ontogênese, que dispensa questões do tipo “o que vem primeiro, o ovo ou a galinha?”. Vejamos o caso: cientistas observadores de animais relatam

Tudo é uma questão de ponto de vista, mas sem banalidade.

Falamos das coisas como divididas entre “características intrínsecas” e “características meramente relacionais”. Ou seja, há atributos de algo que avaliamos como pertencentes à própria coisa, que não podem mudar, e há atributos desse algo que são mutáveis, segundo nossa visão ou posição histórica ou geográfica, e que portanto podem mudar sem que o algo analisado

Só um Deus pode nos salvar

A Oliver Cromwell se atribui a seguinte frase: ‘nunca um homem sobe mais alto do que quando não sabe aonde aonde vai’. A sentença é lembrada por Peter Sloterdijk no livro em que constrói uma “teoria filosófica da globalização”, que na língua portuguesa ganhou o belo título O Palácio de Cristal. O filósofo alemão cita

Crise da representação

“Fulano de tal não me representa”. Temos visto esse tipo de manifestação, na Internet e nas ruas. Não só no Brasil. Os analistas da vida política falam em “crise de representação”. As pessoas delegam poderes para quem as pode representar na democracia liberal representativa, e logo se sentem traídas. Então, começam a desconfiar de que

Older Posts››