Go to ...

on YouTubeRSS Feed

26/09/2018

A FIFA declara: que a beleza desapareça, ela é o pecado


[Artigo para o público em geral]

Dizem que se olharmos uma bruxa de perto, ficaremos apavorados para todo o sempre. A feiura da bruxa lhe é dada pela verruga peluda na ponta do nariz ou do queixo. Suas rugas se tornam até amenas diante dessa verruga cancerosa. É a face que faz toda criança tremer e temer. O problema é que as crianças crescem e, então, mudam radicalmente sobre o que tremer e temer.

Crianças temem os feios, adultos temem os belos. Narciso foi avisado: você não deve olhar no espelho das águas, sua própria beleza o levará à morte. Ressoa na cultura ocidental esse dito da potência mítica. Os belos só encontram portas abertas, mas talvez antes por medo que por apreço. No limite, os belos são tidos como sobrenaturais, como os feios quando se é criança. São temidos. É que os belos fazem emergir o que há de mais mesquinho entre nós, a incapacidade de transcendência.

O maior erro é achar que há inveja dos belos. A inveja não é teoria para nada. O ataque à beleza é fruto da incompetência que sentimos ao percebermos que não conseguimos ir do belo à beleza. A falha na transcendência é o que nos denuncia incompletos.

Mirar o belo, dizia Platão, é a chance nossa de relembrar do mundo além do sensível, de ver a face do deus que nos apadrinhou por nos fazer reconhecer no humano algo de divino. Se olhamos um rapaz belo e o louvamos como parecido com o deus, é porque estamos no rumo da perfeição, de uma certa volta da alma ao mundo das Ideias da qual ela veio. Uma perfeição que, enfim, só existe mesmo no âmbito do que é transcendente, no âmbito daquilo que sai do campo sensível e atinge o campo puro das Ideias. Mas e se, diante do belo, não transcendemos? Isso nos mostra a própria incapacidade, nossa prisão no reino da estupidez, a incapacidade não de ser filósofos, mas de entender a que aspiram os filósofos. Há mais gente assim do que podemos imaginar!

Ó medo do belo é, no fundo, o medo de nós mesmos. De nos reconhecermos como medíocres em sentimentos e em inteligência. Vemos o belo humano e ao invés de irmos adiante, ao infinito, à Beleza, ficamos aqui mesmo, sem entender o que vimos. Desconfiamos, com isso, de que fomos feitos incapazes, de que nascemos com incapacidade estética, o que é, de certo modo, incapacidade em geral. Sei da mediocridade de uma pessoa quando ela não gosta de Milo Manara.

A FIFA diz: nada de TV mostrando mulheres belas, pois já avisaram as feministas que estamos tendo assédio demais durante a Copa. Feministas avisaram? Ou a polícia de Putin? Ou as duas coisas? É interessante notar o vocabulário da FIFA. Não fala em mulheres belas, mas mulheres “atraentes”. A mulher não deve ser atraente, não deve atrair. Há algumas mulheres que atraem – atraem o mal! Não é fantástica essa teoria troglodita?

A questão da FIFA sobre “não filmar mulheres belas nas torcidas” ou “não filmar mulheres atraentes” é um momento desse nosso medo da beleza. Ao invés de punir autores do assédio, a Rússia-FIFA opta por fazer desaparecer as mulheres que seriam as provocadoras dos assédios. A mulher bela é autora do mal, não a vítima. Novamente a “teoria da delegacia”: “quem mandou sair com vestido curto, aí os caras mexem mesmo, até dão uma estupradinha”, diz o delegadinho bolsonarista, agora apoiado pelo advogadinho (a) bolsonarista. Ou trumpista! A beleza ofende por trazer à tona a incapacidade de alguns de apreciá-la. Então, vamos fazê-la desaparecer.

Caso um dia a FIFA se depare com um crime de abuso sexual com crianças, ela deverá decretar que não se ponham mais crianças nas telas durante jogos. No limite, um governo mundial regrado por gente da FIFA deverá dizer: a melhor maneira de não termos mais abuso sexual infantil é não termos mais crianças – que todos parem de procriar. Um dia acabaremos com os homicídios através de uma bomba nuclear que seja o homicídio total.

Esse tipo de solução foi aventada por Bolsonaro: ele diz que o melhor seria armar as mulheres, para que elas se defendessem, assim não haveria mais feminicídio, tudo seria homicídio. A repórter que o entrevistou riu, mas não ela não riria se soubesse que esse tipo de gente, como Bolsonaro, tem apoio até de mulher.

Uma boa maneira de acabar com pessoas que são vítimas é acabar com as vítimas. Um dia um cara teve essa ideia. Já que os judeus sempre posam de perseguidos, de vítimas, vamos eliminar o crime do mundo ao eliminar todos os que posam de vítimas. E lá veio o genocídio dos judeus na II Guerra Mundial. Uma ideia de Hitler, só podia!

O belo pode se transformar no defeituoso, se o mundo se vê na condição de não mais almejar a beleza. Tudo que é conjectural como podendo apontar para mais verdadeiro, mais correto e mais belo, para um povo que não quer nada de mais verdadeiro, mais correto e mais belo, pode se tornar um crime. A FIFA desnudou a mediocridade que queremos esconder.

Paulo Ghiraldelli Jr., 60, filósofo. São Paulo, 13/07/2018

Tags: , , , ,

6 Responses “A FIFA declara: que a beleza desapareça, ela é o pecado”

  1. LMC
    14/07/2018 at 11:40

    Bah,PG,a coluna da Maitê no
    jornal parece aqueles filósofos-
    palestrantes que você sempre
    cita aqui.É a versão mulher
    do Reinaldo Serra Azevedo.

    • 14/07/2018 at 11:44

      Eu falei da “obra como um todo”. A atriz que faz entrevistas etc. Agora, exigir da Anita que ela além de clip faça música, é pedir para o diabo fazer o bem.

  2. Henrique
    13/07/2018 at 22:03

    esse mecanismo é assustador, Paulo! Mas eu pensava que essa desconstrução da beleza viesse por vias progressistas, e não da direita. A beleza oprime pq é elitista, segregadora, etc. Essa é uma desconfiança da esquerda, não voltada para a beleza como transcendente, mas às relações sociais.

    • 13/07/2018 at 23:15

      Bem, eu não penso o mundo a partir de direita e esquerda. E meu texto não fez isso. A solução da Fifa veio de vários setores – todos medíocres.

  3. LMC
    13/07/2018 at 14:59

    Que texto!Que bom humor,PG!
    Enquanto isso,a Maitê Proença
    escreve bobagens no Estadão
    durante a tal Copa do Putin-ainda
    bem,que só até este fim de semana.

    • 13/07/2018 at 19:13

      Mas a Maitê pode, ela continua linda. E olha, nem sempre o que ela fala é bobagem. Por exemplo, ela tem o mérito de fazer um programa de TV onde colocou para escanteio a gingivosa Tiburi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *