Go to ...

on YouTubeRSS Feed

20/05/2018

Neoliberais são muito parecidos com leninistas


[Artigo para o público em geral]

Todos os dias os conservadores da imprensa nos brindam com pensamentos hilariantes. Um deles nos fornece o liberalismo como a última moda e até como uma forma de “ser revolucionário hoje no Brasil”. Estes são os pensadores que, enfim, a própria imprensa denominou “neoliberais”. Eles disputam com o pensamento jornalístico de esquerda, adotado por certos professores publicistas, o pódio da superficialidade.

Por que são superficiais?

Por causa de que denunciam corretamente o marxismo cientificista, mas ao assim fazer, repetem o erro deste. Eles dizem, seguindo um vulgarização do pensamento de Adorno e Horkheimer, que o grande pecado do marxismo é ter desejado realizar uma utopia. Ao dizerem isso, erram duplamente. Primeiro erro: utopia é utopia, ninguém quis realizá-la. Quando Lênin quis realizar o socialismo ele o fez munido do que entendia como sendo uma teoria, não mais uma utopia – ele tinha lido de Engels, e acreditado na falência dos “socialistas utópicos”. Segundo erro: também o neoliberalismo, ou seja, o ideal do estado mínimo, é uma utopia – uma variação da ideia marxista e anarquista (ao menos no campo político) da sociedade sem estado. E se é uma utopia, a primeira coisa que não se pode fazer com ela é querer realizá-la. Por isso mesmo, o único autor filosófico sério e inteligente que advogou o neoliberalismo, Robert Nozick, nunca o fez senão como utopia.

O pensamento neoliberal que aparece na boca dos jovens de hoje (e de alguns já velhos que envelheceram só cronologicamente, sem amadurecer e sem ganharem em cultura) é  simplório ao não perceber que sempre se desmente. Utopias são irmãs de filosofias. Seu casamento com a filosofia tem chance, mas seu casamento com a ciência pode durar até o dia em que, vendo os filhos que geram, comecemos a pensar ou em proibir tal casamento ou exigir deles que, tendo filhos, os abortem bem cedo.

A filosofia política, na qual cabe Marx, Habermas, Rawls e Nozick, e talvez até a ideia do “fisco não obrigatório” de Sloterdijk, é alguma coisa que, antes de tudo, é filosofia. Filosofia política não é ciência política. Ideias utópicas, bem vindas na filosofia e proibidas na ciência, são críticas sociais, são exageros, são fontes de inspiração de correção de rota, mas não são escritas para serem cumpridas. Quando escuto um leninista – de boina ou não – falando em revolução, o que vejo de mais parecido com ele é um garotão neoliberal – barrigudo ou magricelo – falando das maravilhas da “implantação” da sociedade regida pelo estado mínimo. São parecidos onde? No desejo de realizar o inferno na Terra. E isso é  o que mais existe na imprensa e, principalmente, na TV. E, meu Deus, como essa gente é chata!

Paulo Ghiraldelli Jr., 60, filósofo.

Tags: , , , , , , , ,

2 Responses “Neoliberais são muito parecidos com leninistas”

  1. Eduardo Rocha
    22/02/2018 at 21:40

    Paulo, saiu recentemente a biografia de Marx por Gareth Stedman Jones. É um bom investimento?

  2. Matheus
    22/02/2018 at 16:59

    Gente chata?

    São insuportáveis

    Parecem filhotes de alien/predador com humano que nunca saiu da ficção, do filme ou do parquinho de areia anti-alergica do condomínio predial…

    Deveriam cassar os direitos políticos desses “cidadãos” de outro mundo, seus diplomas e devolvê-la ao ensino fundamental pra ver se aprendem alguma coisa.

    Uma utopia possível seria devolve-los ao sistema público de qualidade… Um sonho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *