Go to ...

on YouTubeRSS Feed

19/11/2017

Cachorro não se treina com comida, mas com amizade!


Os cachorros são os nossos melhores companheiros de viagem, nessa nave espacial aclimatada chamada Terra. Eles são os únicos que nos observam o dia todo, às vezes à noite toda. Não raro, você acorda, e lá está o seu filho cão guardando você, olhando para você, admirando, atento. Mostra um olhar de atenção do tipo: “o que você fará, para que eu possa fazer algo agradável para você?” Uma amizade assim não pode ser mantida por treinamento,  mas só com diálogo.

Treinar cachorro já é uma coisa estranha. Há os cães que até gostam. Pastor alemão e poodle. Mas não se treina um Golden Retriever. Uma boa parte dos cães aprendem por meio da nossa conversa. Eles arrumam um modo de distinguir sons nossos e alterações de humor. Com um pensamento não linguístico, só mesmo através de uma profunda e fisiológica relação de simbiose (adquirida quando não éramos homens e eles ainda não eram cães, e moramos juntos), se fez possível essa ressonância sempre exibida. O que você diz ao cão, de modo simples, pausado, olhando para ele, e sem muitas variações, é entendido. A tal da “recompensa” é o afago, a aprovação. É tudo que ele quer. Recompensa com comida engorda, vicia, transforma a amizade em relação de mercado inapropriada. Muita gente faz isso com filhos humanos, e os põe a perder. E repete isso com filhos caninos, e quase os estragam.

Digo “quase” por causa de um dado importante: se você trata seu filho na base da relação do dá-lá-toma-cá, sem vínculos amorosos e só por regras comerciais (coisa que às vezes você aprende na religião, erradamente), você destrói o caráter de seu rebento; mas se você faz o mesmo com o seu cão, ele pode depois mudar e voltar ao normal, se você muda. Ele reaprende o amor de modo mais fácil. Ele abandona a espera da recompensa por comida ou por troca de modo muito mais rápido do que podemos imaginar quando não os conhecemos. O cão tem a ver com uma solidariedade altruística que nenhum de nós sabe o que é. Ele às vezes nem precisa de um afago, basta ele saber que acertou o que tinha que fazer. Um olhar e um sorriso são o suficiente. Ele se emula muito pela própria vitória, pela própria superação. Nisso, se aproxima da auto-emulação própria das crianças – estas que, depois, perdem tal coisa por conta de adultos que as fazem entrar em algo chamado mercado de afetos e que se torna um afeto de mercado.

Todavia, isso que é a vantagem do cachorro, é também sua perdição. Ele leva muito em consideração seu dono. E se o seu dono é um errado na vida, pode criar um cão que erra. O cão imita o dono. Muito, demais. É algo como o modelo paterno e  materno para filhos. E o faz do mesmo modo, pelos cantos de olhos às vezes.

Educar cães é uma arte igual a de educar filhos. A desvantagem dos segundos é que eles, uma vez tortos, possuem mais dificuldade de serem consertados. Ou seja, em certo sentido, filhos humanos são mais burrinhos.

Paulo Ghiraldelli, 59, filósofo. São Paulo: 26/11/2016

Leia mais aqui: cachorros entende os humanos

Tags: , , ,

3 Responses “Cachorro não se treina com comida, mas com amizade!”

  1. 20/12/2016 at 13:29

    Ótimas dicas para usar com meu cachorro

  2. Orquidéia
    28/11/2016 at 08:19

    Os cachorros e os gatos são todos uns amores.

  3. denis
    27/11/2016 at 20:55

    É VERO POR ISSO O MEU MELHOR AMIGO É MEU CAXORRO!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *