Bolsonaro e a socialização do bode expiatório

Bolsonaro e a socialização do bode expiatório

Estava crente que seria a Petrobrás o alvo preferido do final de 2014. Mas que nada! Nossa estatal ainda não merece tanto. Aliás, nem combina muito com a função. Uma característica do “cordeiro que tira os pecados do mundo” ou do Judas que se pode malhar é ele ser alguma coisa que vista uma máscara individualizante. É necessário ser uma pedra, uma unidade delimitada, para que possamos chutá-la da calçada para a rua com gosto. Continue reading