Go to ...

Paulo Ghiraldelli on YouTubeRSS Feed

sexta-feira, agosto 26, 2016

Escondendo a estrela vermelha

A estrela não pode aparecer. Essa é a ordem da sobrevivência política atual, até entre petistas quase roxos. Querem continuar vivendo da política, mas já não possuem nenhuma bandeira, nenhuma proposta e nem mais a estrela. Aliás, ela se tornou um estorvo, um símbolo da corrupção para uns, traição para outros e incompetência para muitos.

Mídia

A gaiola do intelectual carente

Midiagogos é intelectual que fica como papagaio em jornais televisivos. Outro dia, um desses midiagogos mandou-me por e-mail a seguinte pérola originalíssima: “a unanimidade é burra”. Meu Deus, nunca vi tanta sabedoria! Um guru! Toda vez que alguém usa de frase cliché a coisa vai mal, mas quando a frase é esta, então, não há

Mídia

Não existe “complexo de vira-lata”

Os midiagogos inventaram de falar em “complexo de vira-lata”. Já vi um bocado de gente dizendo da existência disso que, enfim, não existe. “Complexo de vira-lata” é invenção de gente que não tem o que dizer, gente sem assunto. Não raro até professor que trabalha de graça de jornalista, anda falando disso. Falam disso baseados

Educação

A continência do atleta

Do Exército brasileiro saiu a República, a Coluna Prestes, a Revolução de Trinta, o positivismo, a Campanha da FEB Tanto Mariguela quanto o Golpe de 1964  são da mesma matriz. Não pensem vocês que não houve repressão interna no Exército aos que não concordaram com o Golpe. Nossa relação com as nossas Forças Armadas segue

Comportamento

O monstro olímpico comendo brasileiras e brasileiros

A relação do Brasil com o símbolo Brasil é uma eterna relação de amor e ódio. O monstro olímpico, ou seja, nossa exposição em competições internacionais seguidas, nos devora fácil. Põe para fora nossas entranhas. Fica fácil então entender essa relação ambígua que temos com a imagem do país e com a imagem do brasileiro.

Mídia

As Olimpíadas desnudam mídia e visão dos midiagogos

O Jornal Nacional disse que a imprensa internacional não reclamou da torcida brasileira nas Olimpíadas. Já a Globo News, que é feita para o telespectador da classe média mais abonada, foi apresentada uma reportagem dizendo que toda a imprensa internacional reclamou da torcida brasileira.

Filosofia

Pokemon reurbaniza cidade do interior paulista

O lugar denominado “centro velho”, em inúmeras cidades brasileiras, é marcado como abrigo de traficantes e assantes. Esse fenômeno começou nas capitais, hoje atinge quase todo o interior. O estado de São Paulo tem como regra essa característica em suas cidades. Mas, por esses dias, uma força tecnológica inesperada resolveu o problema. 

Política

Dilma a primeira e última “presidenta”

A ideia de tentar ensinar gramática à jurista Carmem Lúcia é talvez a coisa mais ridícula que já vi. É o suprassumo da ignorância. É tarefa para professor universitário petista, a espécie que ultimamente está se esmerando na tentativa de sair da linhagem humana.

Comportamento

Sexo entre pais e filhos não é crime

A imprensa voltou a expor casos de namoro entre mãe e filho e coisas semelhantes (reportagem aqui). Não é no Brasil, mas nossas redes sociais pegaram fogo assim mesmo. Um batalhão de desinformados, com espadas religiosas que de religiosidade não têm nada, vieram gritar por “caça às bruxas”. Querem o moralismo feito de sangue.

Filosofia

Só é ódio se for ódio político?

Um indivíduo faz uma pichação em casa alheia e, não contente, espanca o proprietário. Ainda não satisfeito, junto com outros espanca o filho do proprietário levando-o à morte. As pessoas dizem “crime bárbaro”. Mas elas não dizem “ódio”. Agora, se alguém agredir ou outro com um palavrão em rede social e tal coisa tiver relacionada

Sociologia

A vitória presa na garganta

As Olimpíadas antigas eram festa religiosa. As Olimpíadas modernas nasceram como uma das formas de substituição da religião. Em Du mußt dein Leben ändern (Suhrkamp, 2013) Peter Sloterdijk notou isso ao ver que a prática ascética é maior que a religião e a engloba, e não o inverso como Nietzsche afirmou. Sendo o lugar máximo da

Filosofia

Não contrarie o status quo e seja midiático

O colapso do intelectual midiático Os melhores filósofos sempre foram consciência de seus lugares. Assim fizeram por fustigar o status quo não contra o ethos local, mas a favor do melhor do ethos, às vezes posto de lado. Quando a mídia começou a crescer, os filósofos souberam se aproveitar dela para continuar nesse projeto. Até

Filosofia

A privatização do mal

Em Nova York, Roma ou São Paulo você encontra pessoas e seus cães morando na rua. Boa parte é pedinte. Vários homens e mulheres desse grupo, apesar de não estar envolvida com drogas, foi castigada pela dureza da rua de tal modo que não têm mais condições de assumir trabalho. Dentes infeccionados trouxeram para a